1 comentário:
De Zé da Burra o Alentejano a 6 de Maio de 2009 às 16:36
Não me parece que o problema seja o facto do financiamento dos partidos ser em "cash" ou não. Mais importante do que isso é saber qual a origem do dinheiro, porque se tem origem desconhecida será sempre suspeito de poder ter origem ilícita o que é condenável; ou não será? Também não me parece que ande por aí gente a distribuir milhões pelos partidos a troco de nada. Quanto às receitas da festa do "Avante" e do PC, desde que sejam contabilizadas e correspondam com as facturadas não vejo onde está o inconveniente: são receitas geradas pelo próprio partido e não são própriamente DÁDIVAS DE DINHEIRO, porque correspondem às receitas das entradas no recinto de festas e das vendas nos bares e restaurantes nele espalhados, bem como da venda de produtos recolhidos pelos vários Centros do PC em todo o país. Quanto às despesas para a montagem do evento, são mais reduzidas do que se poderia supor, uma vez que grande parte do trabalho é gratuito e oferecido pelos militantes do PC. Não conheço outro partido que consiga mobilizar os seus militantes para uma contribuição pessoal termos de trabalho dessa grandeza.

Zé da Burra o Alentejano


Comentar post