Segunda-feira, 17 de Setembro de 2007
(Circunstância)

Um bispo alemão disse que a cultura e a arte estão a degenerar. A degeneração era o termo utilizado pelos nazis para qualificar a arte e a cultura a eliminar, a queimar, a destruir, a impedir, a proibir. A palavra ficou ela própria impedida depois da paranóia nazi. O vocábulo degenerar degenerou, pois, ele próprio. Vai grande a indignação na Alemanha pela utilização da palavrinha maldita pelo bispo. Os alemães vêem na oratória bispal uma espécie de renascimento de propósitos, a que a memória da Inquisição confere redobrada importância. Há uns meses, por cá foi Paulo Portas que num comício na Madeira e, aparentemente, a total despropósito político, disse que o trabalho liberta, utilizando em português a célebre expressão nazi que encima o pórtico do campo de concentração nazi de Auschwitz-Birkenau, onde a frase constituía a forma nazi de dar as boas vindas no corredor da morte. Neste caso não houve grande polémica por cá, até porque já ninguém liga ao que ele diz. De vez em quando levanta-se este problema com as palavras. São elas livres? Somos nós livres de usar todas as palavras? Faz sentido que não utilizemos as palavras que já foram usadas num sentido, e dessa forma crucificadas ou glorificadas, com outro sentido? As palavras, com efeito são sempre livres. O problema não está nas palavras, mas na História. É o Homem que estraga as palavras. Cada prosélito constrói um dicionário privativo. Como se tentasse aumentar o seu poder através da apropriação das palavras. E estraga-as. Ao ponto de deixar mal vistos os que as usam sem terem feito parte da prisão dessas palavras. Quando as palavras com um determinado sentido, que totalitariza o seu significado, remetendo outros possíveis para a penumbra, perdem a sua liberdade, isso significa apenas que alguém as estragou. É preciso não esquecer é que como as palavras são livres, existem sempre mil maneiras de dizer uma coisa sem cair nas palavras aprisionadas. Ao não o fazer, quem as profere faz uma escolha de sentido. E sujeita-se. E, quiçá, estatela-se.


publicado por Jorge Ferreira às 23:30 | link do post | comentar

JORGE FERREIRA
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


ARQUIVOS

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds
tags

efemérides(867)

borda d'água(850)

blogues(777)

josé sócrates(537)

ps(339)

psd(221)

cavaco silva(199)

pessoal(182)

justiça(180)

educação(150)

comunicação social(139)

política(137)

cds(126)

crise(121)

desporto(120)

cml(116)

futebol(111)

homónimos(110)

benfica(109)

governo(106)

união europeia(105)

corrupção(96)

freeport de alcochete(96)

pcp(93)

legislativas 2009(77)

direito(71)

nova democracia(70)

economia(68)

estado(66)

portugal(66)

livros(62)

aborto(60)

aveiro(60)

ota(59)

impostos(58)

bancos(55)

luís filipe menezes(55)

referendo europeu(54)

bloco de esquerda(51)

madeira(51)

manuela ferreira leite(51)

assembleia da república(50)

tomar(49)

ministério público(48)

europeias 2009(47)

autárquicas 2009(45)

pessoas(45)

tabaco(44)

paulo portas(43)

sindicatos(41)

despesa pública(40)

criminalidade(38)

eua(38)

santana lopes(38)

debate mensal(37)

lisboa(35)

tvnet(35)

farc(33)

mário lino(33)

teixeira dos santos(33)

financiamento partidário(32)

manuel monteiro(32)

marques mendes(30)

polícias(30)

bloco central(29)

partidos políticos(29)

alberto joão jardim(28)

autarquias(28)

orçamento do estado(28)

vital moreira(28)

sociedade(27)

terrorismo(27)

antónio costa(26)

universidade independente(26)

durão barroso(25)

homossexuais(25)

inquéritos parlamentares(25)

irlanda(25)

esquerda(24)

f. c. porto(24)

manuel alegre(24)

carmona rodrigues(23)

desemprego(23)

direita(23)

elites de portugal(23)

natal(23)

referendo(23)

apito dourado(22)

recordar é viver(22)

banco de portugal(21)

combustíveis(21)

música(21)

pinto monteiro(21)

bcp(20)

constituição(20)

liberdade(20)

saúde(19)

augusto santos silva(18)

cia(18)

luís amado(18)

todas as tags