Sábado, 10.10.09

Portugal é o único país da Europa em que coexistem dois regimes diferentes. Um vigora no continente e nos Açores. O outro vigora na Madeira. Este, distingue-se do primeiro por ser um território onde não existe polícia nacional nem Ministério Público. No continente e nos Açores este regime tem uma delegação chamada PSD, que tem como lema a política de verdade e como objectivo combater a asfixia democrática no continente e nos Açores. É uma paródia de lema e de objectivo. Daqui envio um abraço de solidariedade ao PND da Madeira. Estou certo que quando a Madeira fôr um sítio frequentável o PND da Madeira constará da lista de agradecimentos a fazer por isso.

 

(Foto)



publicado por Jorge Ferreira às 01:36 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Sexta-feira, 25.09.09

No domingo os portugueses farão provavelmente mais um dos seus periódicos exercícios de masoquismo político. É difícil encontrar um lusitano recenseado que não diga mal do estado da Nação, que não desanque nos políticos e nos governantes, que não diga mal da vida e que não tenha um programa eleitoral prontinho a servir, ainda que não passe de uma colagem de ideias vazias. Mas, mesmo assim, os portugueses votam sistematicamente nos mesmos partidos.

 

É verdade que o sistema político está viciado. As leis que os partidos fazem protegem os partidos que as fazem e bloqueiam a renovação política do país. É verdade que o sistema mediático vicia a oferta eleitoral e nessa medida condiciona as opções dos eleitores. É verdade que somos portadores de uma atávica cultura de má língua nos cafés e nas paragens dos autocarros, que miraculosamente se transforma na mais conformista das atitudes no voto. Mas, ainda assim, e dada a dimensão da crise da República, seria de esperar um leve assomo de mudança. Não acontecerá.

 

Na campanha eleitoral que hoje termina, tal como infelizmente se esperava, debateu-se quase nada o país. Tratou-se de uma espécie de Benfica-Sporting sobre as escutas entre Belém e S. Bento que, de caminho, triturou o PSD. O melhor que podia ter acontecido a José Sócrates, depois da crise internacional que serviu às mil maravilhas para disfarçar a crise portuguesa, foi este episódio mal cheiroso, a que Cavaco Silva deu uma contribuição inestimável ao líder do PS.

 

E, todavia, no dia 28 de Setembro, Portugal continuará. Acordaremos com as lamúrias de sempre, com os problemas de sempre, e com a auto-desresponsabilização de sempre, apenas um dia depois de termos votado exactamente nos mesmos a que atribuímos a responsabilidade dos males nacionais.

 

Eu, pelo menos, reservo-me a saudável atitude de excluir a minha cumplicidade com a mediocridade dominante. Votarei no Partido da Nova Democracia. Garanto-vos: sabe bem e não morrerá ninguém. Acresce que, no caso concreto do círculo eleitoral de Aveiro, conheço bem Edgar Jorge, o cabeça de lista, e também vos garanto: fará, se for eleito deputado, muito melhor que a maioria dos que lá estão e dos que se candidatam. E acresce uma qualidade não desprezível: é uma pessoa séria, o que não sendo propriamente uma virtude em que o sistema seja particularmente exigente, é uma garantia para quem confia a gestão do interesse público a um representante.

(publicado na edição de hoje do Diário de Aveiro)

 



publicado por Jorge Ferreira às 09:40 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20.08.09

Ouve-se falar muito da Maçonaria, mas nunca como até à passada terça-feira, a intervenção política da Maçonaria se revelou tão esplendorosamente. Explico: Manuel Martins pertence à Assembleia Municipal de Barcelos eleito pelo Partido da Nova Democracia. Como sucede a tanto vira-casacas que há por aí, decidiu candidatar-se desta vez pelo PSD. O original é que explicou por que o fazia. Em declarações à edição desta terça-feira do Diário do Minho (link para assinantes), esclareceu que os seus amigos do Grande Oriente Lusitano lhe "fizeram ver as implicações" de estar ligado a um partido de extrema-direita. Assim mesmo: o GOL, convocado por um dos seus ilustríssimos membros à luta autárquica que se aproxima. Já não bastava o ridículo de considerar o PND como partido de extrema-direita, coisa que só mesmo o GOL é capaz..., sabemos agora que o GOL faz ver coisas às pessoas e que estas pessoas seguem as coisas que o GOL lhes faz ver. Os eleitores, no meio disto tudo, são, é claro, um mero pormenor. O GOL não gosta de Manuel Monteiro. Acho que isto lhe vai render alguns votos em Braga. Terá Manuel Monteiro agradecido já a Manuel Martins a sua franqueza?...

(Foto)



publicado por Jorge Ferreira às 15:58 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.08.09

 

Ler aqui.



publicado por Jorge Ferreira às 15:12 | link do post | comentar

Segunda-feira, 27.07.09

Se não os podes vencer, abate-os a tiro. Um "must" sul-americano em território nacional.



publicado por Jorge Ferreira às 10:05 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quarta-feira, 13.05.09

A Nova Democracia de Aveiro tem um novo sítio na internet. Visita aconselhada, evidentemente.



publicado por Jorge Ferreira às 12:54 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23.03.09

Veio a Braga a convite dos dirigentes do Partido da Nova Democracia (PND) para falar de corrupção e apontar pistas de como poderá ser combatido o fenómeno. O mote para o convite, segundo as palavras dos próprios dirigentes do PND, foram as notícias desencadeadas pelo arquivamento da investigação que o Ministério Público promoveu ao presidente e a vários vereadores da Câmara Municipal de Braga.

 

Na hora de “atacar” o problema, Saldanha Sanches lançou mãos ao mítico caso de “Al Capone” para ilustrar como pode uma acção concertada entre a máquina fiscal e a justiça provar os casos de corrupção que acontecem pelo país, «nomeadamente nas câmaras municipais».
 

Fazendo questão de sublinhar que os cenários que descrevia «não se referiam concretamente ao presidente da Câmara Municipal de Braga», o fiscalista que mais se tem insurgido publicamente contra a corrupção precisou que, ao contrário do que acontece em sede de processo penal, «a justiça tributária inverte o ónus da prova», ao transferir para o contribuinte a responsabilidade de provar que não é criminosa, a origem de um enriquecimento não justificado nas declarações de rendimentos.

 

«Não falo do caso concreto do senhor Mesquita Machado, mas de um presidente de câmara em abstracto que declara ao Fisco um património que não foi herdado e que não tem justificação nos rendimentos declarados enquanto presidente de câmara. Do ponto de vista fiscal temos aqui um problema de justificação», sublinhou Saldanha Sanches, acrescentando que a questão revela-se «mais grave, se ao presidente da câmara forem confirmados movimentos bancários que não integraram as sucessivas declarações de rendimentos».

«Além do dever de explicar ao Fisco a origem da riqueza não justificada nos rendimentos conhecidos, esse presidente de câmara tem de responder pela prática de crime de evasão fiscal, por ter andado a esconder rendimentos que é legalmente obrigado a declarar», continuou Saldanha, advertindo sempre Sandanha Sanches afastou Mesquita da sua abordagem que não se referia ao caso específico de Mesquita.

O fiscalista recordou que foi o rigor da máquina fiscal norte-americana que acabou por ditar a prisão do mítico “Al Capone”, que geria uma verdadeira teia de corrupção que abrangia juízes, policiais e cidadãos de Chicago, mas que acabou por ser detido e condenado a prisão efectiva, precisamente pelo crime de evasão fiscal. «É claro que isto exige que haja procuradores, juízes e fiscais das Finanças dispostos a fazer cumprir a lei», sentenciou o especialista em direito fiscal,perguntando se «em Portugal existem concelhos onde há uma amnistia fiscal generalizada».

Deixando no ar a ideia de que se referia a Braga, Saldanha Sanches enfatizou que «qualquer cidadão que tenha de prestar contas ao Fisco pode perguntar às Finanças porquê ele e não o senhor presidente da câmara». «O que justifica o segredo das finanças?», perguntou por sua vez o fiscalista, que não precisou se se referia ou não à prestação do Fisco na investigação ao autarca bracarense.

 

(Texto do Diário do Minho)



publicado por Jorge Ferreira às 10:59 | link do post | comentar

Sábado, 21.03.09

Hoje, em Braga, realiza-se, por iniciativa da Nova Democracia, uma Conferência, pelas 15h00 , cujo tema é o “Combate à Corrupção”. Os oradores serão Saldanha Sanches e Rui Costa Pinto. Qualidade e acutilância garantidas. Para se falar da corrupção não se pode ter medo das palavras. É no Hotel Turismo.
 



publicado por Jorge Ferreira às 11:24 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 20.03.09

Oportunamente, é amanhã, em Braga, que se realiza, por iniciativa da Nova Democracia, uma Conferência, pelas 15h00 , cujo tema é o “Combate à Corrupção”. Os oradores serão Saldanha Sanches e Rui Costa Pinto. Qualidade e acutilância garantidas. Para se falar da corrupção não se pode ter medo das palavras. É no Hotel Turismo.
 



publicado por Jorge Ferreira às 11:28 | link do post | comentar

Quarta-feira, 18.03.09

No próximo sábado em Braga, realiza-se, por iniciativa da Nova Democracia, uma Conferência, pelas 15h00 , cujo tema é o “Combate à Corrupção”. Os oradores serão Saldanha Sanches e Rui Costa Pinto. Qualidade e acutilância garantidas. Para se falar da corrupção não se pode ter medo das palavras. É no Hotel Turismo.
 



publicado por Jorge Ferreira às 17:52 | link do post | comentar

Segunda-feira, 16.03.09

"Quem anda há meses a exigir a demissão de Dias Loureiro do Conselho de Estado, pelas suspeitas de envolvimento num caso policial, deveria, a bem de alguma coerência, exigir a demissão de José Sócrates do cargo de Primeiro-Ministro. Uns porcos são mais iguais que outros, não é pessoal?"

Tiago Moreira Ramalho, no Corta-Fitas.

"O Partido da Nova Democracia (PND) afirmou hoje só restarem «dois caminhos» ao Presidente da República, Cavaco Silva, perante o «conflito institucional que já existe» com o governo socialista, «ou demitir Sócrates ou demitir-se a ele próprio»



publicado por Jorge Ferreira às 20:49 | link do post | comentar

Domingo, 01.02.09

O Partido da Nova Democracia realizou ontem o seu 4º Congresso, no Porto, tendo eleito a minha amiga Maria Augusta Montes para a sua liderança. Depois da demissão de Manuel Monteiro, exclusivamente concentrado na sua candidatura por Braga nas próximas eleições legislativas, abre-se um novo ciclo na vida do Partido. Desejo à Maria Augusta as maiores felicidades no exercício das suas novas funções.

 

Ver reportagem aqui.



publicado por Jorge Ferreira às 17:59 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Sábado, 27.12.08

Depois dos problemas que tem tido com a sua associação ao conselheiro de Estado Dias Loureiro, Cavaco Silva tem agora um enorme azar com outro eiro, mas desta vez é João Rendeiro, o homem que "venceu" nos mercados. A Presidência da República patrocina os Empresários pela Inclusão Social, um organismo dirigido pelo ex-presidente do BPP e que foi criado na sequência da semana da inclusão que o Presidente efectuou logo no início do seu mandato. Ora, atendendo às notícias vindas a público sobre os resultados das "vitórias" do banqueiro nos mercados (intervenção do Governo no Banco, queixas crime em marcha, estranhas vendas de estranhos produtos financeiros que levaram à perda de milhões pelos clientes e não, não são todos ricos...), não parece que se trate de pessoa aconselhável à função e sobretudo patrocinável pela Presidência da República. Chamará Cavaco Silva a Belém para perguntas o ex-banqueiro? Dir-lhe-á este que não tem nada a ver, nem sabia, dos desastres do BPP e ficará tudo na mesma como aconteceu com Loureiro? Ou tratará Cavaco, que precisa de tudo menos deste tipo de associações, de convencer Rendeiro a desincluir-se? Eis o mistério quie os próximos dias revelarão. Uma coisa é certa: as elites do cavaquismo presidencial estão a diminuir o Presidente, como de resto as elites do cavaquismo governamental o diminuíram até ao tabu. Fez bem o PND em exigir desvinculação do Presidente à figura.



publicado por Jorge Ferreira às 00:53 | link do post | comentar

Segunda-feira, 22.12.08

"A categoria do contratado para escrever a autobiografia tornou-se também uma medida do sucesso e do prestígio do gestor, mas com as consequências inerentes. Assim, por exemplo, o prestígio adquirido em 1997 por António Champalimaud (acima), ao contratar José Freire Antunes para escrever a sua, torna-se num desprestígio equivalente daquele historiador, ao prestar-se a emprestar o seu nome a um livro que não passava de um interminável panegírico…"
 

Sobre as biografias dos gestores de sucesso, por A. Teixeira, no Herdeiro de Aécio.

 

"Fiquei de queixo caído quando ainda agora ouvi na SIC Notícias que o PND-Madeira distribuiu 250 envelopes, com 30€ cada um, a madeirenses com mais de 70 anos, num acto de protesto em relação à nova lei. Podem dizer que é populismo e demagogia, mas verdade se diga: mais nenhum dos partidos que votou contra recusou aquele dinheiro. Para mim demagogia é isso, votar contra, mas ainda assim aproveitar os benefícios da coisa. Baltasar Aguiar garantiu também que caso a lei não seja mudada, para o próximo ano o dinheiro é distribuído em sacos. Tirar-lhe-ia o chapéu, caso tivesse algum."

 

Tiago Moreira Ramalho, no Corta-Fitas.



publicado por Jorge Ferreira às 20:02 | link do post | comentar

O Partido da Nova Democracia distribuiu hoje 7500 euros pelos reformados, num gesto de protesto pelo sistema de financiamento dos Grupos Parlamentares e partidos aprovado no dia 16 na Assembleia Legislativa da Madeira. Ora aí está uma excelente iniciativa. Não admira que os mandantes regionais não gostem do PND Madeira.
 



publicado por Jorge Ferreira às 12:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 04.12.08

O PND-Madeira, entrega hoje na Procuradoria-Geral da República uma queixa contra o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira (ALM), José Miguel Mendonça, com vista à sua destituição. Aqui está uma coisa bem feita depois das enormidades que se têm cometido na Assemleia Legislativa Regional da Madeira. É preciso que haja quem tenha a coragem de tirar todas as consequências das ilegalidades praticadas na Madeira. Sem medo.
 



publicado por Jorge Ferreira às 14:52 | link do post | comentar

Sábado, 15.11.08

Coito Pita, um dos vice-presidentes do Grupo Parlamentar do PSD/Madeira à Assembleia Legislativa, apresentou o seu pedido de demissão do cargo, confirmou hoje o próprio à Agência Lusa. "Confirmo que me demiti das funções de vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD/M e, sexta-feira, enviei uma carta ao líder parlamentar, Jaime Ramos, dando conta dessa decisão", disse. O deputado, um dos mais influentes membros do PSD madeirense, referiu que "as razões desta decisão serão discutidas internamente", afirmando esperar que "aí haja bom senso". Coito Pita acrescentou que esta matéria poderá estar em análise na reunião da Comissão Política do partido da próxima semana, em que não estará presente, mas "também deverá ser discutida em reunião do Grupo Parlamentar que, com certeza, o líder da bancada irá requerer". O deputado social-democrata sublinhou que a sua demissão "é irreversível". "Há uma vaga que acompanha a indisposição de Coito", uma "linha que quer conservar uma postura firme com a oposição mas dentro da legalidade e sem a prepotência que se tornou imagem de marca do grupo parlamentar", diz o matutino citando bastidores do partido.

 

Está confirmado: mesmo no PSD da Madeira, uma espécie enclave do país e do PSD nacional, há quem não aguente tanta bagunçada. A notícia da demissão de Coito Pita foi avançada esta manhã pelo Diário de Notícias, dando conta de que esta decisão é "um protesto pela forma autoritária e independente como o líder Jaime Ramos e o filho Jaime Filipe Ramos têm dirigido os deputados 'laranja".

 

Fonte: Lusa

 

(Coito Pita)



publicado por Jorge Ferreira às 15:25 | link do post | comentar

Coito Pita demitiu-se da bancada parlamentar laranja? Pergunta o Ultraperiferias.



publicado por Jorge Ferreira às 12:44 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.11.08

Cavaco Silva condenou "inequivocamente" os "desacatos e os insultos protagonizados por alguns alunos" em duas escolas nos últimos dias. Não se conhecem poderes constitucionais do Presidente da República para poder intervir na política de educação, no exercício da disciplina dentro das escolas nem no comando das forças da ordem para pôr fim aos desacatos. Mas Cavaco Silva condenou-os inequivocamente. Fez bem. Desacatos nas escolas, ainda por cima utilizando ovos como arma de agressão são coisa feia que merece severo reparo. Ora, Cavaco Silva escusava de ter maçado o país a informar-nos que não pode interferir na vida interna da Assembleia Legislativa da Madeira, coisa que qualquer estudante rudimentar de Direito sabe perfeitamente. Mas podia ter condenado "inequivocamente" os desacatos e os insultos protagonizados por alguns deputados do PSD da Madeira que culminaram com a cena da proibição de acesso de um deputado ao edifício da Assembleia. Mas aí já Cavaco Silva não condenou inequivocamente. Estamos esclarecidos. Eu, aliás, já estava. Mas assim, fica a comparação para que conste...
 



publicado por Jorge Ferreira às 18:44 | link do post | comentar

Quinta-feira, 13.11.08

A Madeira é um território à parte do todo nacional. Lá vigoram leis diferentes das que vigoram no restante território nacional. O regabofe continua hoje em novos episódios. Não valerá mais, de facto, conceder-lhe a independencia?



publicado por Jorge Ferreira às 11:46 | link do post | comentar

Quarta-feira, 12.11.08

"Entretanto, o Tribunal de Santa Cruz condenou ontem um funcionário da administração regional a pena de 120 dias de multa e ao pagamento de uma indemnização de 800 euros, pelo crime de ofensa à integridade física simples a José Manuel Coelho. O deputado foi agredido em Agosto de 2006, quando distribuía o jornal mensal Os Democratas de Gaula, em que eram denunciados casos de corrupção naquele concelho de Santa Cruz.
"Na Madeira, vive-se um clima de coacção onde o caciquismo impera há muito tempo, e estas pessoas, influenciadas pelos caciques do PSD, agridem e batem por motivos políticos. Isto tem que ser punido para restaurar o Estado de direito nesta parcela do território nacional", declarou Coelho.  José Manuel Coelho foi ontem indemnizado por ter sido vítima de uma agressão de um funcionário regional em Agosto de 2006."

 

Público, edição de hoje.



publicado por Jorge Ferreira às 12:17 | link do post | comentar

Domingo, 09.11.08

Monteiro Diniz, o representante da República na Madeira diz que está resposta a normalidade na Região Autónoma. Não, não está. Que normalidade é esta em que um Parlamento impede um deputado de exercer o seu mandato? Impõe-se uma atitude, enfim, uma atitude, Sr. Presidente da República, relativamente ao que se passa na Madeira e que V. Exa. tanto tem feito por não ver.



publicado por Jorge Ferreira às 20:46 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 07.11.08

O PSD da Madeira decidiu fechar a democracia. O que sucederá a seguir?



publicado por Jorge Ferreira às 11:37 | link do post | comentar

Quinta-feira, 06.11.08

 

É assim que funciona a democracia madeirense. Pergunto: pode chamar-se a isto o regular funcionamento das instituições democráticas, Sr. Presidente da República?

 

(Foto do Camara Corporativa)



publicado por Jorge Ferreira às 17:58 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Os constitucionalistas Costa Andrade e Jorge Miranda defendem que o mandato do deputado do Partido da Nova Democracia (PND) na Assembleia Legislativa Regional da Madeira, José Manuel Coelho, não pode ser suspenso sem que haja um processo, acusação e possibilidade de defesa. O deputado exibiu ontem uma bandeira nazi, à qual associou o PSD regional. Evidentemente. O direito jardinista ainda não é lei na República. Esta é mais uma decisão arbitrária que, aliás, contribui para fundamentar o protesto de José Manuel Coelho. Independentemente de se considerar que a Madeira não é um Estado nazi, felizmente, o comportamento da maioria laranja é um exemplo de falta de democracia e de violação da Constituição e das leis. A democracia não se esgota no momento do voto, antes tem de ser um critério permanente de actuação dos orgãos do poder regional. Na Madeira não é. O excesso da bandeira apenas visou chamar a atenção para esta realidade quotidiana da política madeirense. A verdade é que de outra forma não se estaria a discutir o assunto.



publicado por Jorge Ferreira às 17:46 | link do post | comentar

Os seguranças do Parlamento regional da Madeira impediram hoje a entrada nas instalações ao deputado José Manuel Coelho, do Partido da Nova Democracia (PND), que ontem protagonizou um incidente com uma bandeira nazi. Aqui está o despotismo em todo o seu vigor: como o deputado dá um certo trabalho à maioria, o melhor é não o deixar entrar. Isto é ilegal. No plano jurídico e como José Manuel Coelho não visou obviamente e comprovadamente (até vai à Festa do Avante do PCP, partido que já apoiou...) fazer propaganda ao nacional socialismo não existe, na minha opinião, qualquer crime, ao contrário do pretende a subitamente preocupada com a criminalidade maioria laranja. No plano jurídico o que a fazer é dfesencadear os mecanismos constitucionais e legais no sentido de responsabilizar a Assembleia Legislativa e os deputados da maioria ou de certas oposições pelo chorrilho de ilegalidades que estão a cometer neste episódio, desde logo através da pratica de eventual crime de denúncia caluniosa. Isto para já não falar noutros actos, como o de impedir ilegalmente o deputado de eexercer plenamento o mandato para o quial foi eleito.



publicado por Jorge Ferreira às 14:21 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Eu compreendo o desespero do deputado do PND. A vida institucional quotidiana da Madeira é um repositório de atiutudes que envergonham a República e a Região. A maioria dá-se ao luxo de tentar cortar o pio à oposição, os deputados da oposição que chamam os bois pelos nomes são insultados, vigiados e retaliados nas suas vidas pessoais e profissionais, tudo no maior dos silêncios no continente, agora subitamente desperto por causa duma bandeira. Este é o lado perverso da iniciativa do deputado: discutir-se a bandeira e não os comportamentos anti-democráticos e indecentes de alguns deputados da amioria laranja.



publicado por Jorge Ferreira às 14:15 | link do post | comentar

É evidente que o deputado do PND não quis fazer a propaganda da ideologia nazi ao exibir a respectiva bandeira. Quia apenas chamar nazis aos deputados da amioria que diariamente atropelam os direitos democráticos da oposição. Como bem observa João Miranda, no Blasfémias," José Manuel Coelho exibiu uma bandeira nazi no parlamento regional da Madeira. A mensagem é clara: Jaime Ramos é fascista. É mais que evidente que José Manuel Coelho não tem consideração alguma pelo nazismo. Existe até uma segunda mensagem no acto de José Manuel Coelho: o nazismo é tão mau como Jaime Ramos. É por isso extraordinário que se coloque sequer a hipótese de acusar José Manuel Coelho por exibição de símbolos proibidos e apologia do nazismo." Elemnentar, caros Watson's.



publicado por Jorge Ferreira às 14:09 | link do post | comentar

A Assemnbleia Legislativa Regional da Madeira mostra a sua raça, praticando actos ilegais e constitucionais em reacção à exibição da bandeira nazi pelo deputado do PND. O Rádio Clube Português dedicou o seu programa da manhã a discutir com os ouvintes "os limites da democracia", a propósito do incidente de ontem. Perguntaram a minha opinião. Eu dei: disse que tínhamos que distinguir a questão política da questão jurídica. Quanto à primeira, eu não agiria assim, mas compreendo que quem diariamente lida com a asfixia institucional na Madeira, com as arbitrariedades e as agressões verbais típicas da maioria laranja tem de conseguir encontrar alguma forma de chamar a atenção para isso. É pena que a comunicação social que assiste a um deputado da maioria laranmja acusar em pleno hemiciclo um deputado da oposição de saer traficante de droga não faça eco disso, primeiro, e não suscite de seguida um debate sobre as nódos da democracia. É apenas um dos muitos exemplos que aqui poderia dar.



publicado por Jorge Ferreira às 14:02 | link do post | comentar

Quarta-feira, 05.11.08

Aconselho o deputado José Manuel Coelho, do PND da Madeira, como bem sugere o Gabriel Silva, a usar da próxima vez uma bandeira da URSS, conhecido país democrático onde nenhum ditador mandou matar seres humanos e implantou um admirável regime de liberdades individuais, para evitar a queixa...



publicado por Jorge Ferreira às 16:53 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Quarta-feira, 25.06.08

Oito partidos sem representação parlamentar (PND, PNR, PPM, MPT, POUS, PCTP-MRPP, PDA e PH) apresentaram ontem, em Lisboa, uma proposta de alteração à lei de financiamento dos partidos políticos.

O Partidos da Nova Democracia (PND), o Partido Popular Monárquico (PPM), o Movimento Partido da Terra (MPT), o Partido Nacional Renovador (PNR), o Partido Operário de Unidade Socialista (POUS), o Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses-Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado (PCTP-MRPP), Partido Democrático do Atlântico (PDA) e o Partido Humanista (PH) reuniram-se em Lisboa para apresentar uma proposta de alteração à lei de financiamento dos partidos políticos que consiga “salvaguardar os pequenos partidos das pesadas multas”, segundo José Barão das Neves, secretário-geral do PND.

Em declarações à agência Lusa, José Barão das Neves afirmou que, para além da proposta de “alteração de alguns artigos” da lei, a “principal questão” em debate será uma “contabilidade mais simplificada” para os pequenos partidos. “Está-se a acabar com os pequenos partidos, isto é não permitir que as pessoas se possam manifestar”, disse também.

“Não podemos ser tratados como os grandes partidos, que recebem subvenções do Estado. Há partidos com três mil euros de orçamento que foram multados em trinta mil euros”, referiu o secretário-geral do PND. “Os novos partidos não têm estrutura para trabalhar como os grandes partidos, que têm uma máquina por trás”, reiterou. José Barão das Neves declarou ainda que esta é “uma lei de 2003, que merece ser modificada”, fazendo questão de elogiar o Procurador-Geral da República, ao dizer que este tem mostrado “atenção” ao assunto.

 

(Foto)

 

O que eu penso da actual lei.



publicado por Jorge Ferreira às 12:22 | link do post | comentar

Domingo, 25.05.08

"Lisboa, 26 Mai (Lusa) - O Partido da Nova Democracia (PND) apelou hoje aos portugueses para que realizem "buzinões", marchas lentas e boicotes ao consumo de combustíveis em todo o país, em protesto contra os sucessivos aumentos dos preços.

Num comunicado emitido na sequência de uma reunião do presidente do partido com os coordenadores distritais do Norte, o PND lançou um apelo a “incentivar os portugueses a exercerem o seu direito à indignação, buzinando, fazendo marchas lentas, não consumindo combustível vendido pelas companhias que mais aumentos fazem”. Lembrando que o Partido Socialista, quando estava na oposição, “liderou um buzinão na Ponte sobre o Tejo, em protesto contra o aumento das portagens”, o PND considera que “chegou a hora de dizer Basta!”, e que “estão criadas todas as condições para que o Direito à Indignação e, se necessário, à Resistência” surja em Portugal. 

Por outro lado, o partido liderado por Manuel Monteiro considera que o apelo que lança se deve também à "clara ausência de liderança da oposição parlamentar à direita do PS e a mais que ultrapassada forma de contestação à sua esquerda". O PND afirma, por isso, estar disponível para “se juntar a acções que surjam para defender a dignidade” dos portugueses, ajudando na sua promoção, uma vez que o partido não pretende ser cúmplice de um sistema que “coloca a lei ao serviço da destruição das famílias portuguesas”. " 

Fonte: Lusa



publicado por Jorge Ferreira às 19:34 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 01.05.08

A Nova Democracia convidou Garry Kasparov a visitar Portugal. O ex-candidato presidencial russo  e ex-campeão mundial de xadrez admitiu aceitar o convite nos próximos meses. Seria sem dúvida um excelente momento para lembrar, denunciar e debater a situação anti-democrática da Putinolândia.

 

(Foto)



publicado por Jorge Ferreira às 23:13 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 22.04.08

Baltazar Aguiar não é igual aos outros. Não é igual aos que comem e calam.



publicado por Jorge Ferreira às 01:35 | link do post | comentar

Terça-feira, 08.04.08
O melhor remédio para certas maleitas é o humor e a ironia. A Madeira não foge à regra. Estou com o Baltasar Aguiar: construa-se a estátua ao homem. Com a escada interior e tudo.


publicado por Jorge Ferreira às 14:26 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 23.01.08
O cartaz da Nova Democracia sobre a mafia. Por enquanto, é no Funchal.


publicado por Jorge Ferreira às 09:51 | link do post | comentar

Domingo, 11.11.07
Quem vai buscar lã, mesmo que seja em Guimarães, sai tosquiado. E não, não é de futebol que estou a falar.


publicado por Jorge Ferreira às 13:41 | link do post | comentar

Sexta-feira, 19.10.07
No meio de uma atabalhoada mistura de propostas políticas apresentadas no discurso de encerramento do Congresso do passado fim de semana, o novo líder do PSD apresentou o objectivo de propor uma nova Constituição para Portugal.

Aí está uma boa ideia, que teria ficado bem a Luís Filipe Menezes reconhecer, a bem da seriedade política, que tem antecedentes políticos e partidários. A Nova Democracia apresentou há dois anos um projecto de nova Constituição para uma nova República, da autoria do Prof. Paulo Otero, prestigiado Professor de Direito da Faculdade de Direito de Lisboa.

A ideia mereceu evidentemente, pronta reacção do situacionismo. Uns lembraram logo que os portugueses não “comem” Constituição, que é como quem diz, Menezes enganou-se no tema se quer ter votos. Outros aduziram um argumento mais profundo: a Constituição está bem assim, porque foi feita assim e assim deve continuar porque quando foi feita, foi feita assim. Outros ainda apressaram-se a esclarecer que os problemas do país não se resolvem com a Constituição, esquecendo-se embora de defender a sua extinção, dada a sua natureza tão exuberantemente excedentária.

Uma das propostas de Luís Filipe Menezes, conexa com a anterior foi a da extinção do Tribunal Constitucional, a qual, por mera coincidência, também consta do projecto da Nova Democracia. Esta proposta mereceu resposta qualificada do Presidente do próprio Tribunal e dos manualistas do sistema, que rapidamente se deram conta de que deixariam de vender os seus celebrados catrapázios hermenêuticos se a ideia fosse por diante.

É preciso que se diga a verdade: a actual Constituição não está esgotada. Enquanto não atingirmos a sociedade socialista preconizada no Preâmbulo da actual Constituição, ela estará por esgotar. Mas a verdade é que sou dos que defendo que a Constituição de 1976 foi um erro, embora historicamente explicável, e é ainda hoje um empecilho ao desenvolvimento numa parte e um mero exercício de lirismo jurídico programático noutra parte. Isto para não falar do sistema de Governo, cujo modelo não só não é o único possível, como a meu ver não é o desejável, como em momentos de crise como o que sucedeu com a substituição do Governo de Durão Barroso pelo Governo de Santana Lopes deu para perceber.

Portugal precisa de uma nova Constituição, porque a actual é inconsequentemente programática, aberrantemente socialista, anacronicamente intervencionista e juridicamente contraditória.

Pode argumentar-se que não existem neste momento condições políticas para mexer na Constituição com a profundidade que o país necessita. De facto, PS, PSD e CDS são hoje do ponto de vista constitucional um bloco imobilista e fechado à mudança. Mas nada impede que se faça esse debate de forma séria e útil para a clarificação de projectos políticos para Portugal. Esse contributo pode Luís Filipe Menezes ajudar a dar, na esteira de muitos outros que o vêm fazendo há vários anos. Esperemos que seja a sério.
(publicado na edição de hoje do Semanário)


publicado por Jorge Ferreira às 10:35 | link do post | comentar

Sexta-feira, 13.07.07


publicado por Jorge Ferreira às 22:55 | link do post | comentar | ver comentários (1)


De repente a corrupção desapareceu. A Bragaparques desapareceu. A sindicância desapareceu. Lisboa passou apenas a ter uma Câmara endividada. Carmona Rodrigues, o rosto da decadência de Lisboa, o rosto da inépcia política, também nunca existiu. Foi o seu espectro que andou por lá. As eleições fizeram milagres.

No domingo os lisboetas vão votar para a Câmara de Lisboa. O mais provável é que as eleições não resolvam os problemas essenciais da cidade. O estado a que chegou a Câmara exige, mais do que mezinhas de mercearia, mais do distribuição de negócios pelos vários interesses que se agrupam em redor de quem cheira a poder, uma ruptura. Há provas que será assim: António Costa já prometeu dar responsabilidades a todos. O que significa que o essencial continuará na mesma. Quando um mero vereador da oposição sem pelouro consegue empregar 11 assessores, como foi o caso de Sá Fernandes, podemos avaliar o que aí vem: mais uma rodada de emprego partidário.

Uma ruptura desde logo política e ideológica, que transcende o arranjo do passeio esburacado, a lavagem das ruas imundas que fazem lembrar os relatos dos séculos de antanho, ou a estatueta a inaugurar num domingo de manhã.

Como é evidente nenhum dos candidatos que ocupam os primeiros lugares das sondagens fará essa ruptura que é tão necessária quanto urgente. Nenhum deles, por exemplo, limpará a Câmara do emprego partidário que suga as depauperadas finanças municipais. Se fossem capazes disso e, sobretudo, se o quisessem já o teriam feito enquanto estiveram na Vereação a viabilizar à vez e em rotatividade as várias votações que nos últimos anos enterraram Lisboa no lodo da suspeita e da estagnação.

Apenas um exemplo: foi preciso que a Nova Democracia fizesse a proposta de extinção de todas as empresas municipais há dois anos para que os partidos do sistema começassem a defender a extinção de algumas. A verdade é que nem uma desapareceu.

Por isso, o voto útil no domingo não é em quem presumivelmente vai ser eleito, uma vez que já se sabe que seja quem for não tocará no essencial, mas em quem pode abanar o sistema de ineficácia e de tráfico de diversas e variadas influencias que enxameiam a Câmara. O leitor imaginará que defendo o voto no Partido da Nova Democracia. Lisboa precisa de uma nova Democracia como de pão para a boca.


(publicado na edição de hoje do Semanário)


publicado por Jorge Ferreira às 10:39 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.07.07
Blogue.


publicado por Jorge Ferreira às 20:42 | link do post | comentar

Domingo vai haver eleições em Lisboa por três razões. A primeira para sair de uma situação de absoluta inépcia política. A segunda, para eliminar uma situação de suspeita judiciária sobre a gestão municipal. A terceira, para resolver uma situação de ruína financeira. As três situações têm uma cara: Carmona Rodrigues. As três têm cumplicidades: todos os vereadores, à vez, foram viabilizando, suportando, calando, votando ao lado do rosto da decadência de Lisboa (nem um tal Zé escapou).

E Lisboa é de facto capital. Por isso, o voto é capital. A Nova Democracia é a boa moeda para resolver os três problemas de Lisboa: acabar com a corrupção, tomar decisões para melhorar a vida dos lisboetas e limpar a Câmara de tachos e de despesa inútil, como por exemplo, extinguindo as empresas municipais.
(publicado no Democracia Liberal)


publicado por Jorge Ferreira às 12:47 | link do post | comentar

Sexta-feira, 06.07.07

Manuel Monteiro em alta, por Rui Costa Pinto, no Mais Actual.
Lisboa é Capital, por Valupi, no Aspirina B.
Isto vai mal, isto vai mau, por Pinto Ribeiro, no Suck and Smile.
Uma boa surpresa, por João Gomes, em Aquela Opinião.
António Costa teve medo de receber o Ginja, em O Jumento.


publicado por Jorge Ferreira às 22:46 | link do post | comentar

Sexta-feira, 22.06.07
Não consigo deixar de me divertir com os bonzos sistemáticos que com inveja ou por pura incapacidade derivada de cinzentismo medular, andam danados com o Ginjas.


publicado por Jorge Ferreira às 21:32 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Quinta-feira, 21.06.07
O blogue da candidatura da Nova Democracia à Camara Municipal de Lisboa.


publicado por Jorge Ferreira às 13:34 | link do post | comentar




publicado por Jorge Ferreira às 10:28 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quinta-feira, 14.06.07
Depois de se reunir com a Gebalis, a Nova Democracia emitiu as seguintes considerações:
"1.A nossa posição defensora da extinção das Empresas Municipais reforça-se. 2. Os Bairros Sociais são hoje bancos de votos para o PS e o PSD. 3. É altamente escandaloso que existam pessoas a viver em Bairros Sociais que possuam segunda habitação fora da cidade de Lisboa. 4. O PS e o PSD têm uma gestão eleitoral dependente da manutenção dos Bairros Sociais tal qual se encontram estruturados. 5 Existem candidatos do Partido Social Democrata que são caciques eleitorais que mantêm secções distritais do próprio partido à custa da entrega de casa para determinadas famílias. 6. O escândalo em que a cidade de Lisboa se mantém em matéria de Habitação Social é para nós sinonimo de corrupção política que importa rapidamente destruir e combater. A Lista da Nova Democracia não se calará enquanto todo este sistema politicamente corrupto não for extinto."
Quem fala assim não é gago.


publicado por Jorge Ferreira às 16:06 | link do post | comentar | ver comentários (1)

O Governo acaba de chegar a acordo com Isaltino de Morais para transferir o IPO de Lisboa para Oeiras. O Presidente da Câmara Municipal de Oeiras está acusado da prática de crimes, sendo inocente até trânsito em julgado de sentença condenatória. O PS está coligado na Câmara Municipal de Oeiras com o dito Isaltino.

Só não percebo por que razão o PS trata tão mal Fátima Felgueiras. Só não percebo por que razão o PS quer obrigar os autarcas acusados a suspender os mandatos. Só não percebo por que razão António Costa está calado sobre o IPO. Ou se calhar percebo tudo. Como diz o povo, estão todos bem uns para os outros.

Nas eleições em Lisboa, há uma grande oportunidade de mudar este estado de podridão em que mergulhou a democracia portuguesa. É votar em Manuel Monteiro e na Nova Democracia. Oxalá a aproveitem.

Já agora: o Parque Mayer faz hoje 85 anos. Abandonado, desprezado, inacabado, destruído, ele é o melhor símbolo da falência política da CML nas últimas décadas. Uma cidade que resiste a este desleixo durante tanto tempo, só pode ser uma grande cidade. E só pode ter muita paciência.
(publicado na edição de hoje do Democracia Liberal)


publicado por Jorge Ferreira às 14:30 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Domingo, 10.06.07
Os alegados principais candidatos à CML estão a fazer a ladainha irresponsável pré-eleitoral do costume. Prometem tudo o que lhes vem à cabeça: bicicletas, lares, até um tal Zé quer, certamente em delírio, importar 50.000 almas em seis anos para repovoar o centro histórico fantasma que é legítimo património do PCP, do PS, do PSD e do CDS, visto que entre si bragaparcaram Lisboa nos últimos anos.

Do que ninguém fala e do que ninguém quer saber é do númerozinho fatal. E qual é ele? É o montante dos encargos futuros que impendem sobre a CML. A dívida já se sabe qual é. O que não se sabe é quanto vai ser por obra e graça dos compromissos já assumidos para o futuro. Está-se a ver o que vai suceder: quem ganhar vai meter no bolso as bicicletas, os lares e a importação de almas, alegando que a coisa é muito pior do que se pensava. Assim como fez o PSD, o CDS e o PS no Governo da Pátria nos últimos cinco anos.

Fez bem, pois, a Nova Democracia, ao denunciar que o jogo eleitoral está viciado. Porque até agora, na luta eleitoral de Lisboa, apenas temos assistido à palhaçada do costume.
(publicado na edição de sexta-feira passada no Democracia Liberal)


publicado por Jorge Ferreira às 22:28 | link do post | comentar

Terça-feira, 05.06.07
Ler comentários de Pedro Magalhães, no Margens de Erro, sobre a sondagem da Data Crítica que foi objecto de queixa do PND na ERC e na CNE.


publicado por Jorge Ferreira às 14:29 | link do post | comentar

JORGE FERREIRA

tomarpartido@sapo.pt

visitantes em linha

English version by Google
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3
4
5
6
7

8
9

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30



DESTAQUES




TAMBÉM ESTOU AQUI

Jorge Ferreira

Cria o Teu Crachá

Aveiro
Comunicar a direito
Democracia liberal
Diário de aveiro
Jorge ferreira
O carmo e a trindade
O templário
Terras de mármore
Tv net

O PARTIDO DOS AMIGOS

A cagarra
Alinhavos
Cão com pulgas
Eclético
Faccioso
Ilha da madeira
Fumaças
Mais actual
Meu rumo
Paris
Sobre o tempo que passa
Tubarão


OUTROS PARTIDOS

A arte da fuga
A barbearia do senhor luís
A casa de sarto
A casa dos comuns
A caveira vesga
A caverna obscura
A civilização do espectáculo
A destreza das dúvidas
A educação do meu umbigo
A gota de ran tan plan
A grande alface
A janela do ocaso
A natureza do mal
A origem das espécies
A outra varinha mágica
A regra do jogo
A revolta das palavras
a ritinha
A terceira noite
A textura do texto
A voz do povo
A voz nacional
A voz portalegrense
As escolhas do beijokense
As penas do flamingo
Abrigo de pastora
Abrupto
Às duas por três
Activismo de sofá
Admirável mundo novo
Adufe
Água leve
Água lisa
Alcabrozes
Alianças
Aliança nacional
Almocreve das petas
Apdeites v2
Arcadia
Arde lua
Arpão
Arrastão
Aspirina b
Atuleirus
Avatares de um desejo

Bar do moe, nº 133
Blasfémias
Bem haja
Berra-boi
Bic laranja
Bicho carpinteiro
Binoculista
Bissapa
Blogo social português
Blogotinha
Blogs e política
Blogue de direita
Blogue da sedes
Blogue real associação de lisboa
Blue lounge
Boca de incêndio
Boina frígia
Braga blog
Branco no branco
Busturenga

Cabalas
Café Bar James Dean
Café da insónia
Caixa de petri
Caixa de pregos
Câmara corporativa
Campos da várzea
Canhoto
Carreira da í­ndia
Causa liberal
Causa nossa
Cegos mudos e surdos
Centenário da república
Centurião
Certas divergencias
Chá preto
Charquinho
Cibertúlia
Cinco dias
Classe polí­tica
Clube das repúblicas mortas
Clube dos pensadores
Cobrador da persia
Combustões
Confidências
Congeminações
Contingências
Controversa maresia
Corta-fitas
Crónicas d'escárnio e mal dizer

Da condição humana
Da literatura
Da rússia
Dar à tramela
Dass
De vexa atentamente
Der terrorist
Delito de opinião
Desconcertante
Desesperada esperança
Despertar da mente
Direito de opinião
Do portugal profundo
Dois dedos de prosa e poesia
Dolo eventual
Duas cidades
Duas ou três coisas
2 rosas

É curioso
É tudo gente morta
e-konoklasta
Em 2711
Elba everywhere
Em directo
Encapuzado extrovertido
Entre as brumas da memória
Enzima
Ephemera
Esmaltes e jóias
Esquissos
Estado sentido
Estrago da nação
Estudos sobre o comunismo
Espumadamente
Eternas saudades do futuro

Falta de tempo
Filtragens
Fliscorno
Fôguetabraze
Foram-se os anéis
Fúria dos dias

Gajo dos abraços
Galo verde
Gazeta da restavração
Geometria do abismo
Geração de 80
Geração de 60
Geração rasca
Gonio
Governo sombra

Há normal?!
Herdeiro de aécio?!
Hic et nunc
Hoje há conquilhas, amanhã não sabemos
Homem ao mar

In concreto
Ideal social
Ideias soltas
Ilusão
Império lusitano
Impressões de um boticário de província
Insinuações
Inspector x
Intimista

Jacarandá
Janelar
Jantar das quartas
João Távora
Jornal dos media
José antónio barreiros
José maria martins
Jose vacondeus
Judaic kehillah of portugal - or ahayim
Jugular
Julgamento público

Kontrastes

La force des choses
Ladrões de bicicletas
Largo da memória
Largo das alterações
Latitude 40
Liblog
Lisbon photos
Lobi do chá
Loja de ideias
Lusitana antiga liberdade
Lusofin

Ma-schamba
Macroscópio
Maioria simples
Maquiavel & j.b.
Margem esquerda
Margens de erro
Mar salgado
Mas certamente que sim!
Mau tempo no canil
Memória virtual
Memórias para o futuro
Metafísica do esquecimento
Miguel teixeira
Miniscente
Minoria ruidosa
Minudencias
Miss pearls
Moengas
Movimento douro litoral
Mundo disparatado
Mundus cultus
My guide to your galaxy

Não há pachorra
Não não e não
Nem tanto ao mar
Neorema
Nocturno
Nortadas
Notas formais
Notícias da aldeia
Nova floresta
Nova frente
Num lugar à direita
Nunca mais

O afilhado
O amor nos tempos da blogosfera
O andarilho
O anónimo
O bico de gás
O bom gigante
O cachimbo de magritte
O condomínio privado
O contradito
O diplomata
O duro das lamentações
O espelho mágico
O estado do tempo
O eu politico
O insubmisso
O insurgente
O islamismo na europa
O jansenista
O jumento
O observador
O país do burro
O país relativo
O pasquim da reacção
O pequeno mundo
O pravda ilhéu
O principe
O privilégio dos caminhos
O profano
O reaccionário
O saudosista
O severo
O sexo dos anjos
O sinaleiro da areaosa
O tempo das cerejas
O universo é uma casca de noz
Os convencidos da vida
Os veencidos da vida
Obrigado sá pinto
Oceano das palavras
Office lounging
Outra Margem
Outubro

Palavra aberta
Palavrussaurus rex
Pangeia
Papa myzena
Patriotas.info
Pau para toda a obra
Pedra aguda
Pedro_nunes_no_mundo
Pedro rolo duarte
Pedro santana lopes
Pena e espada
Perguntar não ofende
Planetas politik
Planí­cie heróica
Playbekx
Pleitos, apostilas e comentários
Politeia
Política pura e dura
Polí­tica xix
Polí­tica de choque
Politicazinha
Politikae
Polvorosa
Porcausasemodivelas
Porto das pipas
Portugal dos pequeninos
Por tu graal
Povo de bahá
Praça da república em beja
Publicista

Quarta república

Registo civil
Relações internacionais
Retalhos de edith
Retórica
Retorno
Reverentia
Revisões
Ricardo.pt
Risco contínuo
Road book
Rua da judiaria

Salvaterra é fixe
Sem filtro
Sempre a produzir
Sentidos da vida
Serra mãe
Sete vidas como os gatos
Small brother
Sociedade aberta
Sociologando
Sorumbático
Sou contra a corrente
Super flumina

Táxi
Tempo político
Tenho dito
Teorias da cidade
Tese & antítese
Tesourinhos deprimentes
There is a light never goes out
Tirem-me daqui
Tralapraki
Transcendente
Tribuna
31 da armada
Tristeza sob investigação
Triunfo da razão
Trova do vento que passa

Último reduto
Um por todos todos por um

Vale a pena lutar
Vasco campilho
Velocidade de cruzeiro
Viagens no meu sofá
Vida das coisas
Vento sueste
Voz do deserto

Welcome to elsinore

Xatoo

Zarp blog

PARTIDOS DOS ALUNOS

Ao sul
As cobaias
Fados e companhia
O cheiro de santarém pela manhã
Platonismo político
Projecto comunicar

PARTIDOS DE ABRANTES

Abranteimas
Rua da sardinha
Torre de menagem

PARTIDOS DO ALGARVE

Mons cicus
Olhão livre
Tavira tem futuro
The best of lagos

PARTIDOS DE AVEIRO

A ilusão da visão
Academia de aveiro
Actas diárias
Amor e ócio
Arestália
Aveiro sempre
Bancada directa
Bancada norte
Blog de sergio loureiro
Botanabateira
Código da vivencia
Cogir
Debaixo dos arcos
Desporto aveiro
Divas e contrabaixos
Estados gerais
Forum azeméis
Já agora
Margem esquerda
Neo-liberalismo
Nós e os outros
Notas de aveiro
Notícias da aldeia
Noticias de ovar
Painéis de aveiro
Pontos soltos
Portal do beira-mar
4linhas
Quotidiano da miséria
7 meses
The sarcastic way
Visto de fora
Vouga

PARTIDOS DE OEIRAS

À rédea solta
Escrever sobre porto salvo
Eu sou o poli­ticopata
Oeiras local
Rememorar oeiras

PARTIDOS DE TOMAR

Alcatruzes da roda
Algures aqui
À descoberta de tomar
Charneca da peralva
Nabantia
Olalhas
Os cavaleiros guardiões de sta. maria do olival
Sondagem tomar
Tomar
Thomar vrbe
Tomar, a cidade
Tomar a dianteira
Vamos por aqui

PARTIDOS DE VILA VIÇOSA

A interpretação do tempo
Infocalipo
O restaurador da independencia
Tasca real

PARTIDOS POÉTICOS

Arrimar
Corte na aldeia
Forja de palavras
Linha de cabotagem (III)
Nimbypolis
O melhor amigo
Ofí­cio diário
Orgasmos dos sentidos

PARTIDOS DAS ÁGUIAS

A águia
A ilíada benfiquista
A mística benfiquista
Amo-te, benfica
Anti-anti-benfica
Benfiquistas desde pequeninos
Calcio rosso
Chama imensa
Diário de um adepto benfiquista
E isso me envaidece
E pluribus unum
Encarnados
Encarnado oriental
Encarnado e branco
Eterno benfica
Football dependent
Gloriosa fúria vermelha
Glorioso jornal
Gordo vai à baliza
Javardos benfiquistas
loucos pelo slb
Mágico slb
Mar vermelho
Memória gloriosa
Não se mencione o excremento
Novo benfica
O antitripa
O inferno da luz
O grémio benfiquista
Os nossos queridos jornalistas desportivos
País de corruptos
Quero a verdade
Ser benfiquista
Slbenfica - forever champions
Slblog
Tertúlia benfiquista
Um zero (1-0) basta
Vermelhovzky
Vedeta da bola
Vedeta ou marreta?
Velho estilo ultras
Vermelho à moda do porto

PARTIDOS DA BOLA

Cromo dos cromos

PARTIDOS DO DIREITO

Ab surdus
Assembleia de comarca
Blog de informação
Blog do dip
Cartilha jurídica
Cum grano salis
Direito na sociedade da informação
Dizpositivo
Elsa
Incursões
Iuris
Leituras oficiosas
Legalidade
Lex turistica nova
Mens agit molem
Notas constitucionais
O meu monte
Patologia social
Piti blawg
Ré em causa própria
Reforma da justiça
Rumo do direito
Santerna
Suo tempore
Trepalium
Urbaniuris
Vexata quaestio

PARTIDOS DA VIDA

Açores pelo não
Alentejo pelo não
(Des)conversas em família
Direito a viver
Évora pelo não
Fiat lux
Impensável
Jornal da família
Nebulado
Pela vida
Pelo não
Quero viver
Razões do não
Sinto a vida
Sou a favor da vida

PARTIDOS DA ARGENTINA

El opinador compulsivo

PARTIDOS DO BRASIL

Ação humana
Cronicas do joel
Depósito do maia

PARTIDOS DE ITÁLIA

Importanza dele parole

PARTIDOS DOS LIVROS

Blog do espaço de memória e do pátio das letras
D'outro tempo
Lerblog
Mundo pessoa

PARTIDOS DAS REVISTAS

Alameda digital
Leonardo, revista de filosofia portuguesa

PARTIDOS DA TAUROMAQUIA

Lides alentejanas
Toiradas

PARTIDOS DOS BLOGUES

aniversários de blogues
Blog do dia dn
Blogpatrol
Blogpulse
Blogsearch
Blogservatório
Blogs em lí­ngua portuguesa
Moblig
Orochi's blog
Sapo blogs
Technorati
Weblog

PARTIDOS DA POLÍTICA

Bloco de esquerda
Centro democrático social
Os verdes
Partido comunista português
Nova democracia
Partido social-democrata
Partido socialista


PARTIDOS DOS JOGOS OLÍMPICOS

Atenas 2004
Pequim 2008
Comité olí­mpico internacional
Comité olí­mpico de portugal

PARTIDOS DOS JORNALISTAS

a capital
Jornal do diabo
O comércio do porto



TAMBÉM JÁ ESTIVE AQUI
Blogue do não
Câmara de comuns
Eleições 2009
Nova vaga
Novo Rumo
O carmo e a trindade
O eleito
Olissipo
Ota não
Portal lisboa
RCP ONLINE
Semanário
Sportugal
Tomarpartido
ARQUIVOS

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds
tags

efemérides(867)

borda d'água(850)

blogues(777)

josé sócrates(537)

ps(339)

psd(221)

cavaco silva(199)

pessoal(182)

justiça(180)

educação(150)

comunicação social(139)

política(137)

cds(126)

crise(121)

desporto(120)

cml(116)

futebol(111)

homónimos(110)

benfica(109)

governo(106)

união europeia(105)

corrupção(96)

freeport de alcochete(96)

pcp(93)

legislativas 2009(77)

direito(71)

nova democracia(70)

economia(68)

estado(66)

portugal(66)

livros(62)

aborto(60)

aveiro(60)

ota(59)

impostos(58)

bancos(55)

luís filipe menezes(55)

referendo europeu(54)

bloco de esquerda(51)

madeira(51)

manuela ferreira leite(51)

assembleia da república(50)

tomar(49)

ministério público(48)

europeias 2009(47)

autárquicas 2009(45)

pessoas(45)

tabaco(44)

paulo portas(43)

sindicatos(41)

despesa pública(40)

criminalidade(38)

eua(38)

santana lopes(38)

debate mensal(37)

lisboa(35)

tvnet(35)

farc(33)

mário lino(33)

teixeira dos santos(33)

financiamento partidário(32)

manuel monteiro(32)

marques mendes(30)

polícias(30)

bloco central(29)

partidos políticos(29)

alberto joão jardim(28)

autarquias(28)

orçamento do estado(28)

vital moreira(28)

sociedade(27)

terrorismo(27)

antónio costa(26)

universidade independente(26)

durão barroso(25)

homossexuais(25)

inquéritos parlamentares(25)

irlanda(25)

esquerda(24)

f. c. porto(24)

manuel alegre(24)

carmona rodrigues(23)

desemprego(23)

direita(23)

elites de portugal(23)

natal(23)

referendo(23)

apito dourado(22)

recordar é viver(22)

banco de portugal(21)

combustíveis(21)

música(21)

pinto monteiro(21)

bcp(20)

constituição(20)

liberdade(20)

saúde(19)

augusto santos silva(18)

cia(18)

luís amado(18)

todas as tags