Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2007
(Tejero Molina nas Cortes)

Nesta data, em 1869, era determinada a libertação dos escravos em todo o território português, até 29 de Abril de 1878. Em 1875, no entanto, a libertação definitiva foi antecipada para 1876. Em 1918, era fundado o Exército Vermelho da URSS. Em 1970, reunia-se, pela primeira vez, em Estrasburgo, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. Em 1981, verificava-se a tentativa de golpe de estado, em Espanha, liderada pelo tenente-coronel Tejero Molina, durante a eleição do primeiro-ministro, no Parlamento. Em 1987, morria o músico, cantor e compositor português José Afonso, 57 anos, autor de "Grândola, Vila Morena". Em 1989, morriam a escritora portuguesa Luísa Neto Jorge, 50 anos, e o escritor alemão federal Hans Helmut Kirst, 74. Em 1992, António Guterres era eleito secretário-geral do Partido Socialista. Em 2002, era jubilado o professor catedrático Nuno Grande, 70 anos, pioneiro do transplante pulmonar. Em 2005, era publicado o Novo Código da Estrada, que entraria em vigor a 26 de Março. No mesmo dia, morria José da Conceição Saraiva, 59 anos, deputado do PS eleito pelo Porto, jornalista e antigo director do JN. Em 2006, a Assembleia da República aprovava o voto de apelo ao fecho da prisão norte-americana de Guantanamo, Cuba. E cinco dos 11 arguidos do Caso do Parque eram condenados a penas de prisão efectiva, por abuso sexual de crianças.


publicado por Jorge Ferreira às 10:31 | link do post | comentar

Hoje é Sexta-feira, 23 de Fevereiro, quinquagésimo quarto dia do ano. Faltam 311 dias para o final de 2007. Este dia é dedicado a S. Policarpo. Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Crescente. Quarto Crescente, dia 24, às 07:56. O sol nasce às 07:22 e o ocaso regista-se às 18:19. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 07:15 e 19:39, a baixa-mar às 00:36 e 13:02. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Peixes, destacando- se o compositor alemão Georg Friedrich Handel (1685), o filósofo alemão Karl Jaspers (1883), o banqueiro Meyer Amschell Rotschild (1743), o artista inglês Sir George Frederick Watts (1817) e o actor norte-americano Peter Fonda (1940).


publicado por Jorge Ferreira às 10:18 | link do post | comentar

Públio Cornélio Tácito ou apenas Tácito, como a posteridade o registou, nado nos idos de 55 e falecido nos idos de 120, já depois de Cristo, historiador latino que foi questor, pretor, cônsul, procônsul da Ásia e orador, é considerado um dos maiores historiadores da antiguidade.

Artigo de história para variar? Não. Invocação oportuna a propósito do debate de ontem no Parlamento sobre a corrupção, esse desígnio presidencial de última geração. O Presidente Jaime Gama devia ter oferecido aos deputados, antes do debate de ontem, as obras completas do historiador romano.

“Quanto mais corrupta é a República, mais numerosas são as leis”, afirmou Tácito. A citação vem reproduzida no último livro de Fátima Mata-Mouros, “O Direito à Inocência”. É uma frase sábia e intemporal, que releva da melhor ciência política e da mais actual sociologia da corrupção no século XXI.

Para combater a corrupção são necessárias à partida duas condições: carácter e vontade. O primeiro faz falta para saber distinguir o bem do mal, o justo do injusto, o correcto do incorrecto, o legítimo do ilegítimo, o legal do ilegal. A segunda faz falta para evitar a indiferença, o conformismo, o encolher de ombros, o silêncio, no limite a cumplicidade perante a corrupção.

Sem estas duas coisas não há polícia nem Lei que resistam. É, se quisermos uma questão cultural, à partida. Só depois vêm a Lei e a política. Ontem, no Parlamento falou-se das últimas não dos primeiros. Vêm mais leis a caminho. Já os políticos são os mesmos. Devemos ter esperança? Sinceramente, penso que a atitude mais adequada é a de um cepticismo moderado.

Quando se ouve o Procurador-Geral da República afirmar que em Portugal não existe corrupção de Estado, lembro-me de um Primeiro-Ministro que em tempos afirmou que Portugal não era um país de corruptos para uma década depois fazer um discurso apenas dedicado ao assunto que, entretanto, concluiu ser da maior gravidade.

Quando se ouve um Primeiro-Ministro dizer de um deputado do seu partido que nesta matéria fez propostas que são asneiras, não podemos deixar de associar o excesso da reacção ao facto do mesmo deputado ter afirmado que o PS tem rabos de palha em matéria de corrupção.

Ontem, fez-se mais um debate. Já sem o deputado impulsionador. Com o mesmo PS de sempre, prisioneiro do bloco central dos negócios que forma com o PSD e incidentalmente com o CDS, a acharem que o tema merece mais leis e não mais acção. Numa palavra: um debate para encher calendário. Seria muito bom para o país e para a saúde da democracia que a realidade me viesse desmentir.
(publicado na edição de hoje do Semanário)


publicado por Jorge Ferreira às 00:11 | link do post | comentar

A Camara de Aveiro inscreveu uma nova pena no Código Penal da cidadania: a condenação ao parquímetro. O novo regulamento que estabelece as normas do estacionamento no centro da cidade foi aprovado esta semana pela Camara de Aveiro. O documento precisa ainda da aprovação da Assembleia Municipal, onde o debate se centra no problema da eventual privatização da MoveAveiro e na defesa por parte da Câmara daquilo que diz ser um benefício para as condições do estacionamento no centro da cidade.

O PS de Aveiro, ao que parece subitamente regressado aos tempos dos Governos de Vasco Gonçalves que promoveram as nacionalizações, desconfia que o Regulamento Municipal das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada em Aveiro, aprovado pelo Executivo municipal, com os votos da maioria PSD/CDS-PP/PEM, foi feito de encomenda para a privatização da MoveAveiro, conseguindo criar mais fontes de receita para «tornar a empresa mais apetecível no mercado». Por isso, note-se, por isso, o PS votou contra o regulamento.

Já a Câmara de Aveiro parece que deseja a privatização, mas tem medo, muito medo de o assumir. Como se fosse um pecado desejar uma privatização. Como se fosse um erro. Como se fosse um bruxedo fantasmagórico.

O escândalo do novo Regulamento consiste em obrigar os residentes a pagar o estacionamento. Os cartões de residente deixarão de permitir estacionar sem quaisquer custos, uma vez que, segundo o documento, será pago entre as 10 e as 13 horas e entre as 15 e as 17 horas. Por isso, a oposição diz que a Câmara «vai ao bolso dos munícipes de uma forma que não é justa porque a realidade de Aveiro não precisava que isto acontecesse e não tem carga de tráfego que justifique». No caso dos cerca de mil lugares de estacionamento, 400 podem ser ocupados por portadores de cartões.

A Câmara justifica a medida com o objectivo de permitir uma «maior rotatividade de estacionamento na zona central, económica e de serviços». Cobrar o estacionamento também aos residentes justifica-se por ser uma «zona de maior procura, no período crítico, de utilização comercial». De resto, segundo a Câmara, o regulamento, criado em 1992, «necessitava urgentemente de uma adaptação à realidade existente na cidade, tendo em conta a criação da empresa municipal MoveAveiro e as mudanças no Código da Estrada», a «expansão do sistema dos parcómetros» e a criação de «soluções de estacionamento em zonas periféricas da cidade, dotadas de um número significativo de transportes públicos».

O que é mais escandaloso é que nem todos os residentes são atacados de parquimetria. Os motociclos, ciclomotores e velocípedes, as viaturas do Estado e entidades públicas ou particulares que prossigam fins de utilidade pública estão isentos do pagamento. O preço do espaço para os residentes deve ser mais caro que o preço do espaço para o Estado e demais entidades públicas. Residir no centro é, para a Câmara de Aveiro, uma coisa a evitar, para permitir que haja estacionamento ou para garantir receitas para as depauperadas finanças municipais.

Está estudado e praticado: é mais eficaz e mais rentável privatizar a fiscalização do estacionamento. Devia por isso ser extinta a MoveAveiro (ai que lá se iam os tachos…), e contratado o serviço a uma empresa privada. Seria melhor para todos.

Já quanto aos residentes a solução é só uma: isenção de pagamento. Não faz sentido querer dar vida própria aos centros das cidades e depois taxar a vida no centro da cidades. É o cúmulo da hipocrisia.
(publicado na edição de hoje do Diário de Aveiro)


publicado por Jorge Ferreira às 00:01 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2007

Faz amanhã sete anos que Ingrid Betancourt, deputada e candidata à Presidência da República da Colômbia, foi raptada e sequestrada pelos terroristas das FARC colombianas, amigos do peito do Partido Comunista, visita certa da Festa do Avante, perante a complacência das autoridades portuguesas. Mesmo com as tendas da festa desmontadas é preciso lembrar que a vergonha continua. E continuar a exigir a sua libertação imediata.


publicado por Jorge Ferreira às 22:18 | link do post | comentar | ver comentários (1)


Algo funcionou em Bucareste.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 20:32 | link do post | comentar

O PSD quer que Sócrates ponha ordem na casa. A propósito das urgências e de Correia de Campos. Eu só pergunto: o que deverão os lisboetas pedir ao PSD em relação a Carmona Rodrigues e à Camara de Lisboa? Diz o roto ao nu...


publicado por Jorge Ferreira às 19:07 | link do post | comentar

Há imagens que matam. Num país moderno como foi decretado que passámos a ser a partir de 11 de Fevereiro, num país cheio de choques tecnológicos, SIMPLEX’s, PRACE’S e outras parafernálias da propaganda, então há imagens que matam duas vezes. Pelo descuido, pela incompetência, pelo atraso dos poderes públicos que existem para servir os cidadãos.

Os 106 alunos da escola básica de Sernancelhe, que foi demolida na segunda-feira, retomaram hoje as aulas, após as férias de Carnaval, na Casa da Criança desta vila do distrito de Viseu, mas tiveram de se sentar no chão, devido à falta de equipamento escolar. Só cerca das 11h30, duas horas e meia depois da hora prevista para o início normal das actividades escolares, é que a DREN fez saber que o problema iria ser resolvido com a contratação de uma empresa privada para descarregar o mobiliário e os alunos saíram do chão para se sentarem nas cadeiras que já conheciam da velha escola - era quase meio-dia quando os mais de cem alunos regressaram à normalidade.

Por um lado, o presidente da autarquia de Sernancelhe acusa a DREN de ser responsável. A DREN acusa a autarquia de ser responsável. As crianças que se sentaram no chão é que não serão certamente responsáveis. Simbolicamente o problema acabou por ser resolvido: por uma empresa privada. Depois queixem-se dos liberais.
(publicado no Democracia Liberal)


publicado por Jorge Ferreira às 18:41 | link do post | comentar

Abdelkarim Suleimán é um blogger egípcio que criticou o Islão e o Presidente egípcio Hosni Mubarak no seu blogue. Resultado: condenado a 4 anos de prisão por um tribunal de Alexandria, a cidade da nova maravilha do mundo que é a Biblioteca. Ler aqui, no Comunicar a Direito.


publicado por Jorge Ferreira às 15:11 | link do post | comentar

Este Holocausto será diferente, no Rua da Judiaria.
Conversa de porteiras, por João Gonçalves, no Portugal dos Pequeninos.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 10:03 | link do post | comentar

(Jonas Savimbi)

Nesta data, em 1819, a Espanha cedia a Florida aos EUA. Em 1971, o general Hafez Assad assumia o poder na Síria. Em 1973, os EUA e a China, depois de quase duas décadas de isolamento, decidiam trocar embaixadores. Em 1974, era posto à venda, em Lisboa, o livro "Portugal e o Futuro", de António de Spínola. Em 1985, morria o profissional da rádio Marques Vidal. Em 1987, morriam o cantor Rui de Mascarenhas e o artista plástico norte-americano Andy Warhol, referência da Pop Art. Em 1992, Jorge Sampaio despedia-se da liderança do PS. Em 1996, o Ministério da Educação divulgava as novas regras de acesso ao ensino superior, nomeadamente a nota mínima e os exames nacionais às disciplinas específicas e de base. Em 1999, morria Correia da Fonseca, 77 anos, promotor do Totobola em Portugal. Em 2002, morria, em Angola, Jonas Savimbi, líder da UNITA, abatido por tropas governamentais. Na mesma data, desaparecia Chuck Jones, nome chave do cinema de animação, criador, entre outros, de Bugs Bunny e Daffy Duck. Em 2003, era apresentado o livro "Cidade Romana de Eburobrittium - Óbidos", sobre a última cidade romana descoberta em Portugal. Em 2005, o Conselho Superior da Magistratura abria um processo disciplinar ao desembargador Adelino Salvado, antigo director nacional da PJ, pelo teor das conversas que manteve com o Correio da Manhã. Em 2006, um aluno das Oficinas de São José, no Porto, confessava o homicídio de um sem-abrigo, por um grupo de jovens da escola.


publicado por Jorge Ferreira às 09:58 | link do post | comentar

Hoje é Quinta-feira, 22 de Fevereiro, quinquagésimo terceiro dia do ano, Dia Europeu da Vítima. Faltam 312 dias para o final de 2007. Este dia é dedicado à Cadeira de S.Pedro. Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Crescente. Quarto Crescente, dia 24, às 07:56. O sol nasce às 07:23 e o ocaso regista-se às 18:18. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 06:28 e 18:50, a baixa-mar às 12:16 e 00:36. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Peixes, destacando- se o primeiro presidente norte-americano, George Washington (1732), o filósofo alemão Schopenhauer (1788), Robert Baden- Powell (1857), o físico alemão Heinrich Hertz (1857) e o cineasta espanhol Luis Buñuel (1900).


publicado por Jorge Ferreira às 09:56 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2007
Apoiar os portugueses nas competições internacionais de futebol nos dias globalizados que passam pode conduzir a exercícios verdadeiramente surpreendentes. Coisas da diáspora...

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 21:24 | link do post | comentar

Parece que na Camara de Lisboa ninguém se safa. Agora parece existir um relatório que aponta irregularidades na Gebalis, outra empresa municipal, mais uma empresa municipal, sempre uma empresa municipal. A vereadora do CDS/PP na Câmara de Lisboa, que tutelou a Gebalis, negou hoje ter cometido qualquer irregularidade e alegou desconhecer o relatório sobre a empresa enviado pelo vereador responsável para o Tribunal de Contas e Inspecção-Geral de Finanças. "Não estão nenhumas [irregularidades no relatório] porque não cometi nenhuma. Nunca vi o relatório", afirmou Maria José Nogueira Pinto, em conferência de imprensa convocada hoje ao final da tarde, quando questionada pelos jornalistas se teria cometido alguma irregularidade. A autarca tutelou em 2006 a empresa municipal que gere os 24.000 fogos camarários. "O que quer que esteja no relatório não pode ser verdade", acrescentou. Mais uma contribuição verdadeiramente original para o esoterismo municipal: negar à partida um relatório que não conhece.
(publicado em O Carmo e a Trindade)


publicado por Jorge Ferreira às 20:48 | link do post | comentar

"Ingrid Betancourt est-elle vivante?

Nous ne disposons que de rumeurs, pas de nouvelles vérifiées. Ces dernières semaines, nous avons reçu des informations selon lesquelles elle se trouverait à l’étranger. Il est possible que les Farc l’aient exfiltrée et qu’elle se trouve maintenant hors de la Colombie."


Alvaro Uribe, em entrevista ao Le Figaro, admite a possibilidade de Ingrid Betancourt ter sido removida pelos terroristas das FARC, os amigos do PCP, para fora da Colômbia. Seria interessante descobrir-lhe ao menos o paradeiro. Será que a política colombiana estará sequestrada em território também amigo do PCP?


publicado por Jorge Ferreira às 20:45 | link do post | comentar

"Débloquer l'Europe institutionnellement, ce sera le sens de ma première initiative européenne si je suis élu", a affirmé le candidat UMP à l'élection présidentielle devant quelque 6.000 partisans réunis lors d'un meeting à Strasbourg. "Je proposerai à nos partenaires européens de nous mettre d'accord sur un traité simplifié qui reprendra les dispositions du traité constitutionnel nécessaires pour que l'Europe puisse se remettre en marche", a-t-il précisé. Selon Nicolas Sarkozy, il s'agit de "mettre fin à la règle de l'unanimité" au sein du Conseil européen, de permettre à certains Etats d'avancer plus vite que les autres et de l'élection d'un président de l'Union pour deux ans et demi."
Quem julgou que os referendos de boa memória em França e na Holanda tinham ensinado alguma coisa aos políticos, enganou-se redondamente. Ao contrário das previsões mais optimistas, de que a Constituição europeia estava morta e enterrada, parece viver-se uma onda revivalismo para repôr a coisa em cima da mesa. Até Sarkozy quer federalizar a Europa. Aproxima-se mais uma indigestão.


publicado por Jorge Ferreira às 20:26 | link do post | comentar

(Le Figaro)

Derrubar Berlusconi foi mais fácil do que é governar prisioneiro da extrema-esquerda. Prodi demitiu-se por causa da política externa. Queria alargar o contingente italiano no Afeganistão e alargar as facilidades concedidas aos EUA na base de Vicenza. Pecado fatal. Os comunistas e os verdes não deixaram. Está out. É o preço da prisão política em que se meteu.


publicado por Jorge Ferreira às 19:58 | link do post | comentar

Ora aí está uma boa telenovela mexicana para os próximos tempos.


publicado por Jorge Ferreira às 12:57 | link do post | comentar

A demissão de Alberto João Jardim é, apesar de tudo, um facto interessante. Mostra várias coisas. Primeira: na Madeira o PS não existe nem tem um líder alternativo para a chefia do Governo Regional. Segunda: com o continente farto de assistir ao escandaloso endividamento regional tipicamente socialista, que é a maior contradição entre o discurso e a prática de Alberto João Jardim, as próximas eleições regionais acabarão por fortalecer a posição de Sócrates no país, que o passará a ver como o político que não teve medo de enfrentar a chantagem orçamental recorrente de Jardim. Todos ficam felizes. Um porque refresca a legitimidade para poder continuar a falar e ganha mais uns anitos de mandato. O outro porque vê reforçada a sua imagem. O resto é estilo e feitios, ou seja, imagem e psicologia. A vida, essa, continua.


publicado por Jorge Ferreira às 10:18 | link do post | comentar

(Colégio das Artes)

Nesta data, em 1584, era inaugurado, em Portugal, o Colégio das Artes. Em 1838, o norte-americano Samuel Morse efectuava a primeira demonstração pública do telégrafo. Em 1916, começava a Batalha de Verdun, a mais longa e sangrenta da I Guerra Mundial, que provocaria a morte a mais de um milhão de pessoas. Em 1965, era assassinado o dirigente muçulmano negro norte- americano Malcom X, num comício realizado em Nova Iorque. Em 1976, Portugal reconhecia a República Popular de Angola. Em 1975, o juiz John Sirica condenava os "homens do presidente Nixon" John Mitchell, H.R.Haldeman e John Ehrlichman a penas de prisão, por envolvimento no caso Watergate. Em 1986, era empossado o primeiro director dos Serviços de Informação de Segurança (SIS), Ramiro Ladeiro Monteiro. Em 1988, Vitor Constâncio era reeleito secretário-geral do PS no VII Congresso. Em 1991, morriam o professor Eduardo Correia, 76 anos, primeiro ministro da Educação pós-25 de Abril, e a bailarina Margot Fontaine, 71 anos. Em 2001, João Paulo II investia 44 novos cardeais, dos quais os portugueses José Policarpo, patriarca de Lisboa, e José Saraiva Martins, perfeito da Congregação para a Causa dos Ritos. Em 2005, morria Guillermo Cabrera Infante, 75 anos, escritor cubano exilado, autor de "Três Tristes Tigres".


publicado por Jorge Ferreira às 10:15 | link do post | comentar

Hoje é Quarta-feira, 21 de Fevereiro, quinquagésimo segundo dia do ano, Dia Internacional da Língua Materna. Faltam 313 dias para o final de 2007. Este dia é dedicado à Beata Maria Henriqueta Dominici. Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Crescente. Quarto Crescente, dia 24, às 07:56. O sol nasce às 07:24 e o ocaso regista-se às 18:17. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 05:45 e 18:06, a baixa-mar às 11:34 e 23:50. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Peixes, destacando- se a Infanta D.Isabel (1397), o revolucionário mexicano Antonio Lopez de Santa-Anna (1794), o compositor francês Leo Delibes (1836), o pintor português Carlos Reis (1863) e o guitarrista clássico espanhol Andres Segovia (1893).


publicado por Jorge Ferreira às 10:11 | link do post | comentar

Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2007
Nem sempre bebo das bebidas que se servem neste Bar. Mas estar aberto há três anos é obra. Parabéns!

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 22:41 | link do post | comentar

(Os deuses do Olimpo na terra do Carnaval)

O Minha Rica Casinha também desfilou na Av. Marquês de Sapucaí?

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 22:36 | link do post | comentar

má moeda no Ministério da Justiça e em Belém.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 21:58 | link do post | comentar

(As mãos são de Sócrates e Marques Mendes)

A maioria absoluta do PS faz hoje dois anos. Como tantas vezes sucede na política a popularidade de José Sócrates é inversamente proporcional aos resultados obtidos, os famosos resultados, sobretudo se comparados com as promessas feitas. Ainda vamos ter de andar de lanterna à procura de 150.000 empregos e da diminuição dos impostos. Quanto ao essencial (quem liga ao nível médio medíocre dos ministros?!...), e pouco me interessam as qualidades e os defeitos do senhor, está tudo na mesma: o bloco central governa alarvemente no seu máximo esplendor.


publicado por Jorge Ferreira às 17:32 | link do post | comentar

(Vitorino Nemésio)

Nesta data, em 1567, morria o fundador do Rio de Janeiro, Estacio de Sá. Em 1878, o fidalgo português Adriano de Paiva Brandão, cientista e professor da Academia do Porto, apresentava em O Instituto, revista científica de Coimbra, o estudo sobre a telescopia eléctrica, cujos princípios constituem a base da transmissão da imagem à distancia, a actual televisão. Em 1909, o diário parisiense Le Figaro publicava o "Manifesto do Futurismo", do poeta italiano Emilio Filipo Marinetti. Em 1960, morria, em Esposende, o poeta português António Correia de Oliveira. Em 1965, a nave espacial norte-americana Ranger VIII despenhava-se na superfície lunar. Em 1978, morria, em Lisboa, o escritor açoriano Vitorino Nemésio. Em 1988, a agencia noticiosa norte-americana UPI era vendida ao grupo World News Wire. Em 1991, no centro de Tirana, cem mil manifestantes derrubavam a estátua do líder comunista Enver Hoxha, fundador do regime albanês. Em 1993, morria o engenheiro civil e cartoonista Sam, Samuel Torres de Carvalho, 69 anos, criador do Guarda Ricardo e da sedutora Heloísa. Na mesma data, a TVI-Canal 4, o segundo canal privado de televisão a operar em Portugal, iniciava as emissões regulares. Em 1994, João Paulo II condenava o Parlamento Europeu por ter aprovado a resolução que permitia o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em 1997, o projecto que visava alterar a chamada Lei do Aborto era derrotado por um voto (111 votos a favor, 112 contra), no Parlamento português. Em 1999, terminava o XXI Congresso do PSD, reconduzindo Marcelo Rebelo de Sousa na liderança. No mesmo dia, morria o romancista e ensaísta francês Maurice Blanchot, aos 95 anos. Em 2004, a Casa da Música, no Porto, escolhia Anthony Withworth-Jones para director artístico. Em 2005, o PS obtinha 45 por cento dos votos e conseguia, pela primeira vez, a maioria absoluta com a eleição de 120 deputados, nas Lesgislativas. Em 2006, o presidente da República Jorge Sampaio começava, em Timor-Leste, a última visita oficial do mandato. Professores do ensino secundário iniciavam greve de uma semana em protesto pelas aulas de substituição nos 2º e 3º ciclos. E o jornal 24 horas requeria a nulidade das buscas e apreensões feitas na redacção, no âmbito da polémica do "Envelope 9", apenso ao Processo Casa Pia.


publicado por Jorge Ferreira às 16:39 | link do post | comentar

Hoje é Terça-feira, 20 de Fevereiro, quinquagésimo primeiro dia do ano. Faltam 314 dias para o final de 2007. Hoje é Dia de Carnaval. Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Crescente. Quarto Crescente, dia 24, às 07:56. O sol nasce às 07:25 e o ocaso regista-se às 18:16. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 05:04 e 17:26, a baixa-mar às 10:54 e 23:08. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Peixes, destacando- se o almirante inglês Sir William Cornwallis (1744) e os artistas franceses Lucien Pissarro (1863) e Honoré D'Aumier (1803).


publicado por Jorge Ferreira às 16:38 | link do post | comentar

Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2007
Primeiro foi o referendo do aborto, agora são as eleições regionais da Madeira no horizonte. Depois vêm as férias. A oposição vai adiando, adiando até voltarem as manhãs de nevoeiro. E lá se vai aguentando Ribeiro e Castro ...

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 19:19 | link do post | comentar

Alberto João Jardim demite-se. Sem dinheiro não há como brilhar. Só não me parece bem esta ocorrência na segunda-feira de Carnaval. Será para levar a sério ou ainda é um prolongamento do corso de ontem? Vai haver eleições regionais. Não quererão as Excelências todas do sistema aproveitar para um referendozito sobre a independência da Região? Assim, acabava-se a querela financeira.


publicado por Jorge Ferreira às 19:06 | link do post | comentar

Os pessimistas de serviço não desperdiçaram a oportunidade de açoitar a Pátria depois do acidente da linha do Tua. Pois bem: reconheçai agora o progresso que tomou conta da Nação. As três vítimas mortais foram encontradas. Que diferença para a tragédia de Castelo da Paiva. Agora encontraram os corpos de todas as vítimas. Depois não digam que isto não é progresso.


publicado por Jorge Ferreira às 18:51 | link do post | comentar

A propósito de Bloco: em Salvaterra está tudo na mesma?


publicado por Jorge Ferreira às 18:49 | link do post | comentar

A ILGA acusou o PS de homofobia por não legalizar o casamento de homossexuais. Com um PS homófobo, julgo que o Bloco adquiriu nova bandeira para a próxima década, quiçá, para o próximo século.


publicado por Jorge Ferreira às 18:39 | link do post | comentar | ver comentários (1)

O telemóvel foi eleito no Reino Unido a segunda pior invenção humana a seguir à arma. Sabendo-se que o telemóvel também é uma arma, os terroristas que o digam, fico reconfortado por saber que bem vistas as coisas o malandro foi mesmo a pior.


publicado por Jorge Ferreira às 17:53 | link do post | comentar

O calvário dos tribunais continua, apesar da exigência de resultados, por Rui Castro, no 31 da Armada. É Carnaval, ninguém leva a mal, por Rodrigo Adão da Fonseca, no Blue Lounge. Uma sugestão judiciária de João Pedro Henriques, no Glória Fácil. Saúde desarticulada, ministro articulista, por José António Barreiros, na sua apropriada Revolta das Palavras. Destinos que marcam a hora, por J. M. Coutinho Ribeiro, em O Anónimo (a diferença caro amigo, é que bem conversadinho eu ainda era capaz de votar em ti...). E, por fim, para já, as 7 maravilhas de Portugal , votação promovida (por quem havia de ser?...) pelo Jumento. Divirtam-se...

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 16:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)

A estrela dos socialistas franceses começa a ocupar lentamente o lugar que merece. Já vai a dez pontos de Sarkozy. Tem muito a aprender com Sócrates. Será preciso perder muito tempo com ela?..


publicado por Jorge Ferreira às 10:54 | link do post | comentar

Duas entradas a ler sobre a deseducação nacional, uma de Pedro Guedes, no Último Reduto, outra de F. Santos no Horizonte, citada pelo primeiro. Se o Daniel Oliveira hoje não tiver assunto, aqui tem um pretexto para outra enxurrada inquisitorial.


publicado por Jorge Ferreira às 10:36 | link do post | comentar

A agonizante e paralisada Camara Municipal de Lisboa afinal existe. Uma brigada de homenzinhos vestidos de amarelo florescente, assim um género de ET's de subúrbio (ou serão máscaras de Carnaval?), desatou a bloquear carros na Av. 5 de Outubro, em Lisboa, logo pela manhãzinha, que levantar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer. Exactamente nos mesmos sítios onde uma empresa privada contratada pela EMEL faz a gestão do estacionamento e dos parquímetros, aliás, com um grau de sucesso assinalável. Esta eficácia privada é mais do que suficiente para mostrar à evidência a inutilidade da EMEL, que não passa de uma empresa municipal para dar tachos e prejuízos. Mais valia a CML contratar a empresa privada para prestar mais serviços à autarquia no ordenamento do estacionamento. Mas esta solução, exuberantemente higiénica teria dois graves defeitos: o primeiro seria o aumento das receitas que, como se sabe, são desnecessárias na CML, ema autarquia que goza de brilhante saúde financeira e o segundo seria o de acabar com o trem de cozinha com que a CMl engorda os bolsos de uns amigalhaços do poder, serventuários inúteis e improdutivos do poder que estiver. Ah, um esclarecimento, na CML ninguém presta esclarecimentos sobre a ilegalidade de pôr a EMEL, uma empresa (a propósito já encontraram a escritura pública de constituição da empresa?...), a decretar contra-ordenações. A CML é uma muda sádica.
(publicado em O Carmo e a Trindade)


publicado por Jorge Ferreira às 10:24 | link do post | comentar

(Gramofone)

Nesta data, em 1879, Thomas Edison patenteava o primeiro gramofone. Em 1951, morria o escritor francês André Gide. Em 1962, John Glenn foi o primeiro astronauta norte-americano a viajar pelo espaço. Em 1975, morria, em Lisboa, o arquitecto Francisco Keil do Amaral, precursor do urbanismo e da Arquitectura Paisagística em Portugal, autor da concepção do parque florestal de Monsanto, do Metropolitano e dos aeroportos de Lisboa e Luanda. Em 1988, começava, em Madrid, o XII Congresso do PCE, no qual Gerardo Iglesias renunciava à liderança.
Em 1990, morria o cineasta britânico Michael Powell, 84 anos. Em 1991 morria o médico psiquiatra Eduardo Luís Cortesão, 71 anos. Em 1995, Fernando Nogueira era eleito presidente do PSD no XVII Congresso do partido, sucedendo a Cavaco Silva. Em 1999, morria Octávio Pato, 74 anos, por muito tempo número dois do PCP, membro do Secretariado do Comité Central e candidato às eleições presidenciais de 1976. Em 2001, terminava o maior motim da história penitenciária do Brasil, até à data, com a morte de 12 pessoas. Durante 24 horas, envolveu cerca de 20 mil presos de 29 cadeias de 19 cidades do Estado de São Paulo. Na mesma data, morria o cineasta norte-americano Stanley Kramer, 87 anos. Em 2003, o marroquino Mounir el Motassadek, 28 anos, suspeito de pertencer à Al-Qaida, era condenado a 15 anos de prisão, por um tribunal de Hamburgo. Em 2004, o Tribunal da Relação de Lisboa ordenava a libertação João Vale e Azevedo, ex-presidente do Benfica, por não ter sido ouvido no âmbito de uma diligência processual do caso Euroárea. Vale e Azevedo ficou em liberdade apenas alguns segundos - o juiz titular do processo emitira novo mandado de detenção para interrogatório. Em 2006, o corpo da Irmã Lúcia era trasladado para o Santuário de Fátima. No mesmo dia, no Rio Tejo, em Lisboa, realizava-se o primeiro funeral budista em Portugal.


publicado por Jorge Ferreira às 10:19 | link do post | comentar

(Mia Farrow)

Hoje é Segunda-feira, 19 de Fevereiro, quinquagésimo dia do ano. Faltam 315 dias para o final de 2007. Este dia é dedicado a S.Conrado de Placença. Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Crescente. Quarto Crescente, dia 24, às 07:56. O sol nasce às 07:26 e o ocaso regista-se às 18:15. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 04:23 e 16:45, a baixa-mar às 10:14 e 22:28. Os nascidos nesta data pertencem ao signo de Peixes, destacando-se o compositor italiano Luigi Bocherini (1743), os actores Lee Marvin (1924) e Mia Farrow (1946).


publicado por Jorge Ferreira às 10:17 | link do post | comentar

Domingo, 18 de Fevereiro de 2007
Se a proposta de novo Estatuto do Jornalista apresentada pelo Governo for aprovada na Assembleia da República, como tudo indica, a profissão de jornalista será uma nova profissão. A tal especialíssima profissão que é a única a ter expressa referência constitucional passará a reger-se por novas regras, que alterarão qualitativamente o modo de fazer jornalismo em Portugal.

Depois da aprovação do primeiro Estatuto, em 1979, à pressa e com eleições antecipadas à vista, apenas para cumprir uma promessa eleitoral de alguns partidos na campanha eleitoral de 1976 e depois da aprovação do segundo Estatuto, hoje em vigor, em 1999, o jornalismo terá de preparar-se para mudanças substanciais.

A proposta do Governo abrange áreas essenciais do exercício da profissão, como o conceito legal de jornalista, o regime de quebra do sigilo profissional em juízo, os direitos de autor dos jornalistas, o alargamento dos deveres profissionais e a responsabilidade disciplinar daí resultante, as regras de acesso à profissão, o estatuto e as funções da Comissão da Carteira Profissional dos Jornalistas e o sistema sancionatório, entre outros de menor impacto. Mas onde a proposta é decisiva é no regime que propõe para apuramento da responsabilidade pela violação dos deveres dos jornalistas.

Se esta proposta vier a ser transformada em Lei, como tudo indica, o quotidiano profissional dos jornalistas, dos órgãos de comunicação social e das empresas proprietárias deixará de ser como é hoje.

Para introdução de uma reflexão sobre esta Proposta, abordamos três tópicos: o novo papel da CCPJ, a supressão da lacuna deontológica e o aperfeiçoamento de alguns direitos dos jornalistas.

Em primeiro lugar, o Governo mostra não ser adepto da criação imediata de uma Ordem dos Jornalistas, ao prever a atribuição de mais e relevantes competências à CCPJ, das quais se destaca o apuramento da responsabilidade disciplinar dos jornalistas, em resultado da violação dos deveres legais previstos no Estatuto, aliás, substancialmente aumentados. Entre o óptimo, que seria modelar a regulamentação do exercício da profissão pelo sistema de uma ordem profissional, e o péssimo, que é actual remissão do assunto para o Sindicato dos Jornalistas, um tipo de associação sem qualquer vocação, nem sequer legal, para exercer atribuições deontológicas, o Governo ficou-se pelas meias-tintas, passe o plebeísmo.

Em segundo lugar, o Governo dá passos positivos no sentido de suprir o actual vazio deontológico. Nada temos a opor, antes pelo contrário, ao aperfeiçoamento do regime dos deveres dos jornalistas. E nada temos a opor à efectivação da responsabilidade pela sua violação. Ao contrário do que alguns sectores defendem, julgamos não ser admissível proclamar deveres jurídicos sem assegurar consequência jurídica, isto é, sanção proporcional, à respectiva violação. O que, insistimos, já nos parece, no mínimo, muito discutível é ter na prática uma entidade reguladora da profissão, que passa a ser claramente a natureza da CCPJ. Parecer-nos-ia mais natural, saudável e responsabilizante atribuir estas competências a uma ordem profissional, como já sucede, de resto com excelentes resultados, relativamente a outras profissões igualmente sensíveis ao nível do interesse público e dos direitos fundamentais dos cidadãos.

A CCPJ nasceu como uma autoridade de poderes restritos, criada para resolver o problema da declaração de inconstitucionalidade da emissão das carteiras profissionais pelo Sindicato dos Jornalistas, como previa e muitíssimo mal o Estatuto dos Jornalistas de 1979. Se esta proposta vingar a CCPJ passa a ser uma nova autoridade reguladora privativa dos jornalistas. Andaremos, apesar de tudo, menos mal se a CCPJ se vier a revelar no futuro o embrião de uma Ordem dos Jornalistas.

Em terceiro lugar é justo reconhecer que são aperfeiçoados alguns direitos relevantes dos jornalistas. É o caso dos direitos de autor, suprindo uma lamentável lacuna legislativa existente desde 1999 e a delimitação clara das circunstâncias em que existe a possibilidade de ser judicialmente ordenada a quebra do sigilo profissional dos jornalistas.

Relativamente a este ponto, a que os próprios jornalistas usam ser muito mais sensíveis do que relativamente ao primeiro, a situação hoje existente e tal como está configurada no artigo 135º, nº3, do Código de Processo Penal remete a possibilidade de quebra do sigilo para a discricionariedade judicial na avaliação, no caso concreto, do interesse preponderante dos que estão em confronto e em causa na quebra do sigilo.

Somos dos que defendemos que o direito ao sigilo profissional não deve ser um direito absoluto, mas também defendemos que deve ser eliminada tanto quanto possível a subjectividade de julgamento hoje consagrada na legislação processual penal quanto à sua quebra. Este é talvez o problema melhor resolvido pela proposta do Governo. Prevê-se que a quebra do sigilo só poderá ser ordenada por um tribunal nos casos em que estejam em causa crimes graves contra as pessoas, crimes contra a segurança do Estado e casos graves de criminalidade organizada, sendo que a decisão judicial que optar pela quebra do sigilo deve especificar os factos a que o jornalista deverá responder, eliminando assim a subjectividade do posterior interrogador. Mais ainda: o tribunal poderá decretar a prestação de depoimento pelo jornalista à porta fechada, isto é, sem publicidade. Trata-se de um regime mais rigoroso e respeitador do direito ao sigilo profissional relativamente aquele que hoje está consagrado na Lei.

A legislação que regula a profissão de jornalista contende necessariamente com o exercício e com o respeito pelos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos. Não apenas dos jornalistas. Ela há-de reflectir, após adequada e serena ponderação, todos os valores envolvidos na actividade de informar. Não são só valores estritamente profissionais, mas sim valores do Estado democrático e que relevam da independência da informação e do pluralismo de expressão que há que preservar a todo o transe.

Parafraseando um certo ditado popular, diríamos que “diz-me como tratas a profissão de jornalista, dir-te-ei que espécie de democracia és”. Oxalá a democracia melhore com o novo Estatuto.
(publicado no nº 12 do ESTAJORNAL, jornal laboratório da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes)


publicado por Jorge Ferreira às 18:58 | link do post | comentar

Eu nunca tive grandes simpatias pelo Carnaval português. Acho-o assim uma coisa deslocada e pimba. Mas respeito genuinamente todos aqueles que se conseguem divertir e, sobretudo, os que produzem os corsos. Convenhamos que nestas paragens não é fácil fazer um corso decente. Porque a realidade concorre directa e insuperavelmente com a imaginação carnavalesca.
Foto.


publicado por Jorge Ferreira às 18:51 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Em França não há Marcelos, no Comunicar a Direito.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 18:28 | link do post | comentar

O Misantropo Enjaulado partiu. Uma pena. Um blogue que faz falta não é frequente encontrar-se entre milhões deles. É este precisamente o caso.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 17:50 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Inspirado pelo transfuguismo de José Miguel Júdice, que aparentemente é candidato a preencher o lugar de independente de luxo deixado vago por Freitas do Amaral no Governo de Sócrates, o João decidiu regressar ao PSD. Bem sei que às vezes atravessamos momentos difíceis na nossa vida e é aí que mais precisamos dos amigos. Conta comigo João, acho que vais precisar...


publicado por Jorge Ferreira às 17:03 | link do post | comentar

José Miguel Júdice estará a caminho de se tornar uma segunda versão de Freitas do Amaral, desta vez com origem no PSD?


publicado por Jorge Ferreira às 15:44 | link do post | comentar

(Bombaim)

Nesta data, em 1665, Portugal entregava Bombaim a Inglaterra, como dote de casamento de Catarina de Bragança. Em 1834, as forças liberais portuguesas venciam as absolutistas na batalha de Almoster. Em 1934, eram inauguradas as primeiras instalações do Rádio Clube Português em Lisboa. Em 1959, morria Gago Coutinho. Em 1964, um terramoto destruía, quase por completo, a povoação de Velas, na ilha de São Jorge. Em 1965, o chefe do Governo português, Oliveira Salazar, que persistia na política colonialista, ignorando todas as condenações do Conselho de Segurança da ONU, proferia a célebre frase, "estamos, sem espectáculos e sem alianças, orgulhosamente sós". Em 1967, morria o físico Robert Oppenheimer, precursor da investigação atómica. Em 1986, a equipa médica do cirurgião Queiroz e Melo efectuava, no Hospital de Santa Cruz, em Lisboa, o primeiro transplante cardíaco em Portugal. Em 1988, era aprovada a nova Lei de Bases da Reforma Agrária. Em 1993, morria a actriz Josefina Silva, 95 anos. Em 1994, começava, em Setúbal, o XII congresso do CDS-PP. Em 1998, a atleta Fernanda Ribeiro conquistava a medalha de ouro dos 3.000 metros no Encontro das Seis Nações. Em 2001, morriam o cantor francês Charles Trenet, 87 anos, e o pintor de ascendência polaca Balthus. Em 2004, morria o deputado Acácio Barreiros, 55 anos, vice- presidente do Grupo Parlamentar do PS e membro da Comissão Política Nacional dos socialistas. Em 2006, realizava-se a primeira reunião do Movimento de Intervenção e Cidadania (MIC), criado no âmbito da candidatura de Manuel Alegre a Presidente da República. No mesmo dia, morria João Morais Leitão, 67 anos, advogado, fundador do CDS e ex-ministro da Aliança Democrática.


publicado por Jorge Ferreira às 15:32 | link do post | comentar

(Carlos Lopes)

Hoje é Domingo, 18 de Fevereiro, quadragésimo nono dia do ano. Faltam 316 dias para o final de 2007. Este dia é dedicado a S.Teotónio. Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Crescente. Quarto Crescente, dia 24, às 07:56. O sol nasce às 07:26 e o ocaso regista-se às 18:15. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 03:40 e 16:05, a baixa-mar às 09:34 e 21:48. Os nascidos nesta data pertencem ao signo de Aquário, destacando-se o fíico italiano Alessandro Volta (1745), o filantropo norte-americano George Peabody (1795), o poeta popular português António Aleixo (1899), a actriz Kim Novak (1933) e o atleta português Carlos Lopes (1947).


publicado por Jorge Ferreira às 15:30 | link do post | comentar

Sábado, 17 de Fevereiro de 2007
Nesta data, em 1780, entrava em funcionamento a Aula Pública de Debuxo e Desenho do Porto, que viria a tornar-se na Escola Superior de Belas-Artes. Em 1957, Isabel II, de Inglaterra, iniciava a primeira visita oficial a Portugal. Em 1974, era criada a Universidade do Minho. Em 1976, a França tornava-se o primeiro país a reconhecer diplomaticamente a República Popular de Angola. Em 1986, nove países da CEE assinavam, no Luxemburgo, o Acto Único Europeu, que modificou, pela primeira vez de forma significativa, o Tratado de Roma. Em 1988, começava, em Lisboa, o julgamento de Branca dos Santos, a Banqueira do Povo. Em 1990, o partido comunista da Checoslováquia expulsava o antigo presidente Gustav Husak e mais 20 dirigentes da chamada linha dura. Em 1991, António Mascarenhas Monteiro, 47 anos, era eleito novo presidente de Cabo Verde, com 72 por cento dos votos, sucedendo a Aristides Pereira, que ocupava o cargo desde 1975. Em 1995, abriam, em Lisboa, os trabalhos do XVII Congresso do PSD. Em 1999, o CDS-PP ratificava o acordo para a constituição da Alternativa Democrática. 2000, a Microsoft lançava o novo sistema Windows 2000. Em 2003, Londres introduzia um sistema de portagem electrónica, destinado a reduzir a circulação automóvel no centro da cidade. Em 2005, um agente da PSP era morto no bairro da Cova da Moura, Amadora. O Teatro Nacional de S.Carlos cancelava as óperas "Wozzeck", de Alban Berg, e de "O Rapto do Serralho", de Mozart, por falta de pagamento do Ministério da Cultura. Em 2006, tomava posse a Entidade Reguladora para a Comunicação Social.


publicado por Jorge Ferreira às 15:17 | link do post | comentar

Hoje é Sábado, 17 de Fevereiro, quadragésimo oitavo dia do ano. Faltam 317 dias para o final de 2007. Este dia é dedicado aos sete Santos Fundadores dos Servitas e a São Silvino. Nos céus, é Lua Nova, às 16:14. O sol nasce às 07:27 e o ocaso regista-se às 18:14. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 02:57 e 15:23, a baixa-mar às 08:54 e 21:07. Os nascidos nesta data pertencem ao signo de Aquário, destacando-se o pioneiro da aviação portuguesa, Gago Coutinho (1869), a romancista norte-americana Dorothy Canfield Fisher (1878) e o estratega militar francês, criador da linha de defesa a oriente, André Maginot (1877).


publicado por Jorge Ferreira às 15:15 | link do post | comentar

Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007
O sim ganhou o referendo do aborto. A partir de agora e apesar da Assembleia da República não estar obrigada a legislar nesse sentido porque não votou a maioria dos eleitores recenseados, as esquerdas têm legitimidade política para fazer uma lei com uma norma a dizer que o aborto praticado até às dez semanas por opção da mulher em estabelecimento de saúde autorizado não é crime.

Parece simples não é caro leitor? Pois não é.

Logo nos dias seguintes ao referendo ficou claro que o PS não sabe o que fazer com a vitória que inegavelmente alcançou. Na segunda-feira veio Alberto Martins, líder parlamentar do PS, dar a entender que não haveria qualquer aconselhamento obrigatório para as grávidas que quisessem abortar. Na terça-feira, nas jornadas parlamentares do PS, essa ideia ficou ainda mais vincada em declarações de diversos deputados e do próprio Primeiro-Ministro. Para quem acompanhou a campanha de perto, é fácil constatar que alguns defensores do Sim mentiram com quantos dentes tinham na boca quando afirmaram que a resposta Sim à pergunta do referendo não implicaria o Sim ao aborto livre. Chamaram mentirosos a quem afirmava o contrário. Alguns, como Vital Moreira ou Maria de Belém Roseira, deram a entender que o aconselhamento seria contemplado na regulamentação da lei.

Constata-se agora que tudo não passou de uma mentira. Quem, de boa fé, respondeu Sim, na expectativa de que aí viria uma lei moderada, desengane-se, pois o que a maioria aprovou foi efectivamente o "direito ao aborto". Depois veio outra vez Alberto Martins dizer que ninguém fazia a Lei, só o PS. O PS parece uma criança a quem deram um brinquedo novo. O problema é que não sabe como pôr o brinquedo a funcionar.

A verdade é que existem várias questões em aberto por resolver. Vai-se despenalizar ou descriminalizar o aborto, mantendo a sua ilicitude? Vai-se dar a exclusiva opção de abortar à mãe ou vai permitir-se que o pai tenha opinião? Vai-se construir um tipo de crime novo punindo o acto conforme o lugar onde ele é praticado, sem consideração pelos “direitos” da mãe, mantendo-se teimosamente a ideia de que só não há crime nos “estabelecimentos de saúde legalmente autorizados”? Vai-se exigir uma qualquer motivação da mãe - “angústia”, “sofrimento psicológico” ou outra equivalente - ou não se exigirá qualquer razão, por frágil que seja?Vai-se exigir um período de aconselhamento e reflexão prévios - e vai-se fazer desse momento um espaço informativo meramente técnico, ou, pelo contrário, vai transformar-se esse momento numa ocasião de defesa da vida? Vai estabelecer-se algum equilíbrio entre as mães que abortam e as que querem ter os seus filhos, em termos de acesso a prestações sociais? O que vai o Estado fazer aos casais que querem ter filhos e não podem? Vai tratá-los como doentes e apoiá-los no Serviço Nacional de Saúde como irá passar a fazer com as grávidas?

A esclarecer tudo isto fugiram Sócrates, Correia de Campos, o PS e restantes esquerdas durante o debate de campanha. Não convinha. Agora está instalada a confusão.

Para agravar tudo isto, vem agora, agora, só agora, Cavaco Silva puxar dos galões presidenciais e exigir prudência e equilíbrio na Lei. O mesmo Presidente que nem uma intervenção pública se dignou fazer sobre o tema quando era o tempo de esclarecer e decidir, que nem uma mensagem prévia de apelo ao voto no referendo arriscou fazer. Tarde de mais para tanta preocupação, parece-me. É que o Presidente tem, dizem os sábios constitucionais, o enormíssimo poder da palavra. Com o seu silêncio no momento em que devia ter falado, Cavaco Silva não perdeu certamente o poder formal do veto, mas perdeu seguramente autoridade política e margem de manobra para fazer o que quer que seja.

(publicado na edição d ehoje do Diário de Aveiro)


publicado por Jorge Ferreira às 01:19 | link do post | comentar | ver comentários (2)

JORGE FERREIRA
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


ARQUIVOS

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds
tags

efemérides(867)

borda d'água(850)

blogues(777)

josé sócrates(537)

ps(339)

psd(221)

cavaco silva(199)

pessoal(182)

justiça(180)

educação(150)

comunicação social(139)

política(137)

cds(126)

crise(121)

desporto(120)

cml(116)

futebol(111)

homónimos(110)

benfica(109)

governo(106)

união europeia(105)

corrupção(96)

freeport de alcochete(96)

pcp(93)

legislativas 2009(77)

direito(71)

nova democracia(70)

economia(68)

estado(66)

portugal(66)

livros(62)

aborto(60)

aveiro(60)

ota(59)

impostos(58)

bancos(55)

luís filipe menezes(55)

referendo europeu(54)

bloco de esquerda(51)

madeira(51)

manuela ferreira leite(51)

assembleia da república(50)

tomar(49)

ministério público(48)

europeias 2009(47)

autárquicas 2009(45)

pessoas(45)

tabaco(44)

paulo portas(43)

sindicatos(41)

despesa pública(40)

criminalidade(38)

eua(38)

santana lopes(38)

debate mensal(37)

lisboa(35)

tvnet(35)

farc(33)

mário lino(33)

teixeira dos santos(33)

financiamento partidário(32)

manuel monteiro(32)

marques mendes(30)

polícias(30)

bloco central(29)

partidos políticos(29)

alberto joão jardim(28)

autarquias(28)

orçamento do estado(28)

vital moreira(28)

sociedade(27)

terrorismo(27)

antónio costa(26)

universidade independente(26)

durão barroso(25)

homossexuais(25)

inquéritos parlamentares(25)

irlanda(25)

esquerda(24)

f. c. porto(24)

manuel alegre(24)

carmona rodrigues(23)

desemprego(23)

direita(23)

elites de portugal(23)

natal(23)

referendo(23)

apito dourado(22)

recordar é viver(22)

banco de portugal(21)

combustíveis(21)

música(21)

pinto monteiro(21)

bcp(20)

constituição(20)

liberdade(20)

saúde(19)

augusto santos silva(18)

cia(18)

luís amado(18)

todas as tags