Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008
À força, como sempre tem sucedido, José Sócrates lá remodelou. Mas desta vez o estilo de Sócrates não foi o de Cavaco Silva. A remodelação foi à Guterres. Com Cavaco Silva as remodelações eram secas, rápidas, letais. De preferência ao fim de semana, com os mercados em descanso e o povo de fim de semana. Com Guterres, as remodelações eram lentas, debatidas na rua, penosas, trapalhonas. Chegou a estar um ministro num debate no Parlamento e, simultaneamente, a ser corrido em osso pela rádio, perante a estupefacção do próprio e da bancada socialista.

A remodelação demonstra que Sócrates é, afinal, um Primeiro-Ministro acossado, sem iniciativa e que anda a reboque de mensagens, temores e contestações. A reboque de mensagens de Cavaco Silva, de temores de Manuel Alegre e de um eventual novo partido, e de contestações de rua às suas políticas.

Importa reter três factos desta semana negra do Governo.

O primeiro: ainda ninguém sabe quem decidiu a remodelação. Se foram os próprios que pediram para sair, se foi o Primeiro-Ministro que decidiu que saíam. Num dia foram os remodelados que pediram, no outro foi Sócrates que decidiu, num terceiro foi ainda uma conjugação de vontades. Parece uma novela futebolística típica da substituição de treinadores.

O segundo: todos perceberam a escolha do dia. Essa escolha foi decidida de supetão, para desviar as atenções dos discursos de Marinho Pinto, do relatório sobre os voos da CIA e das atenções à volta da cerimónia de abertura do ano judicial, em que Cavaco Silva aproveitou para fazer a Alberto Costa, o que fez a Correia de Campos na mensagem de Ano Novo, isto é, traçar-lhe o destino.

O terceiro: o conteúdo da remodelação suscita a maior das perplexidades. Quanto à cultura, o ministério é irrelevante e devia ser extinto. Para distribuir subsídios bastaria uma assessoria contabilística no gabinete do ministro das Finanças. Não conta. É apenas mais um aparelho político para reconhecer serviços e colocar pessoal político.

Mas quanto à saúde, não se entende. Sócrates escolheu uma pessoa que é demandada pelo próprio Estado em tribunal por ter autorizado pagamentos indevidos no Hospital Amadora Sintra. O processo está pendente em tribunal e mandaria o elementar bom senso que uma pessoa nestas condições não fosse chamada a funções governamentais, sobretudo na mesma área, enquanto o assunto não estivesse resolvido. Mas não. A própria parece entender que não é nada com ela e o Primeiro-Ministro, sem capacidade de recrutamento, está por tudo.

Depois admiram-se de certos discursos.

O que é de registar em conclusão é que politicamente esta remodelação foi uma operação política falhada. Ninguém hoje pensa do Governo coisa diferente do que já pensava antes.


(publicado na edição de hoje do Semanário)


publicado por Jorge Ferreira às 00:01 | link do post | comentar

JORGE FERREIRA
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


ARQUIVOS

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds
tags

efemérides(867)

borda d'água(850)

blogues(777)

josé sócrates(537)

ps(339)

psd(221)

cavaco silva(199)

pessoal(182)

justiça(180)

educação(150)

comunicação social(139)

política(137)

cds(126)

crise(121)

desporto(120)

cml(116)

futebol(111)

homónimos(110)

benfica(109)

governo(106)

união europeia(105)

corrupção(96)

freeport de alcochete(96)

pcp(93)

legislativas 2009(77)

direito(71)

nova democracia(70)

economia(68)

estado(66)

portugal(66)

livros(62)

aborto(60)

aveiro(60)

ota(59)

impostos(58)

bancos(55)

luís filipe menezes(55)

referendo europeu(54)

bloco de esquerda(51)

madeira(51)

manuela ferreira leite(51)

assembleia da república(50)

tomar(49)

ministério público(48)

europeias 2009(47)

autárquicas 2009(45)

pessoas(45)

tabaco(44)

paulo portas(43)

sindicatos(41)

despesa pública(40)

criminalidade(38)

eua(38)

santana lopes(38)

debate mensal(37)

lisboa(35)

tvnet(35)

farc(33)

mário lino(33)

teixeira dos santos(33)

financiamento partidário(32)

manuel monteiro(32)

marques mendes(30)

polícias(30)

bloco central(29)

partidos políticos(29)

alberto joão jardim(28)

autarquias(28)

orçamento do estado(28)

vital moreira(28)

sociedade(27)

terrorismo(27)

antónio costa(26)

universidade independente(26)

durão barroso(25)

homossexuais(25)

inquéritos parlamentares(25)

irlanda(25)

esquerda(24)

f. c. porto(24)

manuel alegre(24)

carmona rodrigues(23)

desemprego(23)

direita(23)

elites de portugal(23)

natal(23)

referendo(23)

apito dourado(22)

recordar é viver(22)

banco de portugal(21)

combustíveis(21)

música(21)

pinto monteiro(21)

bcp(20)

constituição(20)

liberdade(20)

saúde(19)

augusto santos silva(18)

cia(18)

luís amado(18)

todas as tags