Terça-feira, 14.04.09

A Direcção-Geral da Saúde teve conhecimento de apenas dez coimas aplicadas por incumprimento da Lei do Tabaco, num total de 272 processos que deram entrada na Comissão de Aplicação de Coimas em Matéria Económica e de Publicidade. Por curiosidade poderiam informar se houve processo contra-ordenacional e eventual coima ao cidadão José Sócrates Pinto de Sousa por infracção cometida a bordo de um avião, mais o seu ministro da Economia?



publicado por Jorge Ferreira às 19:33 | link do post | comentar

Sexta-feira, 13.02.09
Os Estados e as sociedades têm uma relação equívoca e interesseira com os vícios. Proíbem certos vícios, criminalizam outros e permitem uns quantos. Frequentemente têm um discurso moralista quanto a alguns vícios, dos quais não se inibem de extrair as maiores vantagens fiscais e económicas que podem.

O Estado português, por exemplo, seguindo o politicamente correcto vigente, decidiu empreender uma cruzada anti-tabágica com a aprovação de uma lei restritiva relativamente ao consumo de tabaco em locais públicos. A lei é tão restritiva que nem o Primeiro-Ministro resistiu à sua própria lei e foi apanhado a fumar o seu cigarrito num avião, o que é proibido.

No âmbito desta cruzada, estava previsto um aumento de 15% ao ano no imposto sobre o tabaco até 2009. Mas no último ano da legislatura o plano não será cumprido. O contrabando, a falsificação, a diminuição abrupta do consumo em Portugal e as fracas receitas fiscais fizeram o Governo abandonar a meio o seu plano de aumento acentuado do imposto sobre o tabaco lançado em 2005 e que deveria durar até ao final do presente ano.

 
No Orçamento do Estado, leia-se, no primeiro Orçamento de Estado para este ano, o Governo decidiu proceder a uma actualização do imposto de apenas 1,4%, ou seja, abaixo da inflação prevista e que leva a um acréscimo de menos de dois cêntimos por cada maço de tabaco. Entre 2006 e 2008, as subidas do imposto sobre o tabaco tinham sido, sempre, superiores a 10%, aproximando-se daquilo que tinha sido planeado pelo Governo socialista assim que tomou posse.

No Programa de Estabilidade e Crescimento publicado em Junho de 2005, o Executivo previa "uma subida nominal média do imposto arrecadado por maço de tabaco de 15% em cada ano de 2006 a 2009". A ideia, lia-se no documento, era "ajudar a financiar as pressões estruturais no sentido do crescimento da despesa no sector da saúde".

 
 
Entre 2006 e 2008, embora nunca atingindo o objectivo delineado, o imposto cobrado sobre cada maço de tabaco subiu a um ritmo elevado, um facto sentido por todos os consumidores de tabaco. Mas, chegados ao último ano da legislatura, o Governo optou por não levar a estratégia até ao fim.

O Ministério das Finanças justificou esta mudança de política da seguinte forma: "Não fomentar o contrabando e a contrafacção, não fomentar o desvio de compras para Espanha e manter a base tributável em Portugal, de forma a evitar o efeito da curva descendente de Laffer." Esta curva é usada, na ciência económica, para mostrar que uma subida das taxas de um imposto pode, a partir de determinado ponto, não resultar num aumento da receita. Isto é, o Governo está agora convencido de que, se voltar a subir o imposto sobre o tabaco, a receita não vai aumentar, mas sim diminuir.

Ora bem: nada melhor que o Sr. Laffer para pôr o higienismo dominante nos ministérios em sentido.

Os momentos de crise são especialmente aptos para testar os moralismos governamentais, mas também os moralismos sociais em relação aos vícios legais. Agora, são as estações de televisão americanas que decidiram quebrar a regra de auto-regulação que baniu a publicidade ao alcoól das televisões. Assim uma espécie de “lei seca” no audiovisual. As marcas de bebidas alcoólicas, há muito afastadas das principais cadeias de televisão nos Estados Unidos, estão prestes a voltar em força. Isto tem uma explicação simples: a crise que o mercado publicitário atravessa.

 
Para começar, a Absolut Vodka apareceu na CBS durante a 51.ª edição dos Grammy Awards, no domingo à noite, com o seu novo anúncio Hugs (Abraços), quebrando o embargo voluntário ao álcool combinado pelas principais estações de televisão dos EUA. O facto já criou polémica com os inevitáveis advogados perspicazes a descobrir eventuais fontes de indemnização por danos causados a argumentar que os menores de 21 anos já vêem demasiada comunicação sobre as bebidas alcoólicas.

Em Portugal, só é permitida publicidade a bebidas alcoólicas depois das dez e meia da noite, existindo ainda um código de auto-regulação e de boas práticas criado pela própria indústria. Em 2001, a NBC tornou-se a primeira cadeia de televisão a colocar publicidade num conteúdo seu (Saturday Night Live), ao promover a vodca Smirnof. A polémica foi enorme, apesar de forte campanha paralela de consciencialização para os perigos do consumo excessivo de álcool. Os inevitáveis grupos de advogados e o Congresso pressionaram a ponto de a NBC retirar esta publicidade. Desde então a mesma estação fez outras tentativas, através das suas filiadas, com as marcas Bacardi e Grey Rose.

Como se vê, não existe melhor teste às convicções dos Estados e das sociedades sobre os vícios legais que uma forte crise. Quando as receitas fiscais caiem abruptamente e quando a publicidade desaparece dos ecrans, normalmente os vícios deixam de ser aparentemente tão maus o quanto são “pintados” nos belos discursos sobre a saúde pública, a pureza sanitária e a vida saudável.

(publicado na edição de hoje do Diário de Aveiro)
(Foto)


publicado por Jorge Ferreira às 11:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 26.01.09

O Supremo Tribunal de Nova Deli revogou a decisão do Governo que proibia actores e actrizes de fumarem nos filmes. A justificação é esta: "Um filme de ficção deve reflectir a realidade do dia a dia. Fumar é uma realidade, que pode ser indesejável, mas existe", declarou o juiz Kishan Kaul. A proibição de fumar em filmes foi instaurada em 2005. O argumento era que heróis fumadores davam 'glamour" ao acto de fumar. O realizador Mahesh Blatt entregou na justiça um pedido de revisão da proibição, que agora foi cancelada pelo Supremo Tribunal. 

 

Por cá, continua a hipocrisia anti-tabágica do Governo. Estava previsto um aumento de 15% ao ano no imposto sobre o tabaco até 2009, mas este ano o Governo não vai proceder ao aumento. O contrabanod, a falsificação, a diminuição do consumo e a diminuição da sreceitas fiscais estão na origem da decisão. Este ano o aumento vai ser de apenas 1,4%, o que levará a um aumento de menos de dois cêntimos por maço de tabaco. Ora cá está a hipocrisia estatal anti-tabágica mais uma vez à vista. Quando a conversa é sobre os impostos, não há Francisco George que valha.



publicado por Jorge Ferreira às 12:07 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 01.10.08

Manuel Pinho continua a fumar onde é proibido. O ministro que tutela a ASAE continua a violar a lei que compete à ASAE fiscalizar, sem auto, sem coima, sem vergonha. Gente poderosa é assim. Está acima da lei. E ri.



publicado por Jorge Ferreira às 01:17 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 01.07.08

A partir de hoje é proibido fumar nos bares e nos restaurantes holandeses. É proibido fumar mas apenas tabaco. A cannabis pode continuar a fumar-se calmamente nos mesmíssimos bares e restaurantes. Eis um Estado supostamente civilizado em que se decidiu incentivar o consumo de droga. São as taras do mundo moderno a que o politicamente correcto conduz vertiginosamente.


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 16:10 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Domingo, 18.05.08

O inenarrável José Sócrates descansou o partido: não padece do sindroma da abstinência tabágica. Ficamos todos mais descansados. Mas, entretanto, ocorreu-me uma leve ideia de que naquela peça de propaganda emitida há uns meses na Sic-Notícias sobre a vida do Primeiro-Ministro, o mesmo afirmou que já tinha deixado de fumar. Foi ou não foi? Era ou não foi? Ia fondo? Ou está sendo? Cada cavadela sua minhoca.



publicado por Jorge Ferreira às 19:06 | link do post | comentar

Sábado, 17.05.08

Alguém terá coragem para aplicar a lei a José Sócrates? Começou o jogo do empurra. A ASAE, pasme-se!, diz ter dúvidas. Enquanto pisa novamente o risco da falta de senso, brincando com a pobreza e com a miséria, A ASAE só tem dúvidas sobre se se pode fumar nos casinos, onde o seu chefe foi apanhado a fumar e nos aviões. De resto a ASAE nunca tem dúvidas. Algum dia havia de as ter. Pena que tenha sido logo com o Primeiro-Ministro. Já a DGS, do intransponível George, diz que não fala do chefe. A palhaçada continua.



publicado por Jorge Ferreira às 17:07 | link do post | comentar

Sexta-feira, 16.05.08

José Sócrates diz que só falta ser chicoteado por fumar, queixando-se certamente do calvinismo do seu Governo e do seu Director-Geral da Saúde, entretanto regressado à justa sombra. Cavaco Silva afirma com perceptível asco vocal que não é viciado (que estranha mania deu agora. Eis o fundamentalismo calvinista no seu melhor.



publicado por Jorge Ferreira às 12:13 | link do post | comentar

Os fumadores estão gratos a José Sócrates. Ao decidir puxar umas cigarradas num avião fretado pelo Governo para levar uma comitiva de políticos, jornalistas e empresários a um país que financia organizações terroristas, o Primeiro-Ministro veio dar um contributo importante para a revisão da lei do tabaco.

 
Este aspecto não foi ainda devidamente realçado. Descobriu-se esta semana que é costume, nos voos fretados por Belém e S. Bento, os convivas fumarem à vontade. No fundo, eles sentem-se numa propriedade privada e não num transporte público como outro qualquer.
 
Aí está uma crítica certeira à lei do tabaco que José Sócrates, servindo-se da maioria absoluta que tem no Parlamento decidiu impor a todos os cidadãos.
 
O episódio do cigarro a bordo revelou também o tipo de pessoa que Sócrates é como político, governante e decisor.
 
Primeiro pormenor: Sócrates disse que não conhecia a lei do tabaco. Extraordinária afirmação. Uma lei proposta por ele, que proíbe fumar em todo o lado excepto em dois ou três sítios, não foi capa de entrar na zona de cognoscibilidade do seu autor. Está aqui um problema para alguém devidamente especializado nos problemas do conhecimento resolver.
 
Segundo pormenor: Sócrates pediu desculpa. Fez bem. O arrependimento deve ser reconhecido como sinal de consciência, de culpa e de vontade de reinserção social, uma das grandes preocupações dos juristas contemporâneos para com os prevaricadores. Resta saber se este precedente não vai atolar o Primeiro-Ministro numa complexa agenda de arrependimentos, tantas foram as coisas em que não cumpriu o que prometeu.
 
Terceiro pormenor: Sócrates, não resistiu, neste episódio, ao seu reconhecido narcisismo. Anunciou ao mundo que vai deixar de fumar. Convém esclarecer que não precisa de medida tão radical, nem os portugueses chocados com o seu comportamento lho exigem. Pode continuar a dar a sua passita, desde que o faça nos mesmos locais em que autoriza o comum dos cidadãos a fazê-lo.
 
Quarto pormenor: faltou algo na declaração de Sócrates. Além de pedir desculpa, o Primeiro-Ministro deveria logo ter dito o seguinte “e pagarei a coima prevista na lei para a infracção que cometi, logo após ser notificado pela autoridade competente para o efeito”. Mas esta parte Sócrates não disse.
 
Resta a esperança que Sócrates tenha finalmente percebido que a lei do tabaco é excessiva e em coerência com o seu comportamento promova a respectiva alteração.
 
(publicado na edição de hoje do Semanário)


publicado por Jorge Ferreira às 00:30 | link do post | comentar

Quinta-feira, 15.05.08

[...] A “descoberta” do Público não deixa de pôr em xeque os próprios jornalistas, nomeadamente aqueles que costumam acompanhar as visitas oficiais do primeiro-ministro. Há muito tempo que é sabido, nas redacções, que o eng. Sócrates costuma fumar durante os voos oficiais: quase sempre na parte de trás do avião, junto dos jornalistas que, em muitos casos, partilham o mesmo vício. Para que não haja qualquer equívoco, devo dizer que eu, embora nunca tenha viajado com o primeiro-ministro, sempre tive conhecimento deste hábito. Devia tê-lo denunciado? Admito que sim. Se calhar deixei-me “enlaçar” por essa “relassa fraqueza” que “nos enche de culpada indulgência uns para os outros”. Mas confesso que tenho algumas dúvidas. Em qualquer caso e já que a história ganhou dimensão pública, penso que todos temos obrigação de nos confrontar com as nossas próprias responsabilidades.»

 

Constança Cunha e Sá, hoje no Público, via Da Literatura.

 

(Foto)



publicado por Jorge Ferreira às 10:54 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Manuel Pinho está caladinho como se não fosse nada com ele. Também terá de pagar a coimazita ou a ASAE, que aliás tutela, vai assobiar para o lado? Definitivamente engraçadíssima esta história da viagem de avião para Caracas. Já agora, poderá o Sr. ministro prestar ao país a relevante informação pessoal sobre se copiou o Primeiro-Ministro ao violar a lei, fumando e o vai igualmente copiar deixando o víciozinho?



publicado por Jorge Ferreira às 00:53 | link do post | comentar

Quarta-feira, 14.05.08

Sinceramente: estou-me nas tintas, passe o plebeísmo, sobre se Sócrates faz jogging ou não faz, ou sobre como preenche os seus tempos livres. É-me completamente indiferente saber se José Sócrates vai deixar de fumar ou não vai deixar de fumar, visto que fumar cigarros (ainda?) é uma actividade legal. Acho até possidónia a afirmação pública feita pelo próprio de que vai deixar de fumar, como se presumisse estarmos todos nós portugueses, exangues de curiosidade sobre esse facto. O pedido de desculpas é o mínimo, mas o que é assunto público relevante é se a Sócrates vai ser aplicada a sanção prevista na lei para a infracção que cometeu. Só isso. Diz o Código Civil que a ignorância da lei não é causa justificativa do incumprimento da lei. Ou o Código Civil também não se aplica a Sócrates?



publicado por Jorge Ferreira às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Jorge Miranda e Vital Moreira não têm dúvidas: o primeiro-ministro, José Sócrates, violou a Lei do Tabaco, ao fumar no avião fretado à TAP que o transportou de Lisboa para Caracas. A pergunta que resta, ainda por cima depois de se saber que nos vôos das visitas de Cavaco Silva também se fuma, o que vai fazer a ASAE? Isto, partindo do princípio que o Director da ASAE não está neste momento no Casino, claro.



publicado por Jorge Ferreira às 11:06 | link do post | comentar

Terça-feira, 13.05.08

Sócrates e Pinho violam a lei fumando a bordo do avião da TAP que os levou até Caracas. Com Sócrates a lei é para os reles súbditos. Sua Excelência D. José II, presumo que não se importe da memória de D. José I, está acima de pormenores legais. Depois da licenciatura atamancada, no mínimo, Sócrates dá um excelente exemplo ao país: de facto não devia ser permitido estar tanto tempo sem fumar. É pena é que o mesmo Sócrates imponha aos outros uma lei que se recusa a cumprir. Mas, afinal, estava apenas a treinar: a comitiva seguia para a Venezuela, um país estimulante para a arrogância e a arbitrariedade do poder. Assim, Chavez não estranhará a companhia. Eis uma boa altura para Sócrates actualizar o cartaz de campanha de Chavez: já os estou a ver, sentados numa poltrona, o companheiro Hugo de havano ao canto da boca e José de cigarrito da Tabaqueira pendurado do seu sorriso de campanha eleitoral. Um must.



publicado por Jorge Ferreira às 15:03 | link do post | comentar

Sábado, 22.03.08
Estado perde 108 milhões de impostos com tabaco. É bem feita!

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 00:24 | link do post | comentar

Sexta-feira, 25.01.08
O PS e do PSD defenderam ontem que as dúvidas levantadas em relação à lei do tabaco têm como objectivo "lançar a confusão" para "fugir ao cumprimento" da lei, mas estão convictos que a lei será cumprida. O deputado do PSD José Eduardo Martins defendeu que "as dificuldades que estão a ser levantadas têm vindo da parte dos interesses que querem fugir à aplicação da lei". Defendendo que a lei "é clara" e se "aplica a todos os espaços públicos fechados, incluindo os casinos", José Eduardo Martins manifestou-se convicto de que a lei "não será desvirtuada" na sua aplicação. “Se a lei ficar desvirtuada ou for mal aplicada, agiremos", afirmou, rejeitando que haja "dúvidas jurídicas legítimas" mas apenas "interesses que lançam a confusão e criam desinformação sobre a interpretação da lei".

A actividade legiferante do Estado tem várias especificidades indígenas. Leis feitas em cima do joelho, mal pensadas e mal redigidas, que uma vez em vigor revelam o efeito perverso de induzir uma aplicação individual a gosto. É dos livros que uma má lei é pior que nenhuma lei, porque legaliza a arbitrariedade.

A chamada lei do tabaco é o exemplo acabado deste mau costume. E a reacção do PS e do PSD ao fenómeno é exemplarmente paradigmático da cultura legislativa vigente. É evidente que a discussão do problema de fundo que a lei coloca é a mais importante, mas importa hoje chamar a atenção para aspectos que, não sendo de fundo, revelam a degradação do acto legislativo e a descredibilização da lei.

Entre as bizarrias a que temos assistido contam-se estas: a lei não é clara e não esclarece se é ou não aplicável aos casinos. A lei permite várias interpretações sobre as discotecas. Quem interpreta a Lei para resolver estes problemas? Os tribunais? Nã0. O legislador? Não. O Director-Geral de Saúde em conversa com os agentes económicos é que interpreta a lei. A lei obriga a que seja instalado adequado equipamento de ventilação nos estabelecimentos comerciais que optem por dispor de áreas de fumadores. Quais os tipos de equipamento admissíveis? Ninguém sabe. Embora o mesmo Director-Geral já tenha afirmado que ao nível da verdade científica não existe nenhum equipamento de extracção do ar que permita satisfazer os requisitos da lei!

Sou favorável a uma lei sobre o tabaco equilibrada e que componha todos os interesses em conflito. Não a uma lei, mal feita, incumprível e nessa medida hipócrita. Tão hipócrita como o é o Estado, que, sem coragem para decretar a proibição de fumar, continua a usar os fumadores que deseja reprimir em bombos de festa fiscal para efeito de cobrança de impostos sobre o tabaco.
(publicado na edição de hoje do Semanário)

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 00:11 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24.01.08
Já não ia às Varas Criminais de Lisboa, vulgo Tribunal da Boa-Hora, desde o ano passado. Ou seja, desde a idade das trevas, em que Portugal vivia intoxicado de nicotina por todos os lados. O dia estava calmo para o que já lá apanhei. Permitiu-me esse alívio, dedicar-me a alguns pormenores da instalação. E foi assim que percebi que no claustro, o qual confina directamente com a atmosfera exterior, só se pode fumar num bocadinho de ar livre. Tanta competência delimitadora do ar livre enterneceu-me. Mas rapidamente percebi que a emoção apenas tinha começado. Ao dirigir-me ao corredor da sala de audiências da 3ª Vara, corredor que, diga-se, se distende por uns parcos 12 metros de comprido, mais coisa, menos coisa, deparei-me com 8 (oito) avisos de proibição de fumar colados nas paredes. E percebi como naquele Tribunal se combatem militantemente as deficiências oftalmológicas dos cidadãos. Ainda se queixam da política de Correia de Campos...

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 19:28 | link do post | comentar

Quarta-feira, 23.01.08
"Não existe nenhuma disposição legal no território nacional que estabeleça limitações ao consumo de cigarros provenientes de partes da planta Zea mays ssp. mays, em recintos fechados destinados a utilização colectiva de forma a garantir a protecção da exposição involuntária ao fumo da combustão de produtos provenientes da planta Zea mays ssp. mays. Por isso se estiverem num café, poderão perfeitamente acender um CIGARRO DE BARBA DE MILHO e fumá-lo calma e legalmente. E se lá estiverem os homens da ASAE maior gozo terá esse cigarro."
Berta Helena, no As pequenas Coisas, via Luís Bonifácio, no Nova Floresta.


publicado por Jorge Ferreira às 22:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sábado, 19.01.08
"Se há salas de chuto, entrega de seringas nas prisões, dádivas de metadona aos toxico-dependentes, então o Estado vai ter de subsidiar restaurantes, bares e discotecas para o investimento em zonas de fumo. Que diabo, os nicotino-dependentes são tão doentes como os tóxico e com mais direitos: é que aqueles pagam impostos. "
LR, no Blasfémias.


publicado por Jorge Ferreira às 22:35 | link do post | comentar

Quinta-feira, 17.01.08
(Francisco George)

Este homem é Director-Geral de Saúde e decidiu, não se percebe por que carga de água, ter uma prioridade na vida: fiscalizar o cumprimento da lei do tabaco, de cujos impostos vem o seu ordenado, pelos estabelecimentos de restauração. Nunca lhe ouvi uma prioridade tão definitiva no múnus direccional. Deve estar feliz por ter finalmente encontrado uma coisa prioritária na sua vida. E eu que pensava que fiscalizar o cumprimento de todas as leis era para o burocrata uma prioridade. Ingenuidade minha. Prioritária é só a fiscalização da lei do tabaco. A isto chama-se arbitrariedade. Ilegalidade. Não há leis mais prioritárias que outras. E, por falar em prioridades, que tal dar uma vista de olhos aos jornais, senhor Director-Geral de Saúde?


publicado por Jorge Ferreira às 14:51 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 07.01.08
A propósito de um artigo de Pedro Magalhães, no Público, sobre a lei do tabaco, e a partir de alguns excessos e patetices escritas a propósito da crítica à lei, julgo ser necessário recentrar o debate. E o Hélder fê-lo bem. Eu só faço duas perguntinhas: primeira, com que direito o Estado me proíbe de abrir um restaurante para fumadores, onde os não fumadores irão se quiserem, da mesma forma que os fumadores têm toda a liberdade de irem a restaurantes de não fumadores? Segunda: com que direito um Estado que aponta para uma progressiva interdição de fumar se permite cobrar impostos sobre o tabaco?

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 22:00 | link do post | comentar

Domingo, 06.01.08
O Francisco fez aqui uma oportuna recensão de locais onde se pode comer e fumar. Dou mais uma contribuição. Em Tomar, o Pic Nic 3, pode ser acrescentado à lista.

tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 13:22 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 04.01.08
Alertado por comentário oportuno do Pedro Guedes, decidi inteirar-me e estou em condições de confirmar: o restaurante O Grand'Elias, sito à Av. Elias Garcia nº 111, em Lisboa, no quarteirão das instalações do Ministério da Educação, aceita comensais fumadores. Merece destaque e publicidade.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 12:20 | link do post | comentar

Quinta-feira, 03.01.08
Estou espantado com os noticiários da televisão. Reina a calma em todo o país. Nas peças que vi, faltaram referências às praças da província. Mas claro que os portugueses portaram-se com estoicismo e civismo. A lei do tabaco está a ser cumprida. Que esperavam? Que os fumadores desatassem a dar o exemplo como sucedeu com o Director da ASAE? Ou que desatassem aos tiros? A lei do tabaco será certamente a lei mais respeitada do país. Assim os não fumadores respeitassem as leis todas que têm de respeitar... Por mim, dei comigo a poupar no almoço do restaurante. Entretanto, o emprego do Director-Geral de Saúde parece assegurado.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 00:56 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quarta-feira, 02.01.08
António Nunes, o Director da ASAE, à qual incumbe fiscalizar a nova lei do tabaco, foi apanhado no Casino, já com a lei do tabaquinho em vigor a fumar a sua bela cigarrilha. Bem sei que a tentação é crucificar o homem. Eu prefiro sublinhar que foi o homem a crucificar a lei. Aguarda-se a todo o momento a demissão do Director-Geral de Saúde, que prometeu fazê-lo se a lei viesse a revelar-se um fracasso.

tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 10:17 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 01.01.08
(Foto)

Um sabor especial teve o primeiro cigarro que fumei em 2008, já em vida da lei fabricada pelo Estado hipócrita. Sugiro uma visita especial: aqui. Cem imagens reconfortantes para fumadores em tempos difíceis.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 01:49 | link do post | comentar

Segunda-feira, 31.12.07
Onde fumar em Braga. O Arrastão está a fazer um roteiro. O Apedeites v2 também. O Origem das Espécies vai dando notícias úteis (pode fumar-se nos restaurantes do El Corte Ingles, ok, estão perdoados...) e eu sempre que saiba de alguma coisa aviso.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 02:35 | link do post | comentar | ver comentários (2)

"Mas, se calhar, devia ser proibido vender álcool na Assembleia da República. Não se lembraram de fazer essa proposta. Há mais tolerância em relação ao álcool na sociedade portuguesa. E, no entanto, faz tanto mal como o tabaco. " Marcos Sá é deputado do PS, mas simpatizo com ele. Caro deputado: já sabe, tem aqui uma casa às ordens...


publicado por Jorge Ferreira às 00:59 | link do post | comentar

Quinta-feira, 27.12.07
Neste estabelecimento sempre foi permitido fumar. A partir de 1 de Janeiro continuará a ser assim. Já está aposto na coluna à direita o respectivo dístico identificador.


publicado por Jorge Ferreira às 17:04 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 26.12.07
"Se alguém for apanhado a fumar um charro ou a inalar cocaína em pequenas quantidades no distrito de Santarém pode ter que pagar uma coima ou ser mandado para tratamento, se o mesmo acontecer no distrito de Lisboa, Bragança, Guarda, Viseu, Coimbra e Faro nada acontece. Neste momento há seis distritos do país onde a compra, posse e consumo de droga em pequenas quantidades não tem consequências porque as comissões de dissuasão da toxicodependência (CDT) destes distritos estão sem poder decisório por falta de pessoal." Droga pode consumir-se à vontade, por falta de pessoal. Claro que o Director-Geral de Saúde não se demite por causa do incumprimento da lei que proíbe o consumo de droga. Agora tabaquinho, meus amigos, népias. Vai proibido, está aberta a caça aos fumadores a partir de 1 de Janeiro e o Director-Geral de Saúde demite-se se a lei não fôr aplicada. Depois chamem-me nomes.

tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 11:14 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Cada cigarro vai custar em média 18 minutos de produtividade às empresas. É fazer as contas. Remeta-se a factura ao Parlamento.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 00:02 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.12.07
Estou curioso para ver o que vão fazer nas prisões com a nova lei do tabaco. O Governo vai pôr seringas à disposição dos presos toxicodependentes, mas quer proibir os cigarros, o que seria verdadeiramente fantástico. Uma solução para um fumador preso será talvez injectar nicotina. E se permitir que os presos fumem, então será caso para dizer que quem se porta mal safa-se sempre. Bem, bem vistas as coisas já vivemos num país com múltiplo exemplos destes.


publicado por Jorge Ferreira às 19:51 | link do post | comentar | ver comentários (2)

A Bella Italia, uma cafetaria-pizzaria-gelataria da Av. da República decidiu antecipar uma lei que só entra em vigor no dia 1 de Janeiro e proibiu já que se fumasse. Suponho que não terão tanto zelo antecipatório com outras leis da República. Resultado: não volto lá. O dinheiro dos fumadores deve ter nicotina e por isso será melhor não contaminar a caixa aos senhores.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 18:45 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quinta-feira, 22.11.07
Isso mesmo: o Governo vai entrar em guerra. Se não fosse a sério seria ridículo. Mas sucede que é a sério. E sendo a sério, pergunto apenas quanto do imposto que o Estado hipócrita cobra aos fumadores vai ser gasto nos panfletos. Este Governo panfletário e guerrilheiro vai ser exemplar a sensibilizar e a fiscalizar a lei do tabaco. Lamento que não tenha o mesmo empenho a combater outros males da sociedade. Há tantas coisas a sensibilizar e a fiscalizar por esse país fora... Por exemplo as promessas eleitorais que José Sócrates fez ao país e que deitou para o caixote do lixo. Este tique persecutório deve ser contágio de certas visitas de casa do Primeiro-Ministro. Ao menos esta guerra não exige a operacionalidade dos helicópteros e dos submarinos do Dr. Portas. Sempre é alguma coisa.


publicado por Jorge Ferreira às 01:43 | link do post | comentar

Sábado, 17.11.07
Hoje é o Dia Nacional do Não Fumador. Como é que um não fumador assinala o dia? Fumando um cigarro?

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 13:48 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 02.07.07
Aqui e aqui, põem-se as continhas em dia. Os fumadores, afinal, são um factor de combate ao défice e não os responsáveis pelo agravamento da despesa no Serviço Nacional de Saúde. Descubro agora que os fumadores contribuem anualmente (excluindo outros impostos que eventualmente paguem) com 1.395.000.000 Euros para os cofres do Estado e que custam uns míseros 434.000.000 Euros ao Serviço Nacional de Saúde. Os fumadores revelam-se assim uns poderosos auxiliares do despesismo do Estado e do socialismo vigente. A esquerda, adoradora do Estado, devia agradecer aos fumadores e não persegui-los metódica e denodadamente. Ou então, em coerencia, abdicar de lhes cobrar impostos para além do que cusam ao SNS. Estão os fundamentalistas estatistas prontinhos para exigir a devolução aos fumadores do excedente já pago por estes sacrificados contribuintes?


publicado por Jorge Ferreira às 17:47 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 22.06.07

Imagens de liberdade em Ascot.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 17:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 22.05.07
Amigos do Rui de todo o Mundo, uni-vos! O homem está a ser ameaçado e perseguido lá no condomínio porque fuma charuto quando o rei faz anos. O comité local de vigilância revolucionária já o intimou. Aqui estou a alistar-me em combate. Passem palavra.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 01:02 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Sexta-feira, 04.05.07
Portugal tem o haxixe mais barato da Europa. Quem fuma tabaco vai passar a pagar coimas maiores do que quem inala cocaína. Poderá com propriedade dizer-se que o país está uma droga?

tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 10:20 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 02.05.07

É hoje que a Assembleia da República se vai redimir de todos os seus pecados e aprovar uma lei de perseguição aos fumadores, que vai muito além da defesa de quem não fuma. Pelo texto que pelos vistos vai ser aprovado a reacção que me ocorre é desencadear um movimento cívico pela criação de salas de chuto para fumadores.


publicado por Jorge Ferreira às 10:27 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 10.04.07
Investigadores do Centro de Distúrbios Motores do Centro Médico da Universidade Duke da Carolina do Norte, determinaram que as pessoas que fumam cigarros e bebem grandes quantidades de café têm menos probabilidade de desenvolver a doença de Parkinson. O estudo foi publicado na revista Arquivos de Neurologia e foi financiado pelo Instituto Nacional de Perturbações Neurológicas e Enfarte Cerebral. Eu penso que este estudo devia iluminar as suas tendências legilastivas para destabaquizar compulsivamente (palavra da moda) a sociedade portuguesa.


publicado por Jorge Ferreira às 00:14 | link do post | comentar

Segunda-feira, 02.04.07
Excessos em viagens de finalistas sempre houve e sempre há-de haver. É uma espécie de sub-cultura sazonal do processo de crescimento. O que eu estranho é que os finalistas estranhem as reacções de quem assiste aos seus desmandos. Se o hotel fosse meu levavam uma corrida em osso. E ainda estranho mais que um país inteiro não mexa um dedo nem sinta nada ao ver na televisão a imagem degradante de uma adolescente emborcar, literalmente, emborcar (beber é um gesto humano e sensível que pressupõe alguma dose de civilidade) uma garrafa de litro de vinho e ande distraído a tentar proibir que se fume. Por isso faço um apelo público a todas as Comissões de Finalistas que existem por esse país fora: convidem Correia de Campos para a próxima viagem. Talvez assim o Senhor ministro adquira algum sentido das proporções.


publicado por Jorge Ferreira às 16:19 | link do post | comentar

Domingo, 01.04.07
"Foi preciso que o Parlamento levasse um boa bofetada na cara, mas mais vale tarde do que nunca. Que o dr. Correia de Campos, do alto da sua autoridade, obrigue o proprietário de um restaurante a impedir a sua clientela de fumar não impressionou os senhores deputados. Que o Estado resolva impor uma regra geral que exclui a hipótese de os fumadores frequentarem restaurantes de fumadores também não colidiu com a sensibilidade democrática da Assembleia. Agora que o grupo parlamentar socialista interfira na comodidade e nos vícios de cada um é verdadeiramente grave. As leis, como toda a gente sabe, são para a canalha. A canalha que as cumpra e cale o bico. Os senhores deputados, pelo contrário, têm direitos. Por exemplo: no avião de Sócrates, que os contribuintes pagam, fuma quem quer e o ar até se torna "quase irrespirável". Assim é que é; e assim é que deve ser em S. Bento."
Vasco Pulido Valente, na edição de hoje do Público.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 19:22 | link do post | comentar

Quarta-feira, 07.02.07
O espectáculo "Visita guiada", da bailarina Cláudia Dias, integrado no Festival Internacional de Dança "New Territories", em Glasgow (Escócia) foi cancelado pelo facto de a lei proibir fumar em público, anunciou hoje a companhia de dança RE.AL. Cláudia Dias cometeu o erro de incluir entre outros objectos um cigarrinho. Coreografia fatal. Não podemos fazer caricaturas de Maomé, não podemos falar de Maomé, não podemos dizer mal do véu, não podemos fazer humor com o Islão, não podemos fumar sem ter a cabeça para baixo numa sanita à mão, não podemos ter estilos de vida sedentários, não podemos ser obesos. Que raio de vida que nos estão a arranjar.


publicado por Jorge Ferreira às 17:21 | link do post | comentar | ver comentários (1)

JORGE FERREIRA

tomarpartido@sapo.pt

visitantes em linha

English version by Google
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3
4
5
6
7

8
9

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30



DESTAQUES




TAMBÉM ESTOU AQUI

Jorge Ferreira

Cria o Teu Crachá

Aveiro
Comunicar a direito
Democracia liberal
Diário de aveiro
Jorge ferreira
O carmo e a trindade
O templário
Terras de mármore
Tv net

O PARTIDO DOS AMIGOS

A cagarra
Alinhavos
Cão com pulgas
Eclético
Faccioso
Ilha da madeira
Fumaças
Mais actual
Meu rumo
Paris
Sobre o tempo que passa
Tubarão


OUTROS PARTIDOS

A arte da fuga
A barbearia do senhor luís
A casa de sarto
A casa dos comuns
A caveira vesga
A caverna obscura
A civilização do espectáculo
A destreza das dúvidas
A educação do meu umbigo
A gota de ran tan plan
A grande alface
A janela do ocaso
A natureza do mal
A origem das espécies
A outra varinha mágica
A regra do jogo
A revolta das palavras
a ritinha
A terceira noite
A textura do texto
A voz do povo
A voz nacional
A voz portalegrense
As escolhas do beijokense
As penas do flamingo
Abrigo de pastora
Abrupto
Às duas por três
Activismo de sofá
Admirável mundo novo
Adufe
Água leve
Água lisa
Alcabrozes
Alianças
Aliança nacional
Almocreve das petas
Apdeites v2
Arcadia
Arde lua
Arpão
Arrastão
Aspirina b
Atuleirus
Avatares de um desejo

Bar do moe, nº 133
Blasfémias
Bem haja
Berra-boi
Bic laranja
Bicho carpinteiro
Binoculista
Bissapa
Blogo social português
Blogotinha
Blogs e política
Blogue de direita
Blogue da sedes
Blogue real associação de lisboa
Blue lounge
Boca de incêndio
Boina frígia
Braga blog
Branco no branco
Busturenga

Cabalas
Café Bar James Dean
Café da insónia
Caixa de petri
Caixa de pregos
Câmara corporativa
Campos da várzea
Canhoto
Carreira da í­ndia
Causa liberal
Causa nossa
Cegos mudos e surdos
Centenário da república
Centurião
Certas divergencias
Chá preto
Charquinho
Cibertúlia
Cinco dias
Classe polí­tica
Clube das repúblicas mortas
Clube dos pensadores
Cobrador da persia
Combustões
Confidências
Congeminações
Contingências
Controversa maresia
Corta-fitas
Crónicas d'escárnio e mal dizer

Da condição humana
Da literatura
Da rússia
Dar à tramela
Dass
De vexa atentamente
Der terrorist
Delito de opinião
Desconcertante
Desesperada esperança
Despertar da mente
Direito de opinião
Do portugal profundo
Dois dedos de prosa e poesia
Dolo eventual
Duas cidades
Duas ou três coisas
2 rosas

É curioso
É tudo gente morta
e-konoklasta
Em 2711
Elba everywhere
Em directo
Encapuzado extrovertido
Entre as brumas da memória
Enzima
Ephemera
Esmaltes e jóias
Esquissos
Estado sentido
Estrago da nação
Estudos sobre o comunismo
Espumadamente
Eternas saudades do futuro

Falta de tempo
Filtragens
Fliscorno
Fôguetabraze
Foram-se os anéis
Fúria dos dias

Gajo dos abraços
Galo verde
Gazeta da restavração
Geometria do abismo
Geração de 80
Geração de 60
Geração rasca
Gonio
Governo sombra

Há normal?!
Herdeiro de aécio?!
Hic et nunc
Hoje há conquilhas, amanhã não sabemos
Homem ao mar

In concreto
Ideal social
Ideias soltas
Ilusão
Império lusitano
Impressões de um boticário de província
Insinuações
Inspector x
Intimista

Jacarandá
Janelar
Jantar das quartas
João Távora
Jornal dos media
José antónio barreiros
José maria martins
Jose vacondeus
Judaic kehillah of portugal - or ahayim
Jugular
Julgamento público

Kontrastes

La force des choses
Ladrões de bicicletas
Largo da memória
Largo das alterações
Latitude 40
Liblog
Lisbon photos
Lobi do chá
Loja de ideias
Lusitana antiga liberdade
Lusofin

Ma-schamba
Macroscópio
Maioria simples
Maquiavel & j.b.
Margem esquerda
Margens de erro
Mar salgado
Mas certamente que sim!
Mau tempo no canil
Memória virtual
Memórias para o futuro
Metafísica do esquecimento
Miguel teixeira
Miniscente
Minoria ruidosa
Minudencias
Miss pearls
Moengas
Movimento douro litoral
Mundo disparatado
Mundus cultus
My guide to your galaxy

Não há pachorra
Não não e não
Nem tanto ao mar
Neorema
Nocturno
Nortadas
Notas formais
Notícias da aldeia
Nova floresta
Nova frente
Num lugar à direita
Nunca mais

O afilhado
O amor nos tempos da blogosfera
O andarilho
O anónimo
O bico de gás
O bom gigante
O cachimbo de magritte
O condomínio privado
O contradito
O diplomata
O duro das lamentações
O espelho mágico
O estado do tempo
O eu politico
O insubmisso
O insurgente
O islamismo na europa
O jansenista
O jumento
O observador
O país do burro
O país relativo
O pasquim da reacção
O pequeno mundo
O pravda ilhéu
O principe
O privilégio dos caminhos
O profano
O reaccionário
O saudosista
O severo
O sexo dos anjos
O sinaleiro da areaosa
O tempo das cerejas
O universo é uma casca de noz
Os convencidos da vida
Os veencidos da vida
Obrigado sá pinto
Oceano das palavras
Office lounging
Outra Margem
Outubro

Palavra aberta
Palavrussaurus rex
Pangeia
Papa myzena
Patriotas.info
Pau para toda a obra
Pedra aguda
Pedro_nunes_no_mundo
Pedro rolo duarte
Pedro santana lopes
Pena e espada
Perguntar não ofende
Planetas politik
Planí­cie heróica
Playbekx
Pleitos, apostilas e comentários
Politeia
Política pura e dura
Polí­tica xix
Polí­tica de choque
Politicazinha
Politikae
Polvorosa
Porcausasemodivelas
Porto das pipas
Portugal dos pequeninos
Por tu graal
Povo de bahá
Praça da república em beja
Publicista

Quarta república

Registo civil
Relações internacionais
Retalhos de edith
Retórica
Retorno
Reverentia
Revisões
Ricardo.pt
Risco contínuo
Road book
Rua da judiaria

Salvaterra é fixe
Sem filtro
Sempre a produzir
Sentidos da vida
Serra mãe
Sete vidas como os gatos
Small brother
Sociedade aberta
Sociologando
Sorumbático
Sou contra a corrente
Super flumina

Táxi
Tempo político
Tenho dito
Teorias da cidade
Tese & antítese
Tesourinhos deprimentes
There is a light never goes out
Tirem-me daqui
Tralapraki
Transcendente
Tribuna
31 da armada
Tristeza sob investigação
Triunfo da razão
Trova do vento que passa

Último reduto
Um por todos todos por um

Vale a pena lutar
Vasco campilho
Velocidade de cruzeiro
Viagens no meu sofá
Vida das coisas
Vento sueste
Voz do deserto

Welcome to elsinore

Xatoo

Zarp blog

PARTIDOS DOS ALUNOS

Ao sul
As cobaias
Fados e companhia
O cheiro de santarém pela manhã
Platonismo político
Projecto comunicar

PARTIDOS DE ABRANTES

Abranteimas
Rua da sardinha
Torre de menagem

PARTIDOS DO ALGARVE

Mons cicus
Olhão livre
Tavira tem futuro
The best of lagos

PARTIDOS DE AVEIRO

A ilusão da visão
Academia de aveiro
Actas diárias
Amor e ócio
Arestália
Aveiro sempre
Bancada directa
Bancada norte
Blog de sergio loureiro
Botanabateira
Código da vivencia
Cogir
Debaixo dos arcos
Desporto aveiro
Divas e contrabaixos
Estados gerais
Forum azeméis
Já agora
Margem esquerda
Neo-liberalismo
Nós e os outros
Notas de aveiro
Notícias da aldeia
Noticias de ovar
Painéis de aveiro
Pontos soltos
Portal do beira-mar
4linhas
Quotidiano da miséria
7 meses
The sarcastic way
Visto de fora
Vouga

PARTIDOS DE OEIRAS

À rédea solta
Escrever sobre porto salvo
Eu sou o poli­ticopata
Oeiras local
Rememorar oeiras

PARTIDOS DE TOMAR

Alcatruzes da roda
Algures aqui
À descoberta de tomar
Charneca da peralva
Nabantia
Olalhas
Os cavaleiros guardiões de sta. maria do olival
Sondagem tomar
Tomar
Thomar vrbe
Tomar, a cidade
Tomar a dianteira
Vamos por aqui

PARTIDOS DE VILA VIÇOSA

A interpretação do tempo
Infocalipo
O restaurador da independencia
Tasca real

PARTIDOS POÉTICOS

Arrimar
Corte na aldeia
Forja de palavras
Linha de cabotagem (III)
Nimbypolis
O melhor amigo
Ofí­cio diário
Orgasmos dos sentidos

PARTIDOS DAS ÁGUIAS

A águia
A ilíada benfiquista
A mística benfiquista
Amo-te, benfica
Anti-anti-benfica
Benfiquistas desde pequeninos
Calcio rosso
Chama imensa
Diário de um adepto benfiquista
E isso me envaidece
E pluribus unum
Encarnados
Encarnado oriental
Encarnado e branco
Eterno benfica
Football dependent
Gloriosa fúria vermelha
Glorioso jornal
Gordo vai à baliza
Javardos benfiquistas
loucos pelo slb
Mágico slb
Mar vermelho
Memória gloriosa
Não se mencione o excremento
Novo benfica
O antitripa
O inferno da luz
O grémio benfiquista
Os nossos queridos jornalistas desportivos
País de corruptos
Quero a verdade
Ser benfiquista
Slbenfica - forever champions
Slblog
Tertúlia benfiquista
Um zero (1-0) basta
Vermelhovzky
Vedeta da bola
Vedeta ou marreta?
Velho estilo ultras
Vermelho à moda do porto

PARTIDOS DA BOLA

Cromo dos cromos

PARTIDOS DO DIREITO

Ab surdus
Assembleia de comarca
Blog de informação
Blog do dip
Cartilha jurídica
Cum grano salis
Direito na sociedade da informação
Dizpositivo
Elsa
Incursões
Iuris
Leituras oficiosas
Legalidade
Lex turistica nova
Mens agit molem
Notas constitucionais
O meu monte
Patologia social
Piti blawg
Ré em causa própria
Reforma da justiça
Rumo do direito
Santerna
Suo tempore
Trepalium
Urbaniuris
Vexata quaestio

PARTIDOS DA VIDA

Açores pelo não
Alentejo pelo não
(Des)conversas em família
Direito a viver
Évora pelo não
Fiat lux
Impensável
Jornal da família
Nebulado
Pela vida
Pelo não
Quero viver
Razões do não
Sinto a vida
Sou a favor da vida

PARTIDOS DA ARGENTINA

El opinador compulsivo

PARTIDOS DO BRASIL

Ação humana
Cronicas do joel
Depósito do maia

PARTIDOS DE ITÁLIA

Importanza dele parole

PARTIDOS DOS LIVROS

Blog do espaço de memória e do pátio das letras
D'outro tempo
Lerblog
Mundo pessoa

PARTIDOS DAS REVISTAS

Alameda digital
Leonardo, revista de filosofia portuguesa

PARTIDOS DA TAUROMAQUIA

Lides alentejanas
Toiradas

PARTIDOS DOS BLOGUES

aniversários de blogues
Blog do dia dn
Blogpatrol
Blogpulse
Blogsearch
Blogservatório
Blogs em lí­ngua portuguesa
Moblig
Orochi's blog
Sapo blogs
Technorati
Weblog

PARTIDOS DA POLÍTICA

Bloco de esquerda
Centro democrático social
Os verdes
Partido comunista português
Nova democracia
Partido social-democrata
Partido socialista


PARTIDOS DOS JOGOS OLÍMPICOS

Atenas 2004
Pequim 2008
Comité olí­mpico internacional
Comité olí­mpico de portugal

PARTIDOS DOS JORNALISTAS

a capital
Jornal do diabo
O comércio do porto



TAMBÉM JÁ ESTIVE AQUI
Blogue do não
Câmara de comuns
Eleições 2009
Nova vaga
Novo Rumo
O carmo e a trindade
O eleito
Olissipo
Ota não
Portal lisboa
RCP ONLINE
Semanário
Sportugal
Tomarpartido
ARQUIVOS

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds
tags

efemérides(867)

borda d'água(850)

blogues(777)

josé sócrates(537)

ps(339)

psd(221)

cavaco silva(199)

pessoal(182)

justiça(180)

educação(150)

comunicação social(139)

política(137)

cds(126)

crise(121)

desporto(120)

cml(116)

futebol(111)

homónimos(110)

benfica(109)

governo(106)

união europeia(105)

corrupção(96)

freeport de alcochete(96)

pcp(93)

legislativas 2009(77)

direito(71)

nova democracia(70)

economia(68)

estado(66)

portugal(66)

livros(62)

aborto(60)

aveiro(60)

ota(59)

impostos(58)

bancos(55)

luís filipe menezes(55)

referendo europeu(54)

bloco de esquerda(51)

madeira(51)

manuela ferreira leite(51)

assembleia da república(50)

tomar(49)

ministério público(48)

europeias 2009(47)

autárquicas 2009(45)

pessoas(45)

tabaco(44)

paulo portas(43)

sindicatos(41)

despesa pública(40)

criminalidade(38)

eua(38)

santana lopes(38)

debate mensal(37)

lisboa(35)

tvnet(35)

farc(33)

mário lino(33)

teixeira dos santos(33)

financiamento partidário(32)

manuel monteiro(32)

marques mendes(30)

polícias(30)

bloco central(29)

partidos políticos(29)

alberto joão jardim(28)

autarquias(28)

orçamento do estado(28)

vital moreira(28)

sociedade(27)

terrorismo(27)

antónio costa(26)

universidade independente(26)

durão barroso(25)

homossexuais(25)

inquéritos parlamentares(25)

irlanda(25)

esquerda(24)

f. c. porto(24)

manuel alegre(24)

carmona rodrigues(23)

desemprego(23)

direita(23)

elites de portugal(23)

natal(23)

referendo(23)

apito dourado(22)

recordar é viver(22)

banco de portugal(21)

combustíveis(21)

música(21)

pinto monteiro(21)

bcp(20)

constituição(20)

liberdade(20)

saúde(19)

augusto santos silva(18)

cia(18)

luís amado(18)

todas as tags