Segunda-feira, 09.11.09

"Em primeiro lugar, a construção do muro pelas autoridades da República Democrática Alemã foi seguida com uma grande placidez pelas potências ocidentais em Agosto de 1961. Tive oportunidade de consultar em Boston, nos arquivos do Presidente Kennedy, alguns documentos que demonstram o embaraço, mas também a paciência, com que se encarou em Washington essa medida, vista como puramente defensiva, senão circunstancial, em termos da divisão da Alemanha."

 

José Medeiros Ferreira, Vida e Morte do Muro de Berlim, a ler no "i".



publicado por Jorge Ferreira às 18:10 | link do post | comentar

 

"Sr. Gorbachev, derrube este muro", disse Ronald Reagan.



publicado por Jorge Ferreira às 18:06 | link do post | comentar

Sábado, 15.08.09

O Hamas, isso mesmo, o Hamas. Ele há notícias extraordinárias!



publicado por Jorge Ferreira às 13:45 | link do post | comentar

Segunda-feira, 29.06.09

Madoff foi condenado a 150 anos de prisão. O paraíso do capitalismo é rápido e eficaz a julgar e punir quem viola a lei. Já por cá, 150 anos, só se fôr mesmo o tempo que duraria o processo...


tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 18:33 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Domingo, 22.03.09

A responsável do Conselho Económico Consultivo do presidente norte-americano disse hoje que o Governo precisa da ajuda dos investidores privados na compra de activos tóxicos que estão a sobrecarregar os balanços dos bancos. Afinal, parece que o Estado não dá para tudo, nem em momentos de crise. Afinal, parece que é necessário regressar ao neo-liberalismo. Foi manifesta exagerada a notícia da ressurreição das nacionalizações e do socialismo de Estado...
 


tags: , ,

publicado por Jorge Ferreira às 19:45 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.03.09

Marc Litt, o Procurador do processo Madoff, já anunciou já que irá pedir uma pena de prisão de 150 anos. Não me digam que descobriram o elixir da vida eterna para o homem poder cumprir uma pena destas...


tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 18:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 03.02.09

Ao princípio foram os símbolos e a propaganda. As ordens para encerrar Guantánamo, acabar com as prisões secretas da CIA e proibir tortura e técnicas duras de interrogatório fizeram as manchetes no início da presidência de Obama. Mas entre as ordens executivas assinadas pelo Presidente dos EUA há duas semanas, passou mais desapercebida a decisão de manter intacto um programa controverso da Administração Bush: os raptos secretos e transferências de prisioneiros para países que cooperam com os Estados Unidos, conhecidos como “rendições”. Claro: yes, he can do it. Aguardam-se as reacções dos blogues de esquerda sobre mais esta desilusão.



publicado por Jorge Ferreira às 14:34 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.01.09

O país, com a boçalidade de que infelizmente dá regularmente provas, entusiasmou-se por poder vir a ter um cão de água na Casa Branca. Por mim, tenho a confessar que me é absolutamente irrelevante saber a origem geográfica do cão das filhas do novo messias, entronizado pela comunicação social. Obama, que teve de jurar duas vezes cumprir a Constituição porque se enganou no primeiro juramento e que foi apresentado pelo speaker da cerimónia de posse sem um dos seus nomes, precisamente o do meio, o tal, o Hussein, aposta forte no marketing, é bem fabricado, é bom na performance e obviamente beneficia de um estado de graça que consente tudo aquilo que em Bush seria uma tragédia universal.

 

Obama é uma espécie de Sócrates em bom. Conseguiu brilhantemente a improvável eleição contra o sistema de Washington representado pela senhora Rodham Clinton e o mundo precisa que a Presidência lhe corra bem. Mesmo quem não alinha nas orações que se fazem na comunicação social em louvor do novo pastor e mesmo que se discorde de muitas das suas rezas, cumpre reconhecer que seria uma tragédia que a todos afectaria se corresse mal.

 

Ora, sucede que no país do cão acontecem, apesar de tudo, algumas coisas. Acontece um Primeiro-Ministro afirmar com a maior tranquilidade do mundo, que desta vez as previsões económicas do Governo “são sérias e responsáveis”, apesar de já terem sido desmentidas pela Comissão Europeia e apesar de qualquer cidadão de média inteligência perceber que a crise não autoriza a arrogância da afirmação. Acontece uma maioria absoluta que é suspeita de condicionar a liberdade de um jornal publicar notícias que comprometem os seus membros no caso Freeport, usando para isso um banco privado (privado?...). Acontece uma oposição sem chama, sem credibilidade, sem força e sem projecto, que já foi experimentada no Governo e não fez melhor do que o PS está a fazer.

 

Isto num ano de profunda crise, em que os portugueses entregam ao Estado um euro em cada dois do que produzem, alimentando um monstro insaciável que não revela capacidade de se reformar e de se conter na despesa.  Resta-nos a consolação das lateralidades. A consolação pacóvia do cão de água, a consolação do grande CR7 que definitivamente não deve ser convocado para entrevistas mas apenas para jogar à bola e a consolação de já terem passado 22 dias do ano da desgraça de 2009. Faltam apenas 343 dias para 2010.

 

(publicado na edição de hoje do Semanário)

(Cão de água português)

 



publicado por Jorge Ferreira às 00:12 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22.01.09

Em plena época de crise e incerteza no futuro George Olmert (nome incómodo cuidadosamente omitido e abreviado para O. durante a cerimónia de posse) Bush escandalizou os norte-americanos gastando 131 milhões de dólares nas festas, bailes e demais acontecimentos organizados para ornamentar a sua posse, o que foi visto como uma afronta. Com uma operação de segurança nunca vista no perímetro abrangido pelas cerimónias, Bush fez jus à sua falta de jeito para as cerimónias públicas, fazendo o juramento com uma palavra errada, o que obrigou o Presidente do Supremo a fazer outra cerimónia, desta vez, mais íntima, na Casa Branca, para repetir o juramento como deve ser. Os americanos nem queriam acreditar no que estavam a ver e a ouvir. A primeira dama, entretanto, também entrou com o pé esquerdo, tendo escolhido um estilista de origem israelita e um costureiro da Coreia do Sul para desenhar os trajes que usou na posse do marido. Até agora, entretanto, desconhece-se o pensamento de Bush sobre as denúncias do impacto ambiental da cerimónia da tomada de posse. Os americanos estão entretanto conformados com a ideia de viverem com um Presidente em estado de desgraça durante os próximos quatro anos.

 

(Com a ajuda da Helena Matos)



publicado por Jorge Ferreira às 16:14 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quarta-feira, 21.01.09

Verifico com agrado o encantamento geral que vai por cá com o sistema presidencialista. O dos EUA. E se fosse cá?



publicado por Jorge Ferreira às 09:53 | link do post | comentar

Terça-feira, 20.01.09

Andam para aí almas obamicas surpreendidas com a afirmação de que Bush (perdão, não sabia que hoje era proibido falar de Bush, ops!...) foi o mais popular Presidente de sempre. Foi. A seguir ao 11 de Setembro. A forma como ele desbaratou essa popularidade até se tornar o mais odiado de sempre é outra conversa.


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 12:42 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Hoje é o dia do mundo deprimido ser todo obamaníaco enquanto se pode. A dura realidade americana e internacional - os EUA não são omnipotentes mas são a única superpotência, o que os torna decisivos para todos - impor-se-á demolidoramente depois das festas. Até agora tomava-se partido pelos candidatos americanos à Casa Branca pelo que eles diziam sobre o mundo, pouco nos interessando o que propunham para a política interna americana. Desta vez, ambas as coisas têm a ver com todos, atenta a crise globalizada que se vive à escala planetária. Há excessivas expectativas sobre Obama, que se explicam em grande parte pelas consequencias da talvez mais difícil presidencia da história americana que foi a de George W. Bush. O mais popular Presidente de sempre e também o mais odiado será talvez o único que sai da Casa Branca à espera que a História lhe faça justiça. É a sua única esperança e, todavia, não é difícil perceber que todos lhe devemos mais do que aquilo que é politicamente correcto admitir, não obstante os erros, os disparates e as gaffes. Obama vai poder continuar a alimentar as ilusões do povo da esquerda com duas ou três medidas bem gerudas no tempo e a que não deixará de dar o devido relevo simbólico, como é o caso do encerramento, embora a prazo e com muita calma, da prisão de Guantanamo. Mas não hesitará em defender os interesses americanos, como é timbre de todos os Presidentes, mesmo que isso seja contrário aos interesses dos europeus que há muito decidiram empanturrar-se em manteiga e deixar de comprar canhões.

(Foto)

 

(publicado no Camara de Comuns)



publicado por Jorge Ferreira às 10:31 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.12.08

As coisas parece que andam agitadas em Chicago e Washington. O governador do Illinois Rod Blagojevich está à beira da demissão, depois de ter sido apanhado a vender o lugar do senador Obama e o chefe de gabinete de Obama, Rham Emanuel, também ele oriundo de Chicago anda a fugir aos jornalistas. Isso mesmo: parece que há escutas em que o belo do Ralph combina, articula, comenta alguns dos potenciais adquirentes do lugar do chefe, isto depois de Obama ter afirmado "estar confiante" que ninguém da sua equipa terá estado envolvido nesta negociação tão, tão, tão mafiosa que só se julgava admissível no horrível Partido Republicano do horrível Bush. Depois das proclamações éticas de Obama durante a campanha, não começamos mal. Ah, entretanto parece que as negociatas eram mais pelo lado dos Clinton, não era?...

(Obama e Emanuel)



publicado por Jorge Ferreira às 00:21 | link do post | comentar

Sexta-feira, 05.12.08

A Europa em peso queria mesmo era ter votado nas eleições presidenciais americanas. Os americanos não têm uma história milenar e gostam de preencher a lacuna comprando monumentos antigos na Europa para os montar piéce par piéce nos seus ranchos. Os europeus, que não querem gastar dinheiro com ninharias como a defesa, gostariam mesmo era de votar nas eleições americanas, onde sentem que se decide muito do futuro da Humanidade. É uma relação esquisita mas é mesmo assim.

 

Ora, depois de oito anos de Bush, as esquerdas europeias julgaram ver em Obama uma espécie de reencarnação de Lenine, mas eleito por voto popular, a comer hamburger e a beber coca-cola, pequenos vícios imperialistas toleráveis em tão arrojada alma presidencial que se avizinhava. Numa palavra, o Presidente perfeito para o mundo. Os europeus não votaram, mas também não foi preciso porque Obama ganhou na mesma. O pior ainda estava para vir.

 

Subitamente as loas a Obama cessaram nas crónicas, nos blogues, nas conversas de café dos recém-especialistas em americanologia, diplomas obtidos na leitura dos sites americanos sobre política e nos blogues americanos credenciados, quais jornalistas, para cobrir as primárias e as secundárias e as terciárias norte-americana.

 

Esta semana, Obama, que afirmou querer matar Osama Bin Laden durante a pré-campanha e que cometeu várias gaffes tal e qual o bronco Bush, escolheu a sua equipa para governar o mundo, ou sejam os Secretários de Estado Hillary Clinton e Robert Gates e o conselheiro de segurança nacional Jim Jones. Um susto para as esquerdas atónitas, ainda na ressaca da vitória.

 

Por junto, Obama serviu-lhes dose cavalar. Hillary é uma espécie de falcão fêmea em matéria de política externa. Votou a favor da invasão do Iraque e afirmou preto no branco que invadiria o Irão se necessário. Ora toma. Robert Gates é, nada mais nada menos do que o actual Secretário da Defesa de Bush, sucessor do célebre Rumsfeld. E Jim Jones foi tão-só comandante supremo da NATO.

 

Pois é: na América a política tem razões que a razão desconhece e não, não é um alinha recta, ou seja, o caminho mais curto entre dois continentes. Obama é americano e no catálogo americano não entram as parvoíces românticas com que as esquerdas europeias gostam de se entusiasmar.

 

Certamente que Obama não deixará de dar uns toques à esquerda. Fechará Gunatánamo, dará prioridade ao Afeganistão em detrimento do Iraque, o que nem está mal visto. As esquerdas mundiais terão assim argumento para continuar a defender o homem. Agora, as grandes coordenadas da política externa e de defesa americana, tirem o cavalinho da chuva. Serão as mesmas porque são constantes.

 

Se eu fosse americano teria votado McCain. Apesar de tudo prefiro os originais. Mas nunca me preocupei excessivamente com a previsível vitória de Obama. Bom negócio mesmo nestes tempos de crise deve ser o dos lenços de papel. Conheço muita gente com muita lágrima para secar com os primeiros passos de Obama. Em todo o caso, num certo sentido, todos podemos dormir um pouco mais tranquilos. E com uma enorme vantagem: Jon Stewart terá material de sobra para mais quatro anos de Daily Show, que não tenciono perder, até para arejar do seguidismo que por cá vigora em relação ao poder.

(publicado na edição de hoje do Semanário)

(Foto)

 


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 00:19 | link do post | comentar

Sexta-feira, 21.11.08

Se Hillary Clinton fôr a Secretária de Estado de Obama como o New York Times avança esta noite os EUA passarão a ter uma liderança bicéfala. Um liderança para dentro, outra, bem diferente para fora. Os obamistas que já se encontram desiludidos deverão passar em breve à oposição.


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 22:22 | link do post | comentar

Segunda-feira, 10.11.08

Histórico mesmo foi o martelar do Muro de Berlim. Nesse dia começou um mundo novo, ao qual, em boa verdade, ainda nos estamos a adaptar. Tudo era mais fácil quando havia o lado dos bons e o lado dos maus, isto é, o lado do Ocidente, liderado pelos EUA e o lado do leste, liderado pela URSS.

 

Agora, parece que há bons e maus por todo o lado, o que é bem mais representativo da realidade. Afinal de contas o maniqueísmo, a bipolarização, distorcem sempre a realidade. Na política internacional e na política interna. Por cá também há um muro a derrubar. Quando será?

 

(Foto)



publicado por Jorge Ferreira às 14:14 | link do post | comentar

Sexta-feira, 07.11.08

Terminou finalmente o longo, cansativo, caro, global e desgastante processo eleitoral democrático do mundo: as eleições presidenciais americanas. No início do processo eleitoral poucos apostariam que as eleições viriam a ser disputadas por McCain, avesso à ortodoxia republicana e a muitas decisões da Administração Bush, e por Barack Obama, que decidiu ousar desafiar a poderosa máquina do clã Clinton. Eles eram dois candidatos improváveis, que as forças nucleares dos republicanos e dos democratas não queriam.

 

A verdade é que contra todas as expectativas ganharam as respectivas nomeações e fizeram uma campanha notável. Ambos a correr por fora, ambos pouco confortáveis para os seus partidos, embora tudo o mais os separasse.

 

Quanto a McCain, fez uma campanha absolutamente heróica, à imagem e semelhança do que foi a sua vida e a sua carreira política. Esteve simplesmente derrotado, abandonado e falido no início da corrida. Sem dinheiro e sem staff. Apenas ele acreditava. Mais uma vez, reergueu-se e teve um resultado notável considerando a conjuntura adversa, a herança Bush e, mesmo num crucial momento da decisão eleitoral de milhões de americanos, o eclodir da crise financeira, que se tornou o principal assunto da vida dos americanos, o decisivo tema da campanha e que lhe caiu em cima de modo fulminantemente comprometedor.

 

Quanto a Obama, teve na competição com a supostamente infernal máquina política dos Clinton (uma espécie de bloco central doméstico) o seu maior teste. Ao contrário do que é lugar comum ler por aí, não penso que o racismo tenha sido um problema. Se o fosse nunca Obama teria obtido a nomeação, quanto mais ganho as eleições. Eu teria votado McCain, embora reconheça que talvez fosse o candidato certo no tempo errado. Discordo das propostas de Obama e desconfio profundamente da distância que existe entre o embrulho e o conteúdo. Não pode ser só o ódio vigente contra Bush a explicar a reunião de tantas simpatias pelo novo Presidente americano, como as que vão do Hamas a Fidel e Chavez, passando por gente sensata e equilibrada e alguma outra que ainda admira Salazar. Definitivamente, este gigantesco partido de ocasião não dá confiança.

 

Ao longo da campanha foram desfilando os habituais clichés da esquerda contra o candidato republicano. Exemplo disso foram os fantasmas agitados preventivamente acerca de eventuais fraudes que a Administração estaria a congeminar para derrotar Obama, como se Bush fosse o melhor amigo de McCain… que Obama era o candidato do mundo contra o candidato prisioneiro da madame Alaska… ques e mais ques.

 

No final, Obama ganhou, McCain perdeu e ambos fizeram dois discursos notáveis na noite da decisão.

 

Estas eleições americanas foram um momento magistral de política. Ilustrado, aliás, por uma afluência maciça às urnas num país que costuma revelar alguma indiferença pela escolha, através de um sistema eleitoral complexo, do seu Presidente que é também o seu Primeiro-Ministro. Que nos deu a perceber melhor a diferença com os momentos políticos banais e medíocres que se vivem por cá.

(publicado na edição de hoje do Semanário)

 


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 00:25 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 05.11.08

Ainda o homem está a dormir e a escolher o cão que vai oferecer à filha e já Obama começa a sofrer as primeiras pressões. Os analistas dos principais meios de comunicação norte-americanos dizem que o novo Presidente, que só toma posse em 2009 e a sua maioria democrática no Congresso têm obrigatoriamente de começar desde já a fazer face à crise financeira e económica que assola o país e o mundo e a muitos outros problemas pendentes. Os Messias são assim: têm de estar abertos 24 horas por dia.


tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 23:33 | link do post | comentar

Obama é, enfim, Presidente. Ele dizia que pode. A partir de agora, deve. Se é ou não uma mudança histórica, só o futuro o dirá. Veremos como é que Obama vai gerir as expectativas que criou e que vão de Hugo Chavez e Fidel Castro a Luís Guedes, do CDS.


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 15:47 | link do post | comentar | ver comentários (3)

A esta hora da noite McCain ainda não perdeu as eleições!


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 01:08 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 03.11.08

 

Hoje, John McCain, como ao longo de toda a sua vida, tem tudo contra si. O mundo elegeu Obama. Os jornais elegeram Obama. As sondagens elegeram Obama. Os blogues, salvo raras e honrosas excepções e até os mais inesperados, elegeram Obama. Palin, apesar dos serviços republicanos prestados, elegeu Obama. Ora porque tem uma voz dos anos cinquenta, ora porque tem setenta e tal anos, ora porque... sim. Para toda esta gente, as eleições de hoje são absolutamente desnecessárias. Um pró-forma. Bem sei que toda esta mesma gente, a começar pela esquerdalhada que tem viajado à boleia de Obama, se vai desiludir se Obama chegar onde eles todos querem que ele chegue. Mesmo assim, eu votaria McCain, se fosse americano. Homens desta tempera é do que a política precisa. De autómatos de propaganda, sejam brancos, pretos, ou seja lá de que cor forem, estou farto. E se McCain ressuscitar outra vez? Aí é que eu me ria. 

 

(Foto)


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 22:57 | link do post | comentar | ver comentários (4)

Segunda-feira, 27.10.08

 

Obama está ungido como próximo Presidente dos EUA. Nos jornais, no marketing, na moda, nas televisões. Para John Mccain, candidato que prefiro, ganhar as eleições parece uma missão impossível. Mas também não seria o primeiro a consegui-las. Às missões impossíveis.

 

(Foto)


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 12:31 | link do post | comentar

Terça-feira, 14.10.08

Dia 16 de Outubro há muito que ver e ler. O último debate entre Mccain e Obama pode ser visto em directo aqui, às duas da manhã, hora portuguesa. Já às 15.30 horas, no Auditório Afonso de Barros, no ISCTE, é lançado o livro "Corrupção e os Portugueses", de Luís de Sousa e João Triães, com apresentação de Maria José Morgado. O livro é editado pela RCP Edições. Um dia cheio.

 



publicado por Jorge Ferreira às 14:14 | link do post | comentar

Quinta-feira, 02.10.08

Calma. Não escrevam nada. É melhor esperar pela votação na Camara dos Representantes. À cautela. Não vá o diabo tecê-las outra vez.


tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 10:38 | link do post | comentar

Terça-feira, 30.09.08

No preciso momento em que os EUA discutem como salvar o capitalismo financeiro, a China vê o seu primeiro astronauta regresssar de uma missão espacial e anuncia que o próximo passo é chegar à Lua. Coincidências.


tags: , ,

publicado por Jorge Ferreira às 14:42 | link do post | comentar

Segunda-feira, 29.09.08

Os mercados estão a reagir mal ao plano de recuperação anunciado por Bush. Esta crise do capitalismo financeiro não é a primeira nem será a última. Mas serve para reflectir. Quando o capitalismo financeiro se desliga da economia real entra em crise. Produzir é preciso. Para distribuir riqueza a folha de Excel ainda não chega.


tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 17:09 | link do post | comentar

Sexta-feira, 26.09.08

McCain decidiu ir ao debate com Obama. Por muito desfavorável que seja o momento económico, a verdade é que não ir, o efeito da cadeira vazia, seria eleitoralmente mortífero para o candidato republicano.


tags:

publicado por Jorge Ferreira às 18:54 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.09.08

Se o FMI não está surpreendido com a falência do Lehman Brothers, quem sou eu para estar? E já agora: poderiam ter avisado antes sobre a ausência de surpresa sobre este facto, assim como fazem nos EUA com os furacões, em que avisam antes e quem quer morrer fica em casa mas é lá com eles? E já agora: poderia o FMI informar se vai acontecer mais alguma coisinha brevemente que não lhes seja surpreendente?


tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 18:27 | link do post | comentar

Segunda-feira, 08.09.08

Há mesmo eleições nos EUA, é um texto que publiquei no Sempre a Produzir, que é sempre bom e interessante ler. Agradeço o simpático convite do Johnnyzito para escrever no Sempre a Produzir, que muito me honrou.


tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 21:49 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 08.02.08
Se não sabe quem é o seu candidato à Casa Branca, é fácil. É só fazer o teste aqui (via Direito de Opinião).

tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 13:17 | link do post | comentar

As eleições americanas transformaram-se no maior espectáculo político do mundo, vendido como tal. Só que desta vez é mais do que espectáculo. É uma verdadeira decisão democrática com implicações no futuro de todos. É verdadeiramente comovente ver como todas as esquerdas europeias, sobretudo as esquerdas “Armani” acompanham com tanto entusiasmo o que se passa no país que passam a vida a abjurar. Até a esquerda, pois, faz a sua directa a ver a CNN para saber os resultados das primárias. Os candidatos suspenderam a campanha para os americanos assistirem à final do Super Bowl, mas isso durou um dia. O espectáculo político vai durar até às eleições propriamente ditas.

Na super terça-feira (nunca percebi as maiúsculas nesta expressão) muito se decidiu. Decidiu-se quem vai ser o candidato republicano e decidiu-se que os democratas ainda não sabem quem querem que seja o seu. Hillary ganhou avanço mas não a vitória. Obama tremeu, mas ainda não perdeu. Vantagem de McCain: a partir de agora pode começar a campanha para a Casa Branca enquanto os seus eventuais adversários ainda terão de discutir nas televisões os clientes mais sinistros dos seus respectivos escritórios de advogados, como já fizeram.

Da terça-feira há dois dados importantes a reter.

O primeiro é este: quem até agora consultasse a comunicação social parecia que os democratas estavam a escolher o futuro Presidente dos EUA. Nada mais existia. A partir de agora parece que vão ter de aturar um maçador candidato republicano que tem fortes hipóteses de ganhar, até porque tem no curriculum uma nítida discordância com Bush e de quem este não esconde que não gosta.

O segundo é este: a vitória de Clinton no Massachusets tem um significado especial. Obama, o candidato chique, simpático, cativante, com voz soul, que tem uma simpática e oportuna avó nos confins do Quénia, escolheu um slogan para a sua campanha que pareceu apropriado ao fim de um ciclo político que termina com uma enorme crise económica nos EUA: “Mudar”. Pois não se sabe bem o quê, para quê, onde, como e com quem, mas também as campanhas não tratam de minudências. Ora, o candidato que promete mudar chegou ao Massachusets e apresentou-se com uma guarda de honra de meter respeito, no Partido, na América e em qualquer parte do mundo: o clã Kennedy, com todo o seu peso clientelar, com toda a sua história quase mítica na política americana, com todo o seu aparelho político familiar. Ou seja: o candidato da mudança apresentou-se com o passado. Com a arqueologia do Partido Democrata, como diria por cá o Primeiro-Ministro que fica aflito com notícias dos anos oitenta. Resultado: perdeu para Clinton.

Este facto transportou-me para a realidade política portuguesa. Não é possível prometer mudar exactamente com os mesmos que foram mudados. É uma lei da vida. Ainda não foi inventada maneira de transformar múmias egípcias em reis do futuro. É por isso que nem PSD nem CDS vão a lado algum no estado em que estão. Aprendam com Obama, por muito que lhes custe. Sob pena de aprenderem à sua custa. Já em 2009. Outra vez.
(Foto)

tags: , ,

publicado por Jorge Ferreira às 00:07 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 07.02.08
Ler esta análise de Bruno Alves, no Desesperada Esperança.

tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 23:56 | link do post | comentar

Quarta-feira, 06.02.08
Ocorre que Luís Filipe Menezes ainda não mostrou nada. Falso: mostrou alguma coisa, mas de pior em relação a Marques Mendes. Como ocorre, na ressaca da remodelação, que a esquerda-extrema ralha, ralha, ralha, mas vai a correr para o cadeirão assim que lhe assobiam. Como ocorre que todos falam, falam, falam, mas não perdem pitada das presidenciais norte-americanas. Como ocorre que nos tempos de hoje está desculpada a ilegalidade, desde que ocorrida nos tempos de ontem e fosse praticada por todos os cidadãos. Como ocorre que se o Padre fosse vivo talvez não se dedicasse aos sermões mas passasse à clandetsinidade.


publicado por Jorge Ferreira às 14:40 | link do post | comentar

(Foto)

Apesar da comunicação social apresentar as primárias norte-americanas no Partido Democrático como sendo quase a selecção do futuro Presidente dos EUA, não estou convencido que o Partido Republicano tenha as eleições perdidas, sobretudo se se confirmar a nomeação de McCain, de quem, aliás, Bush não gosta, o que se pode revelar um trunfo precioso. Já agora: Obama, que se rodeou das famílias do passado no Massachussets, Kerry e a mais poderosa máquina político-familiar dos EUA, os Kennedy, perdeu as eleições nesse estado. Ou seja: a bandeira da mudança não admite arqueologia política.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 02:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 11.01.08
(Ai, ai)

Vejo grande excitação à volta das eleições para a escolha dos candidatos Republicano e Democrata à sucessão de Bush, nos EUA. Mas verifico também que a grande questão da campanha é uma lágrima. O debate sobre quem vai disputar o lugar gira, isso mesmo, em torno de uma lágrima. Atenção: a lágrima é de branca. Se fosse uma lágrima de preta, o debate seria um bocado mais ideológico. Mas é de branca. O Obama está tramado.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 15:15 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 11.06.07
Como o filho de Kruschev vê a actual situação de tensão entre os EUA e a Rússia.

tags: ,

publicado por Jorge Ferreira às 09:56 | link do post | comentar

Terça-feira, 05.06.07
"Lewis "Scooter" Libby a été condamné pour avoir menti à la justice lors d’un scandale politico-médiatique lié à la CIA et à la guerre en Irak. Il devrait faire appel. ". Afinal, a tenebrosa democracia americana funciona.

tags:

publicado por Jorge Ferreira às 23:04 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21.02.07
(Le Figaro)

Derrubar Berlusconi foi mais fácil do que é governar prisioneiro da extrema-esquerda. Prodi demitiu-se por causa da política externa. Queria alargar o contingente italiano no Afeganistão e alargar as facilidades concedidas aos EUA na base de Vicenza. Pecado fatal. Os comunistas e os verdes não deixaram. Está out. É o preço da prisão política em que se meteu.


publicado por Jorge Ferreira às 19:58 | link do post | comentar

JORGE FERREIRA

tomarpartido@sapo.pt

visitantes em linha

English version by Google
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3
4
5
6
7

8
9

20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30



DESTAQUES




TAMBÉM ESTOU AQUI

Jorge Ferreira

Cria o Teu Crachá

Aveiro
Comunicar a direito
Democracia liberal
Diário de aveiro
Jorge ferreira
O carmo e a trindade
O templário
Terras de mármore
Tv net

O PARTIDO DOS AMIGOS

A cagarra
Alinhavos
Cão com pulgas
Eclético
Faccioso
Ilha da madeira
Fumaças
Mais actual
Meu rumo
Paris
Sobre o tempo que passa
Tubarão


OUTROS PARTIDOS

A arte da fuga
A barbearia do senhor luís
A casa de sarto
A casa dos comuns
A caveira vesga
A caverna obscura
A civilização do espectáculo
A destreza das dúvidas
A educação do meu umbigo
A gota de ran tan plan
A grande alface
A janela do ocaso
A natureza do mal
A origem das espécies
A outra varinha mágica
A regra do jogo
A revolta das palavras
a ritinha
A terceira noite
A textura do texto
A voz do povo
A voz nacional
A voz portalegrense
As escolhas do beijokense
As penas do flamingo
Abrigo de pastora
Abrupto
Às duas por três
Activismo de sofá
Admirável mundo novo
Adufe
Água leve
Água lisa
Alcabrozes
Alianças
Aliança nacional
Almocreve das petas
Apdeites v2
Arcadia
Arde lua
Arpão
Arrastão
Aspirina b
Atuleirus
Avatares de um desejo

Bar do moe, nº 133
Blasfémias
Bem haja
Berra-boi
Bic laranja
Bicho carpinteiro
Binoculista
Bissapa
Blogo social português
Blogotinha
Blogs e política
Blogue de direita
Blogue da sedes
Blogue real associação de lisboa
Blue lounge
Boca de incêndio
Boina frígia
Braga blog
Branco no branco
Busturenga

Cabalas
Café Bar James Dean
Café da insónia
Caixa de petri
Caixa de pregos
Câmara corporativa
Campos da várzea
Canhoto
Carreira da í­ndia
Causa liberal
Causa nossa
Cegos mudos e surdos
Centenário da república
Centurião
Certas divergencias
Chá preto
Charquinho
Cibertúlia
Cinco dias
Classe polí­tica
Clube das repúblicas mortas
Clube dos pensadores
Cobrador da persia
Combustões
Confidências
Congeminações
Contingências
Controversa maresia
Corta-fitas
Crónicas d'escárnio e mal dizer

Da condição humana
Da literatura
Da rússia
Dar à tramela
Dass
De vexa atentamente
Der terrorist
Delito de opinião
Desconcertante
Desesperada esperança
Despertar da mente
Direito de opinião
Do portugal profundo
Dois dedos de prosa e poesia
Dolo eventual
Duas cidades
Duas ou três coisas
2 rosas

É curioso
É tudo gente morta
e-konoklasta
Em 2711
Elba everywhere
Em directo
Encapuzado extrovertido
Entre as brumas da memória
Enzima
Ephemera
Esmaltes e jóias
Esquissos
Estado sentido
Estrago da nação
Estudos sobre o comunismo
Espumadamente
Eternas saudades do futuro

Falta de tempo
Filtragens
Fliscorno
Fôguetabraze
Foram-se os anéis
Fúria dos dias

Gajo dos abraços
Galo verde
Gazeta da restavração
Geometria do abismo
Geração de 80
Geração de 60
Geração rasca
Gonio
Governo sombra

Há normal?!
Herdeiro de aécio?!
Hic et nunc
Hoje há conquilhas, amanhã não sabemos
Homem ao mar

In concreto
Ideal social
Ideias soltas
Ilusão
Império lusitano
Impressões de um boticário de província
Insinuações
Inspector x
Intimista

Jacarandá
Janelar
Jantar das quartas
João Távora
Jornal dos media
José antónio barreiros
José maria martins
Jose vacondeus
Judaic kehillah of portugal - or ahayim
Jugular
Julgamento público

Kontrastes

La force des choses
Ladrões de bicicletas
Largo da memória
Largo das alterações
Latitude 40
Liblog
Lisbon photos
Lobi do chá
Loja de ideias
Lusitana antiga liberdade
Lusofin

Ma-schamba
Macroscópio
Maioria simples
Maquiavel & j.b.
Margem esquerda
Margens de erro
Mar salgado
Mas certamente que sim!
Mau tempo no canil
Memória virtual
Memórias para o futuro
Metafísica do esquecimento
Miguel teixeira
Miniscente
Minoria ruidosa
Minudencias
Miss pearls
Moengas
Movimento douro litoral
Mundo disparatado
Mundus cultus
My guide to your galaxy

Não há pachorra
Não não e não
Nem tanto ao mar
Neorema
Nocturno
Nortadas
Notas formais
Notícias da aldeia
Nova floresta
Nova frente
Num lugar à direita
Nunca mais

O afilhado
O amor nos tempos da blogosfera
O andarilho
O anónimo
O bico de gás
O bom gigante
O cachimbo de magritte
O condomínio privado
O contradito
O diplomata
O duro das lamentações
O espelho mágico
O estado do tempo
O eu politico
O insubmisso
O insurgente
O islamismo na europa
O jansenista
O jumento
O observador
O país do burro
O país relativo
O pasquim da reacção
O pequeno mundo
O pravda ilhéu
O principe
O privilégio dos caminhos
O profano
O reaccionário
O saudosista
O severo
O sexo dos anjos
O sinaleiro da areaosa
O tempo das cerejas
O universo é uma casca de noz
Os convencidos da vida
Os veencidos da vida
Obrigado sá pinto
Oceano das palavras
Office lounging
Outra Margem
Outubro

Palavra aberta
Palavrussaurus rex
Pangeia
Papa myzena
Patriotas.info
Pau para toda a obra
Pedra aguda
Pedro_nunes_no_mundo
Pedro rolo duarte
Pedro santana lopes
Pena e espada
Perguntar não ofende
Planetas politik
Planí­cie heróica
Playbekx
Pleitos, apostilas e comentários
Politeia
Política pura e dura
Polí­tica xix
Polí­tica de choque
Politicazinha
Politikae
Polvorosa
Porcausasemodivelas
Porto das pipas
Portugal dos pequeninos
Por tu graal
Povo de bahá
Praça da república em beja
Publicista

Quarta república

Registo civil
Relações internacionais
Retalhos de edith
Retórica
Retorno
Reverentia
Revisões
Ricardo.pt
Risco contínuo
Road book
Rua da judiaria

Salvaterra é fixe
Sem filtro
Sempre a produzir
Sentidos da vida
Serra mãe
Sete vidas como os gatos
Small brother
Sociedade aberta
Sociologando
Sorumbático
Sou contra a corrente
Super flumina

Táxi
Tempo político
Tenho dito
Teorias da cidade
Tese & antítese
Tesourinhos deprimentes
There is a light never goes out
Tirem-me daqui
Tralapraki
Transcendente
Tribuna
31 da armada
Tristeza sob investigação
Triunfo da razão
Trova do vento que passa

Último reduto
Um por todos todos por um

Vale a pena lutar
Vasco campilho
Velocidade de cruzeiro
Viagens no meu sofá
Vida das coisas
Vento sueste
Voz do deserto

Welcome to elsinore

Xatoo

Zarp blog

PARTIDOS DOS ALUNOS

Ao sul
As cobaias
Fados e companhia
O cheiro de santarém pela manhã
Platonismo político
Projecto comunicar

PARTIDOS DE ABRANTES

Abranteimas
Rua da sardinha
Torre de menagem

PARTIDOS DO ALGARVE

Mons cicus
Olhão livre
Tavira tem futuro
The best of lagos

PARTIDOS DE AVEIRO

A ilusão da visão
Academia de aveiro
Actas diárias
Amor e ócio
Arestália
Aveiro sempre
Bancada directa
Bancada norte
Blog de sergio loureiro
Botanabateira
Código da vivencia
Cogir
Debaixo dos arcos
Desporto aveiro
Divas e contrabaixos
Estados gerais
Forum azeméis
Já agora
Margem esquerda
Neo-liberalismo
Nós e os outros
Notas de aveiro
Notícias da aldeia
Noticias de ovar
Painéis de aveiro
Pontos soltos
Portal do beira-mar
4linhas
Quotidiano da miséria
7 meses
The sarcastic way
Visto de fora
Vouga

PARTIDOS DE OEIRAS

À rédea solta
Escrever sobre porto salvo
Eu sou o poli­ticopata
Oeiras local
Rememorar oeiras

PARTIDOS DE TOMAR

Alcatruzes da roda
Algures aqui
À descoberta de tomar
Charneca da peralva
Nabantia
Olalhas
Os cavaleiros guardiões de sta. maria do olival
Sondagem tomar
Tomar
Thomar vrbe
Tomar, a cidade
Tomar a dianteira
Vamos por aqui

PARTIDOS DE VILA VIÇOSA

A interpretação do tempo
Infocalipo
O restaurador da independencia
Tasca real

PARTIDOS POÉTICOS

Arrimar
Corte na aldeia
Forja de palavras
Linha de cabotagem (III)
Nimbypolis
O melhor amigo
Ofí­cio diário
Orgasmos dos sentidos

PARTIDOS DAS ÁGUIAS

A águia
A ilíada benfiquista
A mística benfiquista
Amo-te, benfica
Anti-anti-benfica
Benfiquistas desde pequeninos
Calcio rosso
Chama imensa
Diário de um adepto benfiquista
E isso me envaidece
E pluribus unum
Encarnados
Encarnado oriental
Encarnado e branco
Eterno benfica
Football dependent
Gloriosa fúria vermelha
Glorioso jornal
Gordo vai à baliza
Javardos benfiquistas
loucos pelo slb
Mágico slb
Mar vermelho
Memória gloriosa
Não se mencione o excremento
Novo benfica
O antitripa
O inferno da luz
O grémio benfiquista
Os nossos queridos jornalistas desportivos
País de corruptos
Quero a verdade
Ser benfiquista
Slbenfica - forever champions
Slblog
Tertúlia benfiquista
Um zero (1-0) basta
Vermelhovzky
Vedeta da bola
Vedeta ou marreta?
Velho estilo ultras
Vermelho à moda do porto

PARTIDOS DA BOLA

Cromo dos cromos

PARTIDOS DO DIREITO

Ab surdus
Assembleia de comarca
Blog de informação
Blog do dip
Cartilha jurídica
Cum grano salis
Direito na sociedade da informação
Dizpositivo
Elsa
Incursões
Iuris
Leituras oficiosas
Legalidade
Lex turistica nova
Mens agit molem
Notas constitucionais
O meu monte
Patologia social
Piti blawg
Ré em causa própria
Reforma da justiça
Rumo do direito
Santerna
Suo tempore
Trepalium
Urbaniuris
Vexata quaestio

PARTIDOS DA VIDA

Açores pelo não
Alentejo pelo não
(Des)conversas em família
Direito a viver
Évora pelo não
Fiat lux
Impensável
Jornal da família
Nebulado
Pela vida
Pelo não
Quero viver
Razões do não
Sinto a vida
Sou a favor da vida

PARTIDOS DA ARGENTINA

El opinador compulsivo

PARTIDOS DO BRASIL

Ação humana
Cronicas do joel
Depósito do maia

PARTIDOS DE ITÁLIA

Importanza dele parole

PARTIDOS DOS LIVROS

Blog do espaço de memória e do pátio das letras
D'outro tempo
Lerblog
Mundo pessoa

PARTIDOS DAS REVISTAS

Alameda digital
Leonardo, revista de filosofia portuguesa

PARTIDOS DA TAUROMAQUIA

Lides alentejanas
Toiradas

PARTIDOS DOS BLOGUES

aniversários de blogues
Blog do dia dn
Blogpatrol
Blogpulse
Blogsearch
Blogservatório
Blogs em lí­ngua portuguesa
Moblig
Orochi's blog
Sapo blogs
Technorati
Weblog

PARTIDOS DA POLÍTICA

Bloco de esquerda
Centro democrático social
Os verdes
Partido comunista português
Nova democracia
Partido social-democrata
Partido socialista


PARTIDOS DOS JOGOS OLÍMPICOS

Atenas 2004
Pequim 2008
Comité olí­mpico internacional
Comité olí­mpico de portugal

PARTIDOS DOS JORNALISTAS

a capital
Jornal do diabo
O comércio do porto



TAMBÉM JÁ ESTIVE AQUI
Blogue do não
Câmara de comuns
Eleições 2009
Nova vaga
Novo Rumo
O carmo e a trindade
O eleito
Olissipo
Ota não
Portal lisboa
RCP ONLINE
Semanário
Sportugal
Tomarpartido
ARQUIVOS

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds
tags

efemérides(867)

borda d'água(850)

blogues(777)

josé sócrates(537)

ps(339)

psd(221)

cavaco silva(199)

pessoal(182)

justiça(180)

educação(150)

comunicação social(139)

política(137)

cds(126)

crise(121)

desporto(120)

cml(116)

futebol(111)

homónimos(110)

benfica(109)

governo(106)

união europeia(105)

corrupção(96)

freeport de alcochete(96)

pcp(93)

legislativas 2009(77)

direito(71)

nova democracia(70)

economia(68)

estado(66)

portugal(66)

livros(62)

aborto(60)

aveiro(60)

ota(59)

impostos(58)

bancos(55)

luís filipe menezes(55)

referendo europeu(54)

bloco de esquerda(51)

madeira(51)

manuela ferreira leite(51)

assembleia da república(50)

tomar(49)

ministério público(48)

europeias 2009(47)

autárquicas 2009(45)

pessoas(45)

tabaco(44)

paulo portas(43)

sindicatos(41)

despesa pública(40)

criminalidade(38)

eua(38)

santana lopes(38)

debate mensal(37)

lisboa(35)

tvnet(35)

farc(33)

mário lino(33)

teixeira dos santos(33)

financiamento partidário(32)

manuel monteiro(32)

marques mendes(30)

polícias(30)

bloco central(29)

partidos políticos(29)

alberto joão jardim(28)

autarquias(28)

orçamento do estado(28)

vital moreira(28)

sociedade(27)

terrorismo(27)

antónio costa(26)

universidade independente(26)

durão barroso(25)

homossexuais(25)

inquéritos parlamentares(25)

irlanda(25)

esquerda(24)

f. c. porto(24)

manuel alegre(24)

carmona rodrigues(23)

desemprego(23)

direita(23)

elites de portugal(23)

natal(23)

referendo(23)

apito dourado(22)

recordar é viver(22)

banco de portugal(21)

combustíveis(21)

música(21)

pinto monteiro(21)

bcp(20)

constituição(20)

liberdade(20)

saúde(19)

augusto santos silva(18)

cia(18)

luís amado(18)

todas as tags