Domingo, 31 de Dezembro de 2006
Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra
birita, não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)


Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade


publicado por Jorge Ferreira às 22:09 | link do post | comentar

Ao Pedro e ao João, a quem retribuo nos exactos termos. Nos exactos termos. E, para facilitar a vida aos tolinhos dos blogues, desde já adianto que esta troca de galhardetes não tem nada, mesmo nada a ver com o facto de termos sido todos do mesmo curso. Investigação abortada, oops!


publicado por Jorge Ferreira às 19:29 | link do post | comentar

Quando a direita conservadora e liberal e a esquerda inteligente (que a há, que a há!) se encontram quase, quase, a cem por cento.


publicado por Jorge Ferreira às 19:16 | link do post | comentar

Encerrada a primeira votação do Tomar Partido. Conclusão: Portugal tem feriados a mais. Os resultados: Sim, 56%, 73 votos; Nao, 27%, 35 votos; Depende dos feriados a eliminar, 16%, 21 votos; Não tenho opiniao, 1%, 1 voto. Em Janeiro, para abrir bem o ano, lançarei outra.


publicado por Jorge Ferreira às 19:11 | link do post | comentar

José António Barreiros não faz parte do main stream blogosférico. Mas é sem dúvida um dos melhores bloggers portugueses. Escreve multifacetadamente sobre o quotidiano de todos os dias e de toda a gente. Brinca com os leitores, abrindo, fechando e reabrindo blogues. Institui sgps dos seus blogues, num jogo do gato e do rato, que certamente não é do agrado dos muitos jornalistas que continuam a desprezar este meio individual de comunicação. Mas a rede é testemunha. Por isso este mês escolhi A Revolta das Palavras como Blogue do Mês que agora acaba.


publicado por Jorge Ferreira às 16:37 | link do post | comentar

Apuramento de responsabilidades. O poder em Portugal não evita, apura. E mal. É triste chegar à conclusão que em certas coisas somos um país do quarto mundo.


publicado por Jorge Ferreira às 16:17 | link do post | comentar

(O Banco de Lisboa)

Em 1821, era criado o Banco de Lisboa, o primeiro banco português que, em Novembro de 1846, se transformaria no Banco de Portugal. Em 1879, o inventor norte-americano Thomas Edison fazia a primeira demonstração pública da lâmpada eléctrica. Em 1948, em Portugal, cessava a circulação de moedas de meio tostão, cinco centavos. Em 1951, terminava o Plano Marshall de auxílio económico à reconstrução aos países europeus, após a II Guerra Mundial. Em 1972, o governador militar de Moçambique, Kaúlza de Arriaga, mandava arquivar o inquérito sobre o massacre de Wiriyamu, no qual tinham morrido cerca de 400 civis. Em 1978, morria, em combate, Nicolau dos Santos Lobato, presidente da Fretilin. Em 1989, a Junta romena decretava a dissolução da Securitate, a policia política do ditador Nicolae Ceausescu. Na mesma data, o novo presidente do Panamá confiscava os bens do antecessor, o general Manuel Noriega. Em 1990, Gari Kasparov sagrava-se campeão do mundo de xadrez, ao derrotar Anatoly Karpov. Em 1999, Boris Ieltsin, presidente da Federação Russa, demitia-se, entregando o poder ao líder do governo, Vladimir Putin. Em 2000, era encerrado o estaleiro da Margueira. Em 2001, terminava a circulação de 12 moedas nacionais da União Europeia: o Marco alemão, o Franco francês, o Franco belga, o Franco luxemburguês, o Florim holandês, a Lira italiana, a Peseta espanhola, o Escudo português, a Libra irlandesa, o Dracma grego, o Xelim austríaco e a Marca finlandesa. Em 2003, o parecer da Procuradoria-geral da República confirmava a violação da lei pelo ex-ministro do Ensino Superior, Pedro Lynce, ao permitir a entrada em Medicina da filha do anterior ministro dos Negócios Estrangeiros, Martins da Cruz. No mesmo dia, morria o investigador Vítor de Sá, 82 anos, antigo deputado comunista.


publicado por Jorge Ferreira às 16:03 | link do post | comentar

(Simon Wiesenthal em Auschwitz)

Hoje é Domingo, 31 de Dezembro, tricentésimo sexagésimo quinto e último dia do ano de 2006. Este dia é dedicado a São Silvestre. Nos céus, a Lua encaminha-se para a Fase Plena. Lua Cheia, dia 03 de Janeiro, às 13:57. O sol nasce às 07:52 e o ocaso regista-se às 17:25. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 00:09 e 12:38, a baixa-mar, às 06:05 e 18:32. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Capricórnio, destacando-se José Elias Garcia (1830), jornalista, militar e político português, o pintor e escultor francês Henri Matisse (1869), o violinista Nathan Molstein (1904), o sobrevivente de Auschwitz Simon Wiesenthal (1908), os actores Anthony Hopkins (1937), Ben Kingsley (1943) e Val Kilmer (1959).


publicado por Jorge Ferreira às 15:59 | link do post | comentar

Sábado, 30 de Dezembro de 2006
O que o cruel e criminoso ditador Hussein merecia menos era morrer aos olhos do mundo como um corajoso, recusando a venda para olhar de frente a forca. Por aqui, que não é costume celebrar a morte de ninguém com garrafas de champanhe, a hipocrisia também não tem lugar e por isso pena não sinto. Apenas se regista uma inutilidade perversa no enforcamento de Hussein. Ele merecia sem dúvida assistir até ao fim natural dos seus dias à inexistência política que já era ontem. Preso.


publicado por Jorge Ferreira às 14:40 | link do post | comentar | ver comentários (2)

A disparatada acusação do Hezbollah de que o ministro português dos Negócios Estrangeiros teria dado boleia ao passageiro envolvido no assassínio do ministro libanês Gemayel vem mais uma vez demonstrar o erro do nosso envolvimento no conflito libanês. Ainda hoje está por explicar o que estão lá a fazer tropas portuguesas. Nenhum interesse nacional o justifica. Meter o nariz onde não se é chamado normalmente dá borrasca. Oxalá esta fique pela manchete do Expresso, sabendo-se como é costume criar estes factos mediáticos para preparar o clima para ataques terroristas por aquelas paragens.


publicado por Jorge Ferreira às 14:23 | link do post | comentar | ver comentários (1)

"Como acontece relativamente a qualquer crime, também ao crime de aborto é aplicável a parte geral do Código Penal, que contempla causas importantes de exclusão da ilicitude e da culpa. Por isso, a lei já protege as situações mais dramáticas de que tanto se fala. Por exemplo, uma mulher que é coagida à prática do aborto seguramente não será condenada, tal como provavelmente não será uma mulher numa situação de grave precariedade financeira provavelmente. É o que decorre da aplicação da lei penal.Mas já uma mulher que, livre e esclarecidamente, com informação suficiente sobre como evitar uma gravidez, pratique o aborto, porventura de forma reiterada, como meio de contracepção, será condenada. E bem, a meu ver."
Assunção Cristas, num texto notável, que justifica leitura atenta e integral, publicado no Blogue do Não.


publicado por Jorge Ferreira às 14:20 | link do post | comentar

(Emídio Navarro)

Em 1853, os Estados Unidos compravam ao México, por 10 milhões de dólares, o território ao longo do rio Gila, área que hoje integra as zonas sul dos Estados do Arizona e do Novo México. Em 1886, Emídio Navarro assinava o decreto que reformou o Ensino Técnico em Portugal. Em 1922, Lenine proclamava a URSS. Em 1940, abria a primeira auto-estrada nos EUA, ligando Pasadena a Los Angeles, Califórnia. Em 1947, era criada a República Socialista da Roménia. Em 1972, a pretexto das celebrações do Dia Mundial da Paz, um grupo de católicos organizava, na Capela do Rato, em Lisboa, a vigília sob o tema "A Paz é possível" onde era aprovada uma moção repudiando a política de guerra do regime ditatorial e reconhecendo a justiça da luta dos povos coloniais. A forte repressão policial que se abateu sobre a manifestação não conseguiu esconder os sinais de ruptura do regime. Em 1986, morria o poeta Joaquim Namorado. Em 1987, Robert Mugabe assumia a Presidência do Zimbabwe. Em 1989, Fernando Collor de Mello era declarado presidente eleito do Brasil. Em 1991, o quinto canal televisivo francês, La Cinq, propriedade da Hachette, declarava falência. Em 1993, o Vaticano e o Estado de Israel assinavam em Jerusalém o acordo de reconhecimento mútuo. Em 1996, morria o historiador francês Albert Silbert. Em 2003, morria José Carreira, 48 anos, pioneiro do sindicalismo da polícia portuguesa. Em 2004, o Governo espanhol aprovava a proposta de alteração do Código Civil, passando a enquadrar o casamento de pessoas do mesmo sexo. Em 2005, era criada a Autoridade de Segurança Alimentar Económica.


publicado por Jorge Ferreira às 14:12 | link do post | comentar

(Rudyard Kipling)

Hoje é Sábado, 30 de Dezembro, tricentésimo sexagésimo quarto e penúltimo dia do ano. Falta um dia para o termo de 2006. Este dia é dedicado a S. Sabino. Nos céus, a Lua encaminha-se para a Fase Plena. Lua Cheia, dia 03 de Janeiro, às 13:57. O sol nasce às 07:53 e o ocaso regista-se às 17:24. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 11:35 e 00:09, a baixa-mar, às 04:58 e 17:33. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Capricórnio, destacando-se o escritor britânico Rudyard Kipling (1865), o cineasta Carol Reed (1906), o escritor Paul Bowles (1910), a cantora e compositora Patti Smith (1946), a actriz Tracey Ullman (1959), o escritor Douglas Coupland (1961).


publicado por Jorge Ferreira às 14:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 29 de Dezembro de 2006
(Luz do Sameiro)
É muito fácil morrer em Portugal. Pode morrer-se de uma pancada no abdomen, como sucedeu à pequena Sara, uma criança de 2 anos que veio a revelar-se não ter protecção. E pode morrer-se na praia. Não, não é a metáfora do costume para ilustrar a situação de quem, depois de ter passado por cabos e tormentas, fracassou à beirinha de conseguir o objectivo. É morrer na praia mesmo. A 50 metros dela. A uns avaros 50 metros dela. Aconteceu na praia da Légua com os pescadores do Luz do Sameiro. Sem socorro a tempo e horas. O Estado continua a sobrar nos negócios e a faltar no essencial: a segurança dos cidadãos.


publicado por Jorge Ferreira às 23:49 | link do post | comentar


Parece que O Clube Via Norte, dirigido por Antonio Tavares e António Neto da Silva, vai promover uma Conferência que terá como debate o Espaço Não Socialista. Estes debates, ao que apuramos, surgem no seguimento das propostas avançadas em Agosto para que se realizasse uma ampla discussão sobre a direita em Portugal. Iniciativa oportuna. Tanto mais quanto a oposição de direita é hoje praticamente inexistente.


publicado por Jorge Ferreira às 23:32 | link do post | comentar

(Puzzle)

O novo Presidente da ERSE, escolhido pelo Governo, chama-se Vítor Santos e foi secretário de Estado de Pina Moura. Este, por sua vez, depois de ter sido ministro da Economia e das Finanças, é Presidente da Iberdrola de Portugal. A Iberdrola de Portugal é filhota da Iberdrola espanhola, que tem óbvios e confessos interesses comerciais em Portugal, no sector energético. Nos tempos livres, o cardeal socialista dá um pulinho à Assembleia da República, onde continua, impávido a representar os interesses dos portugueses que o elegeram, à sombra do voto em Sócrates. Tudo isto seria mais fácil se se tratasse de um problema do PS. Só aparentemente o é. Na verdade, é um problema de promiscuidade política que afecta o sistema político português. Não há lei que resista à falta de vergonha. A electricidade do regime ainda vai dar choque. Oxalá não venha o país a padecer todo de electrocução.


publicado por Jorge Ferreira às 22:14 | link do post | comentar

É verdadeiramente bárbara a inoperância do sistema de protecção de menores. Pior que essa inoperância, da qual resultam perdas de vidas de crianças, só mesmo o anonimato das responsabilidades sobre as falhas do sistema. Que deverá passar a chamar-se sistema de desprotecção de menores.


publicado por Jorge Ferreira às 18:13 | link do post | comentar

CDS propõe pacto de regime sobre ..., sobre..., sobre..., tan-tan-tan-tan!, sobre... O TURISMO! Terá o reveillon que se aproxima algo a ver com tanta inspiração político-turística? Isto é que é oposição.


publicado por Jorge Ferreira às 15:41 | link do post | comentar

Cresce a expectativa, nalguns sectores desencantados com o Governo e com a mensagem de Natal de José Sócrates, com o teor da mensagem de Ano Novo de Cavaco Silva. Isto é: vão ter outra desilusão, depois de terem percebido que a promessa da cooperação estratégica era a sério.


publicado por Jorge Ferreira às 11:36 | link do post | comentar | ver comentários (1)

O Reino Unido paga hoje aos EUA e ao Canadá 80 milhões de euros, para saldar a última dívida que vinha do tempo da II Guerra Mundial. Gente de palavra é assim. Tarda mas não falha. Finalmente terminou a II Guerra Mundial.


publicado por Jorge Ferreira às 11:25 | link do post | comentar

(A morte de Thomas Becket)

Nesta data, em 1170, o arcebispo Thomas Becket era morto no altar da Catedral de Cantuária. Em 1864, saía o primeiro número do Diário de Notícias. Em 1959, era inaugurado o Metropolitano de Lisboa. Em 1973, o presidente das Filipinas, Ferdinando Marcos, punha termo às eleições livres no país. Em 1980, o presidente dos EUA, James Carter, recusava o pagamento de qualquer tipo de resgate para a libertação dos 52 reféns norte-americanos presos no Irão. Em 1986, morria Harold MacMillan, 92 anos, primeiro-ministro britânico de 1957 a 1963. Nesta data também morria o cineasta russo Andrei Ttarkovski, 54 anos. Em 1987, regressava à Terra, a bordo da cápsula Soyuz 3, o cosmonauta soviético Yuri Romanenko, depois de ter estabelecido o recorde de permanência ininterrupta no espaço, 326 dias. Em 1989, Vaclav Havel, 53 anos, dissidente checo, subscritor da Carta 77, defensor dos direitos humanos, tomava posse como presidente da República da Checoslováquia. Pela primeira vez em 41 anos, o cargo era ocupado por um não comunista. Em 1991, a revista Time elegia Ted Turner, proprietário da cadeia de televisão norte-americana CNN, Homem do Ano. Em 1994, o grupo Champalimaud anunciava a aquisição de 50 por cento do capital do Banco Totta & Açores. Em 2004, morria Joaquim Caldeira Rodrigues, 79 anos, primeiro presidente da Câmara Municipal de Lisboa, após o 25 de Abril de 1974. Em 2005, o Tribunal Constitucional rejeitava sete das 13 candidaturas à Presidência da República, por não preencherem os requisitos previstos na lei.


publicado por Jorge Ferreira às 11:11 | link do post | comentar

Hoje é Sexta-feira, 29 de Dezembro, tricentésimo sexagésimo terceiro dia do ano. Faltam dois dias para o final de 2006. Este dia é dedicado a S.Tomás Becket. Nos céus, a Lua encaminha-se para a Fase Plena. Lua Cheia, dia 03 de Janeiro, às 13:57. O sol nasce às 07:54 e o ocaso regista-se às 17:23. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 10:28 e 23:07, a baixa-mar, às 03:47 e 16:27. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Capricórnio, destacando-se o violencelista espanhol Pablo Casals (1876), o escritor Alves Redol (1911), a actriz norte-americana Mary Tyler Moore (1936), a cantora Marianne Faithfull (1946), o actor norte-americano Ted Danson (1947), o realizador de "Matrix", Andy Wachowski (1967) e o actor britânico Jude Law (1972).


publicado por Jorge Ferreira às 11:08 | link do post | comentar

Enquanto os portugueses gastaram 994 euros por segundo em compras durante o Natal, dando aparente e enganadora razão ao discurso patético do Primeiro-Ministro na sua mensagem de Natal, não lhes passou certamente pela cabeça de que assuntos se iriam tentar esquecer durante o próximo ano. Enquanto gastarem talvez outro tanto em reveillons efémeros também os problemas existenciais não farão certamente parte da ementa de passagem de ano.Mas é certo que em 2007 vamos necessariamente ouvir falar muito de certas coisas. Não é preciso ser emulação de Zandinga para perceber quais os assuntos previsíveis, já que os que não o são, por natureza ninguém conhece.
Em 2007 continuaremos a ouvir falar das crises do PSD e do CDS. A primeira só se resolve quando o líder for do agrado de Belém, o que obviamente sucederá quando cheirar a mudança de ciclo político. A segunda só se resolverá se alguém puser no seu lugar os talibãs políticos que atormentam tudo e todos naquele partido desde 1996.
Em 2007 continuaremos a ouvir falar de corrupção e do Apito Dourado. Parece que, muitos anos depois da corrupção ter começado a minar o Estado democrático, o assunto pegou de estaca, embora de essencial nada tenha ainda acontecido. Anuncia-se novo livro de Rui Mateus (agora com a Internet é mais difícil resolver o problema retirando a edição das livrarias). Anuncia-se também novo livro de Carolina Salgado e, nestas coisas como noutras, o mais importante é o que acontecerá sem anúncio antecipado…
Em 2007, Portugal assumirá no segundo semestre a Presidência do Conselho de Ministros da União Europeia. A comunicação social prestaria um excelente serviço ao rigor informativo se não falasse em Presidência da União, que não existe, mas em Presidência do Conselho de ministros da União, que é o que Sócrates será de Julho a Dezembro. Nesse semestre António Costa será mais Primeiro-Ministro cá dentro e a Constituição europeia voltará a ameaçar a tranquilidade europeia, desmentido todos aqueles que lhe vaticinaram prematura morte.
Em 2007, Durão Barroso será cada vez menos Presidente da Comissão Europeia e virá cada vez mais vezes a Portugal tentando construir um futuro qualquer, depois da triste figura que fez em 2004.Indirectamente ligado a este assunto está um outro a que se tem dado pouca atenção em Portugal, mas que terá em 2007 um ano chave: o problema das transferências de prisioneiros em voos secretos da CIA, de que muitos souberam, mas poucos confessaram até agora. Por cá talvez alguns avanços e recuos internos e aparentemente inexplicáveis, se devam a este problema. Parece que toda a gente está à espera da confissão americana para ir atrás. Ainda bem que desta vez Vasco Rato não prometeu nada em público, como fez com as armas de destruição maciça no Iraque.No quotidiano popular o ano abrirá em clima de confiança como o Primeiro-Ministro gosta. Confiança que em 01 de Janeiro os combustíveis, a água, a luz, o gás, o tabaco, os transportes, as taxas de juro, tudo vai aumentar. Que feliz que deve ser um país onde os governantes, afinal, não mentem como na Hungria….
PS Aos leitores, profissionais e colaboradores do Semanário desejo um excelente Ano Novo.

(publicado na edição de hoje do Semanário)


publicado por Jorge Ferreira às 00:51 | link do post | comentar | ver comentários (1)

(Tartaruga)

Aborto: o tema em que todos os nãos serão sempre provisórios e só um sim será definitivo. As esquerdas, com o auxílio prestimoso e cúmplice de alegadas direitas, conseguiram impôr novo referendo, sem que ninguém dentro do sistema tenha tido a coragem de se opôr. Bem mais importante é defender a natalidade, mas aí ninguém faz nada. É mais difícil e não dá títulos nos jornais.
Aveiro: é um dos distritos com mais desemprego, mais insegurança e mais crise social do país. É dos que mais condições tem para sair da crise. Tem empresas, ainda, investidores, ainda e dinâmica. Falta-lhe estratégia e autarcas com capacidade de liderança.
Câmara Municipal de Aveiro: um ano depois de ter ganho as eleições a coligação CDS/PEM/PSD ainda não foi capaz de apurar a dívida municipal. Os problemas que existiam, agravaram-se. Élio Maia é uma sombra do eficaz Presidente de Junta que foi. A mais insignificante promessa eleitoral está por cumprir. Um desastre que lembra o desastre que foi a mesma coligação, sem PEM, no Governo de Durão Barroso e Santana Lopes.
Cavaco Silva: eleito à primeira volta entra na história como o primeiro Presidente da República, que chega a Belém sem o apoio do PS. Já se percebeu que isso não é problema para Sócrates. A dúvida é se o será para o PS sem Sócrates. Aguardamos a todo o momento que Augusto Santos Silva revele a fonte que lhe confidenciou que Cavaco Silva faria um golpe de Estado constitucional.
CDS de Aveiro: procura-se. Dão-se alvíssaras. Poucas.
Défice: agora é que vinha a calhar um Presidente que dissesse que “há mais vida para além do défice”. Todos falam dele, a começar pelos que o criaram, com Cavaco Silva à cabeça. Os que o causaram, os que o agravaram, os que o ignoraram, os que dele se alimentaram e ainda se alimentam no intervalo das brilhantes conferências, entrevistas e artigos que fazem contra ele. O mais estranho é que os responsáveis pela desgraça colectiva, pelo menos muitos deles, continuem a falar como se nenhuma responsabilidade tivessem no cartório. Até quando? Só até nos voltarmos a lembrar que não devem merecer mais a nossa confiança política.
Educação: estão contas por fazer com os irresponsáveis que neste ministério, ao longo de anos, decidiram programas, impuseram métodos de estudo, impuseram manuais, definiram regras de avaliação, que reduziram a autoridade nas Escolas e fomentaram a ignorância e a impreparação de gerações inteiras de jovens. É pena é que os sindicatos dos professores continuem na idade do PREC e se esqueçam que a melhor forma de prejudicar a imagem dos professores é manter o tipo de “luta” que vêm prosseguindo.
Empresas Municipais: continua a vergonha do esbanjamento, do clientelismo, da corrupção neste mundo oculto de despesa e desperdício. Em Lisboa criaram mais uma, em Aveiro não extinguiram nenhuma. A EMA, em Aveiro e a EPUL em Lisboa, são bem os paradigmas do emprego político, do despesismo e da inutilidade. E da impunidade também. Qualquer dia é preciso um processo do género “Empresa Municipal Dourada” para acabar com o regabofe.
Futebol: desceu aos fundos dos infernos. O que menos interessa é o jogo em si. Isto diz tudo sobre a degradação total a que chegou a indústria em Portugal. Um caso siciliano.
Governo: sem desculpa para o que falhar. Tem a maioria em São Bento, não tem oposição, tem um amigo em Belém. E tem sobretudo muita distracção popular com o acessório. Se não for desta quando será?
Iberismo: a defesa do iberismo conheceu ao longo do ano grandes aliados. Ministros que defendem a união com Espanha, que já deviam ter sido redondamente demitidos, como Mário Lino, políticos ditos patriotas que para atacarem a classe política portuguesa elogiam os seus colegas espanhóis, como o deputado fantasma por Aveiro Paulo Portas, investimentos portugueses feitos e decididos em função da vontade dos nossos vizinhos (ver TGV). Mais um combate a travar.
Justiça: a surpresa do ano. O novo Procurador-Geral nomeou Maria José Morgado para coordenar o caso conhecido por “Apito Dourado”. O futuro dirá se o fez por entretém ou por convicção. Continuo convencido que se a vontade fosse mesmo combater a corrupção Maria José Morgado devia voltar ao lugar de onde foi forçada a demitir-se na Polícia Judiciária, por incomodar ministros do CDS e do PSD, em 2003. Mas seria muito bom para a saúde do país que tivesse sucesso na missão que lhe foi atribuída e que aceitou.
Livros: quando uma senhora que trabalhou dignamente numa casa de alterne consegue mandar escrever o livro do ano, o estado de saúde da sociedade portuguesa, sobretudo o da sua Justiça, está pelas ruas da amargura. Se os processos complicados só voltarem a andar à força de livro, 2007 promete, digo eu…
Maternidades: muitas fecharam e em nome de critérios económicos. Esperemos apenas que esta decisão não contribua, a prazo, para o congestionamento ainda maior do litoral e com ele para o aumento, ainda mais significativo, dos custos. Será que se isso acontecer o actual Ministro da saúde vai reconhecer o seu erro?
Nova Democracia: realizou o seu 3º Congresso e assumiu sem complexos e com total clareza, ser um partido da direita conservadora e liberal, patriótico, soberanista, popular. Defensor do presidencialismo, da taxa única nos impostos sobre o rendimento e do fim do rendimento mínimo para quem pode trabalhar, os conservadores liberais portugueses fecham o ano já com os olhos postos em 2009.
Ota: o negócio do século. Contra a opinião da esmagadora maioria dos cidadãos o aeroporto da Ota é uma prioridade do Governo. Não do país. Apesar de estudos em contrário, que testemunham estarmos perante uma péssima opção. Portugal continua assim entregue a pessoas, neste caso a políticos, para quem as dificuldades a enfrentar são coisa pouca perante os benefícios que alguns, no presente, podem receber. O défice tem sobrevivência assegurada no longo prazo. Curiosamente apesar desta “ousadia” decisória, ninguém nos informa quanto à titularidade dos terrenos em que o aeroporto será construído. Nem quanto à data da respectiva aquisição. Porque será?
Pescas: foi um mau ano para os pescadores portugueses. A par de preços dos combustíveis que afectaram a rentabilidade das nossas embarcações, surgiu ainda um ministro autista, aliado dos interesses exclusivos de quem importa, protector da vontade de Bruxelas. As pescas, sector onde já fomos fortes entre os fortes, atravessam uma grave crise e ela não resulta apenas das circunstâncias ou do acaso. Resulta da má vontade dos governos nacionais que, ano após ano, as abandonam e hipotecam.
Prós & Contras: o programa de Fátima Campos Ferreira foi desigual durante o ano, muitas vezes teve ministros a mais e informação a menos, mas por ele passaram dos debates políticos mais vivos e decisivos do ano, como foram por exemplo os que juntaram Manuel Maria Carrilho e Ricardo Costa e Fernando Ruas e António Costa. Um oásis na televisão estupidificante a que noutros horários nem a RTP consegue fugir. Já agora, que é feito dos debates parlamentares por onde outrora passava a conflitual idade política democrática do país?
Questão social: problema presente na sociedade portuguesa, fruto das assimetrias de desenvolvimento. Um destes dias teremos de procurar a classe média de lanterna na mão…
Referendo: em 11 de Fevereiro vamos a votos. Eu voto NÃO. Em nome da liberdade de nascer. E de viver. É particularmente chocante que num mundo onde a facilidade de acesso aos meios contraceptivos se democratizou a um ponto até há bem poucos anos inimaginável, se continue a admitir a destruição de vidas humanas como se de pequenos ratos se tratasse.
Ribau Esteves: do melhor que o actual PSD tem. Mas como no melhor pano cai a nódoa, perdeu as eleições para a Distrital do PSD e cedeu aos encantos das empresas municipais na Câmara Municipal de Ílhavo.
Sol: o novo semanário é um acto de arrojo. Concorrente directo do Expresso, mexeu com o mercado da comunicação social e foi talvez o jornal português com melhor arranque em termos de tiragens e leitores da história da imprensa portuguesa. Parabéns aos seus fundadores e aos seus investidores.
TGV: finalmente conhecemos o traçado da linha do TGV (abreviatura de Tara Governamental Variável). E finalmente percebemos que esse traçado era, por mera coincidência, o que mais convinha a Madrid. Nós pagamos, Espanha escolhe. Perceberam o que faz Mário Lino no Governo?
União Europeia: com o problema da possível adesão da Turquia nos braços, os órgãos da União continuam a ter mais e mais poderes. Em nome de quem? Apenas de quantos querem rebentar, e de vez, com o que resta da soberania nacional.
Violência: passou definitivamente da sociedade para as escolas. E os relatórios aí estão para o demonstrar. Conseguirá ou quererá a ministra da Educação impor um modelo de disciplina que salvaguarde a autoridade dos professores e não continue a degradá-la?
Xenofobia: aumenta, infelizmente, todos os dias. Porque em nome de um pseudo-idealismo continuamos a adoptar políticas que não entendem a realidade da vida. E dos homens concretos.
Zona Económica Exclusiva: será certamente sempre zona e económica, mas por vontade de Durão Barroso e seus colegas comissários deixará brevemente de ser exclusiva. Do pouco que resta de nosso, corre o risco de passar para as mãos da União Europeia. É isto admissível? Não, não é, mesmo que a maioria dos nossos deputados europeus assim o entendam. “Ah, mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal”…
PS A todos os leitores, investidores e profissionais do Diário de Aveiro desejo, apesar das nuvens no horizonte, um excelente Ano Novo.
(publicado no Diário de Aveiro)


publicado por Jorge Ferreira às 00:16 | link do post | comentar

Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006
A minha prenda de Natal para o Presidente da Camara Municipal de Lisboa. No sapatinho de O Carmo e a Trindade.


publicado por Jorge Ferreira às 18:26 | link do post | comentar

"Para Ana Gomes, a única prisão que importa denunciar abertamente em Cuba é Guantánamo. Em relação a todas as outras, dirigidas há décadas pelo castrismo, teremos de pesar os aspectos positivos do regime. É pena que alguém perca assim qualquer legitimidade para falar de direitos humanos e dos ignominiosos voos da CIA.", por Tiago Barbosa Ribeiro, no Kontratempos.


publicado por Jorge Ferreira às 17:54 | link do post | comentar

Os desmancha-prazeres decidiram estragar-me as contas da entrada aqui de baixo. Apesar do Governo ter dado tolerância de ponto aos funcionários e agentes do Estado apenas no dia 26 de Dezembro, alguns serviços públicos preparam-se para dar uma dispensa do trabalho alternativa entre amanhã, quinta-feira, e terça-feira, dia 2 de Janeiro, desde que os serviços mínimos sejam assegurados. Mais contas de sumir.


publicado por Jorge Ferreira às 17:18 | link do post | comentar

Intolerância de Ponto, por J. L. Saldanha Sanches, em O Carmo e a Trindade.
Criaturinhas com o tamanho de um pequeno rato, por André Azevedo Alves, em O Insurgente.
Antena Islâmica, por Filipe Nunes Vicente, no Mar Salgado.
Quem Regula a Reguladora?, por BOS, no Nova Frente.


publicado por Jorge Ferreira às 16:50 | link do post | comentar


O ano de 2007 terá 365 dias. Desses, 52 são sábados, 52 são domingos, 14 são feriados nacionais, 1 será feriado municipal. Como 4 feriados nacionais calham em fins de semana, o ano que vem terá 254 dias úteis. Destes, 22 são de férias, 1 será tolerância de ponto (terça-feira de Carnaval). Se se repetir o que sucedeu em 2006, haverá tolerância de ponto na quinta-feira santa e no dia a seguir ao Natal. Por força do calendário haverá 5 pontes directas, resultantes de feriados à terça ou à quinta. Sobram assim 225 dias de trabalho.
</a>

Em 2007 cada português terá um dia de descanso por cada 1,60 dias de trabalho. Isto sem contar os jeitos frequentes que se fazem, as baixas médicas, as doenças ocasionais, as faltas justificadas por razões familiares, as greves, tantas vezes marcadas para proporcionar mais pontes e dias de inactividade do que aqueles que resultam directamente dos conflitos colectivos de trabalho. Eis-nos no âmago do modelo social europeu. Pela Europa desenvolvida mas deficitária, em que Portugal se inclui, este assunto é intocável. A dinâmica reivindicativa vai no sentido de trabalhar cada vez menos e ter cada vez mais tempo de descanso. O que obviamente encarece o custo dos bens e serviços com que pretendemos competir no chamado mercado global. Mais, a mesma dinâmica reivindicativa exige que o tempo de descanso seja cada vez melhor remunerado, como se de trabalho efectivo se tratasse. Esta é uma espiral que terá necessariamente um fim. Esperemos que não seja um fim de sumir.
(publicado na edição de hoje do Democracia Liberal)


publicado por Jorge Ferreira às 11:14 | link do post | comentar | ver comentários (2)

O bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, considerou hoje lamentável, imprópria e populista a decisão do Governo de controlar a assiduidade dos profissionais de Saúde, que, na sua opinião, só vai causar perturbações. Com certeza. É uma perturbação dos diabos controlar a assiduidade. Aliás, é uma perturbação controlar o que quer que seja: a higiene nos restaurantes, a contrafacção nas feiras, a fumança de charros nas ruas, a interferência do Governo na comunicação social, enfim, só chatices. E logo haviam de querer estragar o reveillon aos médicos com notícias destas....


publicado por Jorge Ferreira às 11:00 | link do post | comentar


(Maurice Ravel)

Nesta data, em 1836, a Espanha reconhecia a independência do México. Em 1895, o animatógrafo tinha a primeira sessão pública, com a apresentação do filme dos irmãos Lumiére, nas caves do Grand Café de Paris. Em 1937, morria o compositor francês Maurice Ravel, 62 anos, autor de "Bolero" e "Gaspard de la Nuit". Em 1942, a Gestapo e os oficiais SS de Adolf Hitler lançavam o processo de esterilização de mulheres, no campo de extermínio de Birkenau. Em 1948, era assassinado o primeiro-ministro egípcio Nobrashy Pasha. Em 1987 a inflação brasileira atingia o valor máximo de sempre, ao atingir 365,96 por cento. Em 1992, o presidente do Brasil, Fernando Collor de Mello, acusado de corrupção e tráfico de influências, demitia-se do cargo, sendo substituído por Itamar Franco. Em 1993, o Banco de Espanha intervinha no Banco Espanhol de Crédito, Banesto, substituindo os órgãos de administração. Em 1995, o Instituto Nacional de Estatística revelava que a taxa de desemprego em Portugal, durante o último Governo PSD do período 1985-95, subira para 7,3 por cento, o nível mais elevado da década. Em 1999, morria, em Paris, o costureiro Louis Férraud, 79 anos. Em 2000, morria o escultor português João Fragoso, 87 anos. Em 2004, era confirmada a vitória do líder da oposição ucraniana, Viktor Yuschenko, nas eleições presidenciais. Em Nova Iorque, morria Susan Sontag, 71 anos, escritora norte- americana, cineasta, autora de "Olhando o Sofrimento dos Outros" e "Contra a Interpretação", Prémio Príncipe das Astúrias, Prémio da Comendadora da Ordem das Artes e das Letras de França. Em 2005, era colocado em órbita o primeiro satélite experimental do sistema europeu de navegação Galileu, Giove A.


publicado por Jorge Ferreira às 10:55 | link do post | comentar

Hoje é Quinta-feira, 28 de Dezembro, tricentésimo sexagésimo segundo dia do ano. Faltam três dias para o final de 2006. Este dia é dedicado à Sagrada Família de Jesus. Nos céus, a Lua encaminha-se para a Fase Plena. Lua Cheia, dia 03 de Janeiro, às 13:57. O sol nasce às 07:54 e o ocaso regista-se às 17:22. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 09:18 e 22:00, a baixa-mar, às 02:36 e 15:19. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Capricórnio, destacando-se o compositor português João Domingos Bomtempo (1771), o actor teatral Luís Furtado Coelho (1831), o cientista inglês Sir Arthur E. Eddington (1882), o músico de Jazz Earl Hines (1903), o dramaturgo espanhol Manuel Puig (1932), a actriz britânica Maggie Smith (1934) e o actor norte-americano Denzel Washington (1954).


publicado por Jorge Ferreira às 10:49 | link do post | comentar

Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2006
A propósito do artigo de Rui Ramos hoje no Público, a propósito do facto de os Primeiros-Ministros francês e britânico terem sido recentemente ouvidos nos seus países em investigações em curso sobre corrupção, ler esta entrada de José, na Grande Loja do Queijo Limiano. Um cheirinho: "tentem imaginar o primeiro-ministro actual a ser convocado pela Maria José Morgado ou pela Cândida de Almeida ( para já não falar pelo chefe de brigada da PJ) para depor num processo qualquer. Olhem: pode ser o do Freeport.".


publicado por Jorge Ferreira às 23:31 | link do post | comentar

Segundo o Público de hoje, os cavaquistas do PSD foram encarregues por Marques Mendes de fazer o programa do PSD. Assim, fica a faltar só o líder, para o PSD ficar a gosto de Belém. É uma questão de tempo. Meneses é que já percebeu e está apenas a fazer preço.


publicado por Jorge Ferreira às 11:42 | link do post | comentar | ver comentários (1)

"A segunda mensagem de Natal de Sócrates é para esquecer. A melhoria do clima de confiança não enche a barriga dos portugueses.O chefe do governo, num momento de sinceridade política, ainda acabou por assumir que Portugal «tem ainda um longo caminho pela frente».É verdade. O país está longe de ter ultrapassado as dificuldades, que resultam das políticas escandalosas dos últimos vinte e cinco anos."
Rui Costa Pinto, na Visaoonline.
Em que país vivemos? Com que dinheiro vivemos? Aprendemos alguma coisa com o que nos aconteceu nos últimos anos? As respostas: vivemos num país em que se pensa que podemos e devemos ter tudo rapidamente sem esforço. Vivemos obviamente com o dinheiro que ainda não temos. Claro que não aprendemos. E, segundo Sócrates, a confiança está de volta. O dinheiro é que não.


publicado por Jorge Ferreira às 11:36 | link do post | comentar

António Guterres continua a ser julgado.


publicado por Jorge Ferreira às 11:33 | link do post | comentar

"Na TVI passa uma reportagem sobre adolescentes grávidas. Fala uma menina de doze - 12 - anos com uma filha. Pergunta a jornalista: "sabes quem é o pai"? Responde a menina: "Não tenho a certeza porque andava com dois ao mesmo tempo. Como um não quer assumir ser o pai, fica o outro." Pergunta a jornalista: "Mas não tens a certeza que seja esse o pai?". Responde a menina: "Não, mas fica este. Mas vou fazer os testes". Doze anos, mãe. Todos os intervenientes - a mãe da menina, psicólogas, médicos e o profeta Daniel Sampaio que imagina andar a impingir a "educação sexual" das meninas e dos meninos na escola - vêem a coisa com a maior complacência e irresponsabilidade. Qual é mesmo o exemplo, senhor engenheiro? A Finlândia ou o Burundi?"
João Gonçalves, no Portugal dos Pequeninos.
Rigorosamente nada a acrescentar. Ou talvez sim. Segundo a teoria dos pequenos ratos, talvez a criança devesse ter sido desinfestada a tempo, não?...


publicado por Jorge Ferreira às 11:13 | link do post | comentar

(Tratado de Methuen)

Nesta data, em 1703, Portugal e a Inglaterra assinavam o Tratado de Methuen, que abria as fronteiras às mercadorias inglesas e dava entrada aos vinhos portugueses em Inglaterra com abatimento de um terço dos direitos. Em 1900, começava a reforma sanitária de Ricardo Jorge, com a publicação do regulamento da organização geral dos Serviços de Saúde Pública, definidos pelo investigador português. Em 1927, a facção de José Estaline prevalecia no congresso dos sindicatos da URSS, conduzindo à expulsão de Leon Trotsky do Partido Comunista. Em 1945, era criado o Banco Mundial, no contexto dos acordos da Conferência de Bretton Woods, realizada em Julho de 1944. Em 1977, morria o cineasta norte- americano Howard Hawks, realizador de "Ter ou Não Ter". Em 1979, a União Soviética invadia o Afeganistão. O presidente do país, Hafizullah Amin, foi deposto e executado, sendo substituído por Babrak Karmal. Em 1991, o partido fundamentalista islâmico vencia as primeiras eleições legislativas pluripartidárias da Argélia. Em 2003, morria o actor Alan Bates, 69 anos, protagonista da peça de John Osborne "Look Back in Anger", intérprete de "O Mensageiro" e "The Gosford Park". Em 2005, o Ministério da Educação propunha uma validade de três anos para o concurso de colocação de professores, em 2005, com a passagem, depois, à periodicidade quadrienal.


publicado por Jorge Ferreira às 11:08 | link do post | comentar

(Louis Pasteur)

Hoje é Quarta-feira, 27 de Dezembro, tricentésimo sexagésimo primeiro dia do ano. Faltam quatro dias para o final de 2006. Este dia é dedicado a São João, apóstolo e evangelista, e a Santa Fabíola. Nos céus, a Lua atinge o Quarto Crescente, às 14:48. O sol nasce às 07:54 e o ocaso regista-se às 17:21. No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 08:13 e 20:53, a baixa-mar, às 01:32 e 14:13. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Capricórnio, destacando-se o astrónomo alemão Johannes Kepler (1571), o dramaturgo João da Câmara (1852), o cientista francês Louis Pasteur (1822), o actor português Carlos Leal (1877), a actriz Marlene Dietrich (1901), o jornalista, jurista e escritor alemão Sebastian Haffner (1899), os actores franceses Michel Piccoli (1925) e Gérard Depardieu (1948).


publicado por Jorge Ferreira às 11:02 | link do post | comentar

Terça-feira, 26 de Dezembro de 2006
Ramos Horta e Bin Laden, afinal, são irmãos. Não tarda ainda atribuem o Nobel da Paz a Osama.


publicado por Jorge Ferreira às 22:16 | link do post | comentar


(A Esfera dos Livros)
Com prefácio de Diogo Freitas do Amaral, este livro de Felícia Cabrita, que se lê de sopetão, mostra-nos uma das razões pelas quais o fascínio sobre Salazar tem lentamente tomado conta de certa intelectualidade, sobretudo de esquerda. Afinal, o homem era normal. Galanteava, conquistava, namorava, descreu até da Fé e, com a arte que usou na política, manipulava amores e sentimentos. Muito longe, portanto, da imagem casta e alva que o regime quis dele projectar e da imagem atrasada e anormal que convinha à esquerda mostrar. Excelente investigação de Felícia Cabrita.


publicado por Jorge Ferreira às 20:36 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Qual não foi o meu espanto quando vi hoje um médico espanhol fazer um diagnóstico da saúde do ditador Fidel para as televisões. Não é que não soubesse que o ditador Fidel está doente. Não é que não soubesse que enquanto o seu povo adorado vive na miséria o ditador Fidel usa roupa odiosamente capitalista da ADIDAS. Agora, o que eu não esperava é que na tão gabada medicina cubana, alegadamente uma das mais douradas conquistas revolucionárias que o ditador Fidel dispensou ao seu adorado povo, não houvesse um-médico-um capaz de tratar à confiança o ditador Fidel. O farol da Revolução recorreu ao antigo colonizador para ficar descansado. Ou essa do sistema de saúde cubano não passa de mera propaganda para aconchegar o seu amigo Saramago?


publicado por Jorge Ferreira às 18:39 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Francisco José Viegas é um maçador. No meio das filhozes e dos resíduos sólidos das prendas, deu-lhe para falar de Liberdade. Um chato, é o que é. As estrelas brilham, o Primeiro-Ministro (pura máquina) mensaja, os padres homiliam, Castro trata-se, Sharon dorme, Bush não se sente lá muito bem, Cavaco Silva deve estar a comer bolo rei a recato e vêm estes maduros falar do chip, dos cartoons e das heterodoxias. A Nostalgia da Liberdade é de ler e guardar. Como isto anda, acho que ainda vai ser útil muito mais cedo do que aquilo que o autor pensa...


publicado por Jorge Ferreira às 18:33 | link do post | comentar

Não quererás o fácil, mas somente
o que não podes atingir.
Apenas o impossível é urgente:
tudo o mais há-de vir
por acréscimo ou simples acidente.


Não sonharás senão com o que está
para além de todo o sonho:
por mais absurdo e medonho,
só é real o que não há.


Torquato da Luz.


publicado por Jorge Ferreira às 18:07 | link do post | comentar

(Sir Nigel Hawthorne)

Nesta data, em 1898, Pierre e Marie Curie anunciavam à Academia das Ciências de Paris a descoberta do elemento Rádio. Em 1901, terminava a construção do caminho de ferro do Uganda, que liga Mombaça ao Lago Vitória. Em 1979, o preço do ouro ultrapassava, pela primeira vez na história, o número recorde de 500 dólares por onça. Em 1972, morria o antigo presidente dos Estados Unidos Harry Truman. Em 1989, as cheias do Rio Tejo isolavam várias povoações ribatejanas e desalojavam algumas dezenas de pessoas. Em 1991, 13 milhões de argelinos votavam nas primeiras eleições legislativas pluripartidárias. Em 1993, em Berlim, era profanado o túmulo de Marlene Dietrich. Em 2000, morria Carlos Brito Mendes, 58 anos, professor da Faculdade de Psicologia de Lisboa, pioneiro no estudo das ciências cognitivas em Portugal e fundador do Museu da Percepção.

Em 2000, morria o actor norte-americano Jason Robards, 78 anos, protagonista de "A Thousand Clowns", "Filadélfia" e "Magnólia", Óscar de melhor actor pelos papéis em "Júlia" e "Os Homens do Presidente". Em 2001, morria Sir Nigel Hawthorne, 72 anos, actor britânico conhecido pelo seu desempenho no papel de Sir Humphrey, na série televisiva Sim, Senhor Ministro. Em 2003, um sismo arrasava a cidade iraniana de Bam, causando a morte a cerca de 40 mil pessoas. Construída em adobe, Bam fora reconhecida Património Mundial, pela Unesco. Em 2004, um sismo com a intensidade de 8,9 na escala de Richter, seguido de maremoto, devastava o sudeste asiático, causando perto de 200 mil mortos, sobretudo na Indonésia, Sri Lanka, Índia, Tailândia, Malásia e Bangladesh. No mesmo dia, eram repetidas as eleições presidenciais na Ucrânia.


publicado por Jorge Ferreira às 18:01 | link do post | comentar

(Marlene Dietricht)

Hoje é Terça-feira, 26 de Dezembro, tricentésimo sexagésimo dia do ano. Faltam cinco dias para o final de 2006. Este dia é dedicado a Santo Estevão. Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Crescente. Quarto Crescente, dia 27, às 14:48. O sol nasce às 07:54 e o ocaso regista-se às 17:20. O porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 07:15 e 19:50, a baixa-mar, às 00:34 e 13:13. Os nascidos nesta data pertencem ao signo Capricórnio, destacando-se o escritor francês René Bazin (1863), o escritor norte-americano Henry Miller (1891), o líder chinês Mao Tse-Tung (1893), Marlène Dietrich (1901), o actor Richard Windmark (1914) e José Ramos Horta, Nobel da Paz, ministro dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste (1949).


publicado por Jorge Ferreira às 17:58 | link do post | comentar

Domingo, 24 de Dezembro de 2006

A todos os leitores (mesmo...) e a todos os amigos do Tomar Partido, desejo um Feliz Natal.


publicado por Jorge Ferreira às 19:45 | link do post | comentar | ver comentários (3)

A um ser humano que acha que já foi roedor tenho apenas uma coisa a dizer: tenha um Feliz Natal! Sabe, nem toda a gente desce ao seu nível, por isso esta é a minha única resposta. Não vá passear. Sente-se, que talvez isso passe...


publicado por Jorge Ferreira às 19:34 | link do post | comentar


(Tirado daqui)


publicado por Jorge Ferreira às 19:02 | link do post | comentar

"No governo, Sócrates fez discretamente o que Santana indiscretamente anunciou que ia fazer e não fez: controlar a informação e, através dela, o público, os média e os ministros. Só chega cá fora o que ele quer e a imagem dele é o que é, porque não há outra. E, para acabar, também no Estado, Sócrates removeu uma a uma as "forças de bloqueio", em potência e em acto, e removerá as que aparecerem com a mesma dureza e o mesmo método." Vasco Pulido Valente, no Público.


publicado por Jorge Ferreira às 13:00 | link do post | comentar | ver comentários (2)

JORGE FERREIRA
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


ARQUIVOS

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds
tags

efemérides(867)

borda d'água(850)

blogues(777)

josé sócrates(537)

ps(339)

psd(221)

cavaco silva(199)

pessoal(182)

justiça(180)

educação(150)

comunicação social(139)

política(137)

cds(126)

crise(121)

desporto(120)

cml(116)

futebol(111)

homónimos(110)

benfica(109)

governo(106)

união europeia(105)

corrupção(96)

freeport de alcochete(96)

pcp(93)

legislativas 2009(77)

direito(71)

nova democracia(70)

economia(68)

estado(66)

portugal(66)

livros(62)

aborto(60)

aveiro(60)

ota(59)

impostos(58)

bancos(55)

luís filipe menezes(55)

referendo europeu(54)

bloco de esquerda(51)

madeira(51)

manuela ferreira leite(51)

assembleia da república(50)

tomar(49)

ministério público(48)

europeias 2009(47)

autárquicas 2009(45)

pessoas(45)

tabaco(44)

paulo portas(43)

sindicatos(41)

despesa pública(40)

criminalidade(38)

eua(38)

santana lopes(38)

debate mensal(37)

lisboa(35)

tvnet(35)

farc(33)

mário lino(33)

teixeira dos santos(33)

financiamento partidário(32)

manuel monteiro(32)

marques mendes(30)

polícias(30)

bloco central(29)

partidos políticos(29)

alberto joão jardim(28)

autarquias(28)

orçamento do estado(28)

vital moreira(28)

sociedade(27)

terrorismo(27)

antónio costa(26)

universidade independente(26)

durão barroso(25)

homossexuais(25)

inquéritos parlamentares(25)

irlanda(25)

esquerda(24)

f. c. porto(24)

manuel alegre(24)

carmona rodrigues(23)

desemprego(23)

direita(23)

elites de portugal(23)

natal(23)

referendo(23)

apito dourado(22)

recordar é viver(22)

banco de portugal(21)

combustíveis(21)

música(21)

pinto monteiro(21)

bcp(20)

constituição(20)

liberdade(20)

saúde(19)

augusto santos silva(18)

cia(18)

luís amado(18)

todas as tags